terça-feira, 11 de março de 2014

MARTÍRIO DOS ANIMAIS

)

Em tempo: O Promotor Carlos Henrique Prestes Camargo, do GECAP -SP, deverá estar presente e participar da Audiência Pública (conseguida através de duríssimas penas) programada para amanhã, às 19:00 horas, no Auditório da Faculdade de Medicina, quando deverá ser discutido o Projeto Prof. Rui, que busca legalizar na terrinha, através de rodeios, o martírio de animais.
Vamos ver.

ER 

ABOBRINHA DO DIA



"O PMDB só me dá alegria"

Dilma

PERDEU A GRAÇA



Esvaziada a cerimônia de abertura da Copa. Dilma não irá discursar. 

Clarin da Boa Vista

O QUE ESTAVA TOCANDO

 
Fomos todos jovens um dia, imagino. Vivemos com mais ou menos intensidade o período de 1960 a 1980. Todos se apaixonaram (dizia-se gamaram), namoraram, sentiram abandonados ou abandonaram.
Todos os momentos vividos tiveram trilha sonora.
A música nos leva de volta para bons e não tão bons momentos.
O site indicado é muito bom.
Trata-se de um juke box que recupera 60 anos de músicas e que permite ouvir as melodias do ano de seu nascimento ou de qualquer outro ano entre 1940 e 1999. É só clicar: 1940 1950 1960 1970 1980 19...
ricardopacheco9736.wordpress.com
 
(Dica Walter Bianchi)
 
ER

PACATA TERRINHA

Deu no G1
 
"Familiares de detentos do Presídio de Itajubá (MG) denunciaram uma suposta represália da polícia aos presos após os ataques a ônibus e casas de agentes penitenciários há uma semana na cidade. Uma carta entregue aos parentes relata que os detentos estariam passando por maus-tratos e sendo punidos pelo ocorrido. Além disso, as visitas no fim de semana do dia 8 e 9 de março ao presídio foram suspensas.
Os presos escreveram uma carta onde relatam que ficaram sem energia e alimentação no final de semana. Além disso, as visitas no sábado (8) e domingo (9) foram canceladas e eles não puderam receber advogados. Outra reclamação é de que eles teriam sido expostos a jatos de água e ficaram sem o banho de sol. A carta foi assinada por vários detentos e entregue a familiares.
Algumas mulheres que são parentes dos detentos, e não quiseram se identificar, estavam revoltadas com os relatos em frente ao presídio. "As mães que levam produto de higiene todo fim de semana não puderam entrar para levar alguma coisa diferente para eles comerem. Eles estão passando fome, bebendo só água", fala uma das mulheres. A outra reclama da represália. "Se não está acontecendo nada, por que eles não podem ver as mães? É um direito deles."
O diretor do presídio, Rodnei Dantas, disse por telefone que realmente cortou a televisão dos detentos após os ataques e confirmou o cancelamento das visitas, mas negou as acusações de maus-tratos..."
 
G1

SÓ BLUES

)

MEGA GRADEAMENTO


Um executivo ligado à cúpula da Alstom na França disse que a multinacional pagou propina para Robson Marinho, conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado) e ex-chefe da Casa Civil no governo de Mário Covas (PSDB), entre 1995 e 1997.
É a primeira vez que um integrante da cúpula da empresa cita o nome de Marinho como beneficiário de suborno.

O nome do conselheiro foi citado em depoimento às autoridades suíças, segundo documento de cooperação internacional enviado ao Ministério Público em maio de 2010 e que faz parte do processo sobre a Alstom no Brasil.
"Compreendi que se tratava de um certo sr. Robson Marinho. Ele era membro do Tribunal de Contas do Estado federal [sic] de São Paulo. Essa é a instância que fiscaliza as companhias estaduais. Agora não sei se apenas essa pessoa recebeu dinheiro ou se o sr. Marinho o distribuiu ou não", disse Michel Cabane, ex-diretor da Cogelec, subsidiária da Alstom e da Cegelec.
A Cogelec produzia justamente os equipamentos que seriam vendidos à Eletropaulo e EPTE (Empresa Paulista de Transmissão de Energia) em 1998: subestações de energia elétrica.
A Alstom pagou R$ 23,3 milhões de suborno para conseguir um contrato de R$ 181,3 milhões, tudo em valores atualizados, segundo acusação do Ministério Público.
Os pagamentos foram feitos entre 1998 e 2003, quando o Estado era governado por Mário Covas e Geraldo Alckmin, ambos do PSDB.
O executivo disse à Justiça suíça que soube do nome de Marinho em conversas com Jonio Foigel, ex-presidente da Cegelec no Brasil, e André Botto, ex-diretor comercial da Alstom na França. Os três executivos tiveram participação na venda das subestações para a Eletropaulo.
Como a Folha informou em janeiro, Botto disse à Justiça francesa que a Alstom havia pago uma propina equivalente a 15% do valor do contrato com a Eletropaulo: "Tivemos de pagar comissões elevadas, da ordem de 15% do contrato."
 
Folha
 
Blog: O que causa espanto é que o assunto foi investigado na Suíça e documentos referentes a questão, foram enviados para as autoridades brasileiras em 2010. O Sr. Marinho, como todos sabem, foi Prefeito de São José dos Campos.  Por que tanta demora na apuração ? Porque existe culpa. Os íntegros (raça praticamente extinta nesse meio), quando mencionados em alguma negociata, são os primeiros a exigir imediata apuração.
Repito: Não acredito que nos últimos 40 anos aconteceu qualquer fornecimento de serviço/equipamento para projetos públicos, totalmente isento.
Talvez ficasse mais em conta construir 23.086 km de grades cercando todo o pais. Mega cadeião.
 
ER 
 
 
 
 
   

INESQUECÍVEL


BLOCO DO EU SOZINHO

 
Está no site da Prefeitura, como comentou um anônimo: 

"O Itajubá Folia 2014 foi um sucesso, graças ao empenho da Prefeitura Municipal de Itajubá, que promoveu vários eventos, e a parceria com blocos de movimentos populares, como Varada N’água e Kusta Mas Sai.
Além de proporcionar eventos de qualidade para a população, o Carnaval de Itajubá não registrou ocorrências de brigas ou confusões nos locais onde foram realizados os eventos. Tudo transcorreu num clima familiar, com a participação de crianças, jovens, adultos e idosos.
A média de público dos eventos do Carnaval 2014 foi de cerca de cinco mil pessoas, com alguns eventos beirando os dez mil foliões. "
 
Euforia. Não dos foliões itajubenses (pouquíssimos se eventuraram), mas dos redatores da Secretaria de Comunicação da PMI.
Eventos beirando 10 mil foliões ? Onde / Onde ?

ER 

MOÇA BONITA

Dayana

OUTROS TEMPOS

11 de março de 1888 - Em reunião popular no Paço Municipal, declarava-se extinta a escravidão em Itajubá, dois meses antes da Lei Áurea, fato que levou José do Patrocínio a qualificar Itajubá de "Cidade Luz", pois foi a primeira localidade mineira a libertar todos os seus escravos.

Fonte Armelim Guimarães

ER