terça-feira, 21 de janeiro de 2014

SÓ BLUES


MOÇA BONITA

Adriana

POVO BOM !

 
Ouvido hoje na Feira Livre da Boa Vista:
 
- Ô Cumpadre, fiquei sabendo que em uma semana a "vaquinha" feita para a conta do mensaleiro Genoíno atingiu os R$ 700 mil necessários.
 
- E daí ? já era mesmo de se esperar. O Partido é riquíssimo.
 
- Fiquei curioso. Quanto será que os petistas da terrinha mandaram ? Afinal, sou de opinião que todos carregam escorpiões no bolso.
 
- Que nada. Para causas que julgam nobres, são todos "mão aberta". Garanto que o Ulysses, Paulino, Gama, Celinha, Alaor, Laudelino, Almir e o Dr. Paulo, abriram os corações e os bolsos.
 
- Bom...e agora com a captação pró Dirceu, Delúbio e João Paulo ?
 
- Sem problema nenhum. Ao abrirem as contas, filas se formarão no Bradesco para as devidas ofertas. Em três dias, no máximo, atingirão os objetivos. A terrinha estará presente.
 
- Éh...povo bom.

ER  

SÓ MESMO NA INCULTA E BELA TERRINHA

 
O uso de animais em espetáculos circenses foi proibido em Minas Gerais.
A determinação, por meio de lei do deputado Alencar da Silveira Jr. (PDT), foi publicada no Diário Oficial de Minas Gerais do último sábado (18). A norma tramitava na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) desde o ano passado. 
A lei proíbe o uso de quaisquer animais, sejam eles selvagens ou domésticos, nativos ou exóticos, em espetáculos circenses no Estado.
O descumprimento da proibição está sujeita às penalidades de apreensão do animal e multa de 10.000 Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais (Ufemgs). Para o exercício de 2014, uma Ufemg equivale a R$ 2,6382. Desse modo, a multa de 10 mil Ufemgs será de R$ 26.382,00.
 
Blog: Na terrinha, e para variar na contramão da história, parte dos vereadores (a maioria), luta bravamente para aprovar a Lei dos Rodeios, também conhecida como Lei Professor Rui, que regulamentaria a exploração e martírio de animais. 
Estamos lascados.
 
ER 
 

GRANDE BRASILEIRO

 
Aos 85 anos de idade, quem não está bem de saúde é o Dr. Antônio Ermírio de Moraes.
Já há alguns anos enfrenta o Alzheimer. Um grande brasileiro e um dos maiores empreendedores que nossa terra já viu.
Sempre acompanhei seus pronunciamentos, sua coluna na Folha e sua extrema dedicação as causas sociais.
Conduziu o Hospital da Beneficência Portuguesa por mais de 40 anos. Passava diariamente pelo Hospital, inclusive aos sábados e domingos.
Apoiador e, quando necessário, duro crítico de governos. Nunca foi dado a ficar em cima de muros.
Disse certa vez: " Ninguém pode me condenar como faziam no passado, dizendo que eu só criticava e nunca me oferecia. Tentei ser útil à nação. Ofereci meus serviços. Não deu certo. Paciência. O povo não quis. Perdi por ser franco. Aprendi que política é a arte de falar o que não se pensa. Fiquei com minha dignidade. Posso olhar para os meus filhos de frente. Sem ter vergonha. Não menti, não iludi e não enganei.
Dr. Antônio Ermírio foi candidato ao governo de São Paulo em 1986. Perdeu para Orestes Quércia, do PMDB.
Posteriormente, ele afirmou: "O único político que sobrevive no Brasil é o que trabalha 24 horas por dia para a sua reeleição, aquele que pensa em si mesmo em regime de tempo integral. Amar o Brasil é coisa secundária. Por favor, me interne no Instituto Pinel caso eu venha a falar novamente em participar na vida política ou me envolver com algum partido político.
 
Terminei de ler o livro do Professor Celso Pastore (Editora Planeta) - "Antônio Ermírio de Moraes - Memória de Um Diário Confidencial).
Dr. Antônio, com a colaboração do seu amigo Pastore (amizade de quase 40 anos), escreveu três peças de teatro. Com sucesso.
 
É a vida.
 
ER