segunda-feira, 31 de março de 2014

CANTINHO DA SALA


Depois de 20 meses de restauração, a emblemática pintura "Mural", de Jackson Pollock, está em exibição no Getty Center.
A obra de 1943, encomendada pela colecionadora Peggy Guggenheim para o seu apartamento de Nova York, chegou ao Getty Center em 2002 para uma profunda pesquisa sobre os materiais usados pelo artista, que à época da realização de "Mural", começava a flertar com a técnica pela qual seria reconhecido, o derramamento de tinta, ou "dripping"
Em tempo:
O Getty Center é um complexo cultural localizado em Brentwood, um bairro da cidade de Los Angeles nos Estados Unidos. No complexo encontram-se uma série de órgãos ligados ao bilionário Jean Paul Getty.

Ilustríssima

ER

AI QUE SAUDADE DA DITADURA

No tempo da ditadura é que as coisas funcionavam. Não era essa balbúrdia, não era essa zona. Tinha dono no pedaço, a gente sentia que tudo caminhava segundo um projeto, um projeto de Brasil grande, de país do futuro.
Hoje eu vi um menino de rua pedindo dinheiro a uma Ferrari. Ou melhor, ao motorista da Ferrari, que provavelmente é gente de carne e osso, como nós. Estavam ali na avenida Giovanni Gronchi, em São Paulo, no bairro do Morumbi. Estavam ali na avenida Giovanni Gronchi, em São Paulo, no bairro de Paraisópolis. Ali, uma das maiores favelas do Brasil, segundo o IBGE.
É tudo uma questão de ponto de vista.
No tempo dos militares não haveria o menino de rua. [Nem ponto de vista.]
No tempo da ditadura, dura mesmo, as coisas funcionavam. Os militares não roubavam: não havia mensalão, trensalão, corrupção. Nem petralhas nem tucanalhas, em 1964 eram todos unidos por um fim: o Brasil. Todos gritavam juntos, nas ruas, nos quartéis, nos porões, na selva e no pau de arara: “Viva o Brasil!”.
Até a cultura era melhor, na ditadura. Hoje não se produz nada que preste. E a economia ia bem: havia uma abundância de empregadas domésticas pra gente escolher – dormiam no quartinho dos fundos, felizes. Que maravilha, os aeroportos viviam quase vazios.
As ruas eram limpas: nada de bêbados, nada de equilibristas.
A saúde era uma maravilha. As escolas públicas tinham qualidade. Todo mundo sabia cantar, de cor, treze hinos: nacional, da República, da Independência, da Marinha, da Aeronáutica, do Expedicionário, da Revolução Constitucionalista de 1932 etc. Quantos desses você conhece? Morreu a cultura.
Nasci nos anos 1990, que pena, mas tenho saudades disso tudo. Hoje eu posso falar: ai, que saudade da ditadura. Faço marcha, peço intervenção militar, peço o fim da corrupção dos partidos, o fim do Congresso, de toda essa bandalheira.
1. O Brasil precisa de uma ditadura para ser levado a sério pela Fifa.
2. As mulheres precisam de uma ditadura para se darem ao respeito.
3. Os vagabundos precisam de uma ditadura para aprender a trabalhar.
Hoje eu posso falar: ai, que saudade da ditadura. Hoje eu marcho na av. Faria Lima pedindo ditadura. Reúno amigos em Moema para debater ditadura, distribuo panfletos no Leblon pela ditadura, tenho seis grupos no Face; até compus uma marchinha.
Só a ditadura salva a democracia. 
*Contém ironia.
 
