sexta-feira, 21 de março de 2014

SOB A LUZ DE VELAS

 
 
"Se o governo assumisse o gerenciamento do Saara, em poucos anos faltaria areia naquele deserto".

Milton Friedman

VAMOS COM CALMA !

 
Isso vai virando piada no Brasil. Cálculo do número de pessoas presentes num evento. Quando acontece a Parada Gay em São Paulo, os favoráveis ao movimento estimam os participantes em 3 milhões. Quando da Marcha dos Evangélicos, os crentes imaginam 5 milhões de fieis na caminhada.
O pessoal de comunicação da Prefeitura da terrinha informou que 25.000 pessoas "cantaram parabéns" no Show do Chitãozinho e Xororó.
Penso eu: O pessoal da terrinha não é chegado a ficar muito colado a estranhos. Povinho desconfiado, entre os quais me incluo.
Tirando o pessoal da turma do gargarejo, que fica em transe na frente do palco, quando muito se pode contar com 2 pessoas por metro quadrado (média).
25.000 pessoas ocuparam um espaço de 3x4 quilômetros.
Então vejamos: 4 kms de comprimento ( tinha gente até na ponte do mercado), por 3 quilômetros de largura (tinha gente da ponte da avenida até o hospital).
Ou tinha um na cacunda do outro.
Nada contra a festa. Já disse aqui que o povo merece.
Mas vamos maneirar na estimativa.
1/4 de Itajubá teria saído de casa no dia 19.

ER

TUDO A VER !



É bom ficar atento.
 
Numa Pasadena o Brasil teve muita alegria. Grande conquista.
Foi no dia 17 de julho de 1994. O Zelador estava lá ao vivo e em cores quando o Roberto Baggio bateu o pênalti nas nuvens. Muita festa nas ruas da cidade da Califórnia, próxima de Los Angeles. Foi no Rose Bowl, com 94.000 testemunhas.
 
A Pasadena, hoje nas páginas policiais dos jornais, fica no Texas. Nas proximidades de Houston. Cidade com 150.000 habitantes onde a Petrobrás petista enterrou, praticamente, US$ 1,2 bilhões.
A palavra correta é enterrou.
 
O lugar já foi num passado distante, esconderijo do famoso pirata Lafite. Hoje constatamos que foi um amador.
 
Está no Google:
"O ex - congressista americano, Ray Barnhart, descreveu Pasadena como uma bela comunidade, mas politicamente corrupta."
 
Em 1965, o repórter Gene Goltz recebeu o Prêmio Pulitzer pelo seu livro "The Pasadena Story" por expor um governo corrupto da cidade, na década de 60.
Através de minuciosa elaboração de relatórios, ele gradualmente revela um sistema de subornos, pagamentos secretos e negócios estranhos. 
 
A refinaria da  Petrobrás se chama "Pasadena Refining System"
 
É a vida.

ER


FOGO AMIGO