quarta-feira, 12 de março de 2014

MOÇA BONITA

Thekla

PUXANDO O TAPETE

 
 
Lula, com a ajuda do PMDB, aplaina o terreno para a sua candidatura promovendo o desgaste político da Dilma.

Clarin da Boa Vista

BLACK BOXES


NADA DE NOVO NO FRONT



O "Estadão" trata hoje sobre pagamento de propinas no setor elétrico. Desta vez é citada a empresa Furnas. Desde os tempos imperiais, as empresas do setor se tornaram feudos de partidos políticos. São loteadas. Isso, todo mundo sabe e não se trata de novidade nenhuma.
O fornecimento de equipamentos e serviços, quase sempre, é controlado por cartéis. Todo mundo sabe.
Sobrepreços e "doações", oficiais ou não, sempre existiram. Todo mundo sabe.
Hoje está no poder um grupo. Amanhã, outro.
O fluxo de indevidos segue normalmente.
Os cargos de direção são ocupados por aliados políticos.
Há alguns anos, as coisas começaram a mudar.
Não aqui no Brasil, mas na Europa. Averiguações e aplicações de multas altíssimas. Iniciativa das grandes empresas (forçadas) a admitir ilícitos.
Onde entramos nisso ?
Desde os meados do século passado, é notória a  presença técnica de engenheiros saídos da nossa Escola nas grandes empresas do setor. A maioria absoluta atuando na construção, montagem, manutenção, operação e projetos.
Não muitos se destacaram no comando administrativo e comercial. Para isso é preciso "estômago". Capacidade de agradar. Espinha flexível.
Mais ninguém é cego. Muito pelo contrário. São discretos, reservados e procuram cumprir bem as tarefas. 
As manchetes dos jornais, revistas e TV soam para os saídos na nossa Escola como um "déjà vu".
Nomes e casos citados não provocam choques, surpresas ou revoltas.
Há exceções. Poucas, mas acontecem.
Alguns se empolgam, avançam e se convencem  de que o cipoal é normal e justificável.
Depois, quase sempre, passam o resto da vida no conforto tentando justificar para si mesmos que apenas seguiram as regras impostas e  cumpriram ordens.
Ou passam a repetir a "máxima" do grande filósofo de São Bernardo do Campo: "eu não sabia de nada".
Passa a ser proibido pensar que parte dos sobrepreços assistidos deveria ser direcionado para a educação, saúde e segurança.
Aí a porca torce o rabo.
A saída é curtir os bancos duros das igrejas e esperar o tempo passar.
 
É a vida 
 
ER




PRÁ PENSAR


A partir do momento que a aprovação da criação de uma comissão na Câmara Federal para apurar declarações sobre corrupção na Petrobrás, seja considerada uma derrota para o governo, somos levados, de imediato, a concluir que o mal feito aconteceu.

ER

DIA DE SÃO JOSÉ


Os senhores, José de Lima Sobrinho e Durval de Lima deverão estar na terrinha no próximo dia 19. Virão para o aniversário da cidade.
E receberão para isso. Exatamente R$ 215.000,00.
Exigem muito, como todos os grandes astros. Local de trabalho com 300 m2, dois escritórios com ar condicionado devidamente abastecido com itens especificados.
Tudo iluminado por  canhões localizados em torres de 4 metros de altura.
Virão acompanhados de assessores.
A hospedagem, alimentação e deslocamento serão por conta dos visitados. Lógico, que também a iluminação, infraestrutura e seguranças.
No tocante a seguranças, exigem 1 para cada 80 presentes.
Calcula-se que tudo irá beirar os R$ 500 mil.
Comenta-se que algo próximo de 50 camarotes para convidados especiais serão montados.
Quem serão os convidados não sei. Mas quem não serão os convidados posso relacionar.
Toda a movimentação é justificável. Afinal é o aniversário da cidade.
Ah ! esclarecendo: os senhores Durval e  José de Lima são mais conhecidos pelos apelidos de Chitãozinho e Xororó.
Eu particularmente gosto. Muito mais do que qualquer dupla de sertanejos universitários.
Como a apresentação será na Boa Vista, ouvirei de casa, com todo o prazer. Começará às 20:30 horas, com 2,5 horas de duração.
Como na cidade existem muita gente do contra, ainda aparecerá alguém criticando a festa.

ER

SEMPRE A MESMA VELHA HISTÓRIA