sábado, 18 de janeiro de 2014

AGORA VAI !

 
Campos de Melo passou todos os anos de sua vereança sem dar uma palavra. Era o boca-de-siri da câmara municipal de Cuité. Até que, uma tarde, ergueu o busto, como quem ia falar. O presidente da Mesa, mais do que depressa, disse:

— Tem a palavra o nobre vereador.

Então, em meio do grande silêncio, o grande mudo falou.

— Peço licença para fechar a janela, pois estou constipado.

José Cândido de Carvalho

É DISCO QUE EU GOSTO


SOB A LUZ DE VELAS



"Devemos o progresso aos insatisfeitos"

Aldous Huxley

LIVRO, PRESENTE DE AMIGO

 
Vez por outra, nos vemos quase obrigados a ler um livro. É o caso do "Assassinato de Reputações" do Romeu Tuma Junior, o Tuminha.
Editora Topbooks - 557 págs.
Trata-se de  um desabafo do ex- Secretário da Justiça. 
Depoimentos em desabafo não soam isentos.
Fala da atuação do Lula como informante do Dops. Pode ser. A guerra pelo poder entre os metalúrgicos do ABC era uma realidade.
O Congresso e o STF passam incólumes no livro.
Menciona com detalhes as famosas operações da Polícia Federal.
Riqueza de detalhes no episódio do assassinato do prefeito Celso Daniel. Mostra que é um caso solucionado e com evidente culpa de petistas de alto coturno.
Tipo de leitura que esclarece porém não acrescenta praticamente nada.
Resumindo: estamos lascados.

ER
 

BRASIL, MEU BRASIL BRASILEIRO

 
Tempos atrás aconteceu o escabroso caso de grampeamento dos telefones dos Ministros Juízes do STF. Deu o que falar, ou melhor, deu o que escutar. Absurdo.
O Tuminha, no seu livro "Assassinato de Reputações" (comentaremos no blog), aborda o caso e afirma que o famigerado grampo foi feito com a utilização de uma "maleta francesa". Normalmente esse artefato é utilizado para rastrear celulares em presídios.
Diz ele, que a tal maleta derruba os sinais das operadores e toma o lugar delas. Ela ocupa o espaço não só das operadoras como também das estações repetidoras de sinais dos celulares. Com ela é possível identificar números de celulares, seus IDs, rastreá-los, localizá-los milimetricamente, ouvir e gravar suas conversas.
Basta estacionar com o veículo próximo ao local onde a conversa se realiza e captar a frequência do aparelho desejado. Ela pega, digamos, os números dos 50 telefones próximos, e os mostra no display. Acha-se o telefone da pessoa a ser grampeada nessa tela e basta selecioná-lo. Até torpedo poderá ser enviado pelo telefone grampeado.
E daí ?
Por que na terrinha, algum apaixonado por eletrônica não teria, para seu lazer, um artefato desses ?
Sei não...
 
ER