quarta-feira, 18 de junho de 2014

ADIOS ESPANÃ


MUITOS PESOS


 
Em toda a cobertura monumental da manifestação contra Dilma, não encontrei algumas perguntas fundamentais:

1
- Quando o governador paulista Mário Covas foi insultado e agredido fisicamente na Praça da República, em São Paulo, José Dirceu disse que os tucanos deviam apanhar nas ruas e nas urnas. A pergunta: o pessoal que ficou indignado com o lema tão comum nos estádios protestou contra a agressão ao governador? Reclamou do apoio de Dirceu aos agressores? Terá este colunista ficado tão surdo que não ouviu a dura reprimenda de Dilma Rousseff aos mal-educados violentos?

2 - Quando a jornalista cubana Yoani Sanchez visitou o Brasil, houve manifestações com o objetivo de, além de insultá-la, impedi-la de falar às pessoas que queriam ouvi-la. Yoani, como Dilma, é mulher; e estava no Brasil como visita, a convite. O pessoal que ficou indignado com o lema tão comum nos estádios protestou contra os insultos a Yoani e os tumultos que chegaram a impedi-la de falar em alguns lugares? Teremos todos ficado tão surdos que não ouvimos as duras reprimendas de Dilma Rousseff aos mal-educados violentos?

3 - Quando um militante petista, Rodrigo Pilha, funcionário da deputada distrital petista Erika Kokay, de Brasília, reuniu um grupo de amigos mal-educados para insultar e perseguir na rua o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, ele mesmo se vangloriou do feito, com frases como "nós o botamos para correr". O pessoal que ficou indignado com o lema tão comum nos estádios protestou contra a perseguição e os insultos ao presidente de um dos três Poderes da República? Teremos todos ficado tão surdos que não ouvimos as duras reprimendas de Dilma Rousseff aos mal-educados violentos?

Só os adversários são obrigados a se comportar de maneira educada?

Brickmann



MOÇA BONITA

Torcedora chilena


MOMENTOS MÁGICOS


MESMA INTENSIDADE


Adelaide viveu por décadas com o marido. Amava-o com todas as forças do seu coração. Numa madrugada fria ele partiu definitivamente. Lágrimas e depressão profunda pela ausência. Virou quase um zumbi.
Alzira viveu por décadas com o marido. Odiava-o com todas as forças do seu coração. Numa madrugada fria ele partiu definitivamente. Alívio seguido de depressão profunda pela ausência. Virou quase um zumbi.
Amor e ódio deixam saudade com a mesma intensidade.
É a vida. 
 
John Chair

CIDADÃOS NORMAIS


Apesar da idade avançada ainda sou tomado por muita curiosidade. 
Tenho ouvido entrevistas e reportagens com membros da atual administração (vereadores não contam) responsabilizando, como eles dizem, uma meia dúzia de pessoas que impedem a realização de compromissos de campanha e atravancam o desenvolvimento.
Dizem que a trincheira desses vilões está localizada na Praça Teodomiro Santiago, mais precisamente em frente do Café do Vadinho.
Impossível não querer conhecer e se possível ouvir o que pensam pessoas com tamanho poder de fogo.
Seriam capazes de paralisar o andamento de obras do Estado, colocar a cidade a mercê de enchentes, pressionar legislativo, judiciário e o "escambau a quatro". 
Os interesses de 100.000 moradores estariam nas mãos dessa temível "meia dúzia". Seriam representantes de algum grande Partido político, PMDB, PT, PSDB ?   
Ontem pela manhã criei coragem e fui até lá.
Surpresa: nada de vigias armados, guarda-costas, ternos de riscas de giz e nem chapéus.
Velhos conhecidos, muitos amigos e conhecidos de longa data, alguns adversários em um ou outro debate do passado. Nunca deixamos de nos relacionar com cordialidade.
Enorme experiência de vida. Voltaram para a terrinha que nunca deixaram, depois de muitas batalhas em terras distantes.
Interessante: não pertencem a partido político nenhum e não têm, na minha maneira de ver, pretensões eleitorais.
Penso que nenhum deles teria o mínimo interesse em algum cargo público. Apenas ousam a pensar e agir como cidadãos participativos.
Não sei de onde viria a força de impedir o progresso que dizem que têm ?
A história se repete.
O Lula sempre afirma: a culpa é da elite, da oposição, dos gordinhos, dos branco, dos bonitos, dos ricos e da mídia.
Na terrinha dizem: a culpa é da meia-dúzia de pessimistas invejosos que se encontram defronte ao Café do Vadinho.
Na verdade, são independentes e têm opinião formada.  Ah! e a exprimem.
É a vida.
 
ER 
  

ASSIM ERA, ASSIM É

Um notável empresário costumava dizer que a vantagem de ser idoso é ter visto tudo acontecer, e ter visto o contrário também. Pois é. Quem imaginaria?
1 - Negro mandando brancos ricos e poderosos para a cadeia;

2 - Esquerdistas citando (e com amor) o autor que antes odiavam: Nelson Rodrigues. Diziam que era reacionário. E ele confirmava;

3 - Maluf aliado ao PT mas dizendo que, perto de Lula e Dilma, é comunista;

4 - A elite branca endinheirada comparecendo em massa ao estádio do Corinthians, no elitista bairro de Itaquera;

5 - Eduardo Suplicy fazendo um discurso mais curto que o do candidato de seu partido ao Governo paulista;

6 - Aécio e Serra se elogiando e cumprimentando como velhos amigos;

7 - Brasileiros fascinados por um papa argentino;

8 - Brasileiros fascinados por um craque argentino;

9 - O comunista linha chinesa (da antiga, original) Aldo Rebelo, ministro dos Esportes, o imprimindo e distribuindo A Pátria em chuteiras, de Nelson Rodrigues - porque, ao contrário do que pensa a direita, futebol não é o ópio do povo;

10 - Políticos presos brigando para (argh!) trabalhar;

11 - Marta Suplicy tuitando sua alegria bem na hora do gol-contra do Brasil;

12- Lula desistindo de ir ao estádio que ajudou a construir, para a abertura da Copa que conseguiu trazer para cá. E Dilma, que nem sabe quem é a bola, indo.

Brickmann

AGORA O JUIZ É NOSSO