sexta-feira, 14 de março de 2014

SOB A LUZ DE VELAS

 
"Porque as perguntas realmente sérias são apenas aquelas que uma criança pode formular. Só as perguntas mais ingênuas são realmente perguntas sérias. São as interrogações para as quais não há resposta. Uma pergunta para a qual não há resposta é uma cancela além da qual não há mais caminhos. Em outras palavras: são precisamente as perguntas para as quais não há resposta que marcam os limites das possibilidades humanas e que traçam as fronteiras de nossa existência."
 
Milan Kundera

A GRANDE VOZ




Tomou o barco na semana passada, aos 89 anos, o grande narrador americano, Hal Douglas. Todos nós, em algum momento, estivemos atentos a sua voz.
Emprestou a voz a trailers de filmes, como Filadélfia, Forrest Gump, Homens de Preto e Máquina Mortífera.
Declarou sua filha Sarah Douglas: "Hal era conhecido não apenas por sua voz incomparável, que pode ser ouvida em milhares de trailers e chamadas de rádio e TV, documentários e como voz de numerosas redes de TV, mas tembém por seu jeito caloroso, sua humildade, seu humor e sua generosidade de espírito".
 
ER


CONSTITUIÇÃO É COM A GENTE

 
Li outro dia que o nosso Prefeito vetou dois projetos que haviam sido aprovados pela Câmara Municipal. Se não me falha a memória, os dois foram apresentados pelo Vereador Santi. Um tornando obrigatório a entoação do Hino da Cidade nos eventos públicos e outro o fornecimento da relação de pessoas contratadas, ou algo assim.
Atenção: Ambos por inconstitucionalidade.
Penso que os mesmos teriam sido aprovados anteriormente pela comissão de justiça da própria Câmara. Devem ter deixado escapar, como certamente também, deixaram escapar a inconstitucionalidade do Projeto Professor Rui, que assustadoramente, legaliza a exploração e o maltrato dos animais.
Isso foi provado pelo Promotor Carlos Henrique Camargo quando da audiência pública na última quarta-feira.
Os vetos do Prefeito Rodrigo citados acima, demonstram que a atual administração está trabalhando com a Carta Magna aberta sobre a mesa.
O famigerado projeto do Professor, irá para votação em plenário nos próximos dias. Dificilmente não será aprovado por razões de conhecimento geral.
Considerando a atuação anterior da assessoria jurídica do Prefeito, certamente não dará outra:
O projeto Professor Rui deverá ser vetado.
Entendam.

ER 

CONTA GOTAS

 
1 - Após refresco distribuído pelo STF, penas de mensaleiros viraram curtos períodos de férias. Com regalias e tudo pago.
 
2 - Cartéis montados pelas multinacionais chegam nos projetos federais dos governos Lula e Dilma. Agora serão engavetados mais rapidamente.
 
3 - Sinal dos tempos e precaução. Placa fixada na fachada de uma casa no bairro da Avenida. "O agente penitenciário que residia aqui, mudou."
 
4 -  Coisas de Itajubá: O que não está funcionando bem ninguém se move para mudar. O que está indo bem, tentam mudar. Clube Itajubense. 
 
5 - Lado positivo da audiência sobre a Lei Prof. Rui realizado na FMI. Proporcionou a muita gente caminhar pelos corredores e conhecer um pouco de uma  Faculdade Medicina não veterinária.

Clarin da Boa Vista

PROIBIÇÃO DE PPPs NO JUDICIÁRIO

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinou a proibição das chamadas parcerias público-privadas (PPPs)no Judiciário.
A questão vinha sendo debatida pelo órgão desde 2010 e foi retomada na última terça-feira, 11. Com o novo entendimento, tribunais ficam proibidos de firmar este tipo de contrato com empresas privadas.
A questão vinha sendo debatida no CNJ desde abril de 2010, quando a Corregedoria-Geral do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão (TJ-MA) apresentou uma consulta ao conselho questionando se seria possível o TJ-MA firmar contratos nos moldes das PPPs.
A intenção era utilizar o mecanismo para a construção e o aparelhamento de dez novos fóruns em comarcas do interior, uma sede para os juizados especiais e um complexo judiciário para varas da Infância e Juventude, além da reforma da própria sede do TJAM, informatização de cartórios e aquisição de veículos novos.
No entendimento do então ministro Ayres Britto, que foi seguido pelo Conselho, a lei das PPPs só seria válida para os órgãos do Executivo. Além disso, argumentou o ministro, os dispositivos da lei seriam incompatíveis com as atividades do Judiciário.
Com a retomada do julgamento na última terça-feira, a questão foi respondida negativamente pelo Conselho. A decisão estava suspensa desde novembro de 2011, após um pedido de vista do ex-conselheiro Tourinho Neto.
 
Estadão
 
Blog: Seria uma alternativa para a construção do novo Fórum da terrinha.
 
ER

VIROU FESTA !