Renato Essenfelder (p/ o Estadão)

CARTA QUE NÃO ENVIEI (AINDA)

Itajubá, 31 de março de 2014
 
Senhor Prefeito Municipal Rodrigo Riera
CC aos Senhores Secretários
 
Foi me entregue numa esquina da terrinha, um pequeno panfleto anunciando os "Shows" que acontecerão por ocasião da 33º Expo de Itajubá a ser realizada no Parque de Exposições da Cidade.
Deverão ser aplicados de 30 de abril a 4 de maio.
Nunca ouvi falar das duplas Munhoz&Mariano, Thaeme&Thiago e do Senhor Lucas Luco. Do conjunto Capital Inicial, já.
Imagino, que tirando o conjunto citado, todos sejam da linha "sertanejo universitário".
Há quem aprecie.
Não somos contra e temos absoluta convicção da não existência de recursos públicos empenhados no evento. (e tão pouco de camarotes "especiais")
Como moradores da Boa Vista e seguidamente atingidos na alta madrugada pelo ribombar de ruídos vindos daquele local, rogamos de V.Sas que adotem providências no sentido que, após às 24:00 horas, o som se restrinja ao local da apresentação.
Ficaremos gratos ao verificar a lei cumprida e os nossos ouvidos poupados. 
Registrem a observação no alvará a ser concedido aos senhores realizadores.
Estamos tendo o cuidado de alertar as autoridades com 30 dias de antecedência.
 
Certo de seu entendimento.
 
ER

PANORAMA VISTO DA BOA VISTA

Milhares de artigos e reportagens, nos últimos dias, falam sobre o golpe militar de 1964.
Resumo, na opinião de um humilde observador:
 
Já concordei com o nome de "revolução de 64". Hoje, creio que o título de "golpe" define melhor.
Lembro-me do 31 de março e 1º de abril de 1964. Vivia na Boa Vista, é claro, os meus lúcidos 16 anos. Acompanhava a política pelo rádio, um pouco pela TV e muito pelos jornais.
Tirando o pessoal do governo e uma fatia mínima da imprensa, o país aplaudiu de pé a deposição do Jango Goulart.
O Brasil estava virando uma zona. A disciplina era zero. Até Cabo da Marinha dialogava direto com o Presidente da República.
Jango não era comunista. Simplesmente estava perdido.
Os militares, no princípio, foram carregados nos ombros. Prometeram eleições diretas para o ano seguinte, 1965. Foram pegando gosto pelo poder, ficando, ficando.
Iniciaram-se os movimentos pela volta da normalidade. Surgiram os movimentos para trocar uma ditadura por outra.
O Presidente Castelo, até que era mais ou menos. A coisa engrossou de vez com a "eleição" do Costa e Silva.
Escureceu totalmente com a triste edição do AI-5, em dezembro de 68.
Os militares confirmaram suas intenções quando da doença do Costa e Silva,  a posse dos "três patetas" e o triste chapéu no Vice Pedro Aleixo.
Colocaram as garras de fora no Governo Médici (período mais duro da repressão). Enfrentaram a crise mundial do petróleo com o Geisel. Fim do milagre brasileiro e começo da distensão política.
Na sequência entrou o rude, para não dizer grosseiro, Figueiredo, que dizia apreciar mais o cheiro de cavalos do que de gente.
Meio que malemá, voltou a democracia com Tancredo Neves. Era para ser o início da mudança.
O destino empurrou para o comando o Sarney. Sim, esse mesmo que atua como imperador do Maranhão.
Pulem o governo Collor.
Aos trancos e barrancos, com privatizações, não muito claras, imposição de responsabilidade fiscal e estabilidade na economia (pulem projeto de reeleição), FHC cumpriu o seu papel.
Desde 2002 o país vive e assiste o aparelhamento do Estado pelo PT.
A premiação da incompetência, a compra de votos através de "programas", dirigentes partidários cumprindo penas em celas, mentiras sem fim, parcerias com ditadores de plantão, esfacelamento de empresas públicas e corrupção desvairada.
Aconteceu incompetência dos militares ? Sim. Corrupção nos outros governos que passaram ? Sim.
Mas nunca de maneira tão escandalosa e aviltante.
 
É a vida...
 
ER

     

MORDAÇA TÉCNICA



Mastercabo, a razão do nosso silêncio.

Clarin da Boa Vista

domingo, 30 de março de 2014

SOB A LUZ DE VELAS

 
 
Sou e continuo a ser um pessimista em relação a todos os governos. O otimista é apenas um mal informado.

Carlos Heitor Cony

OUTROS TEMPOS

Acontece hoje a Final do Torneio de Tenis Sony Open em Key Biscaine, na Flórida.
Tirando as disputas de  "Grand Slam", é um dos mais badalados torneios do planeta.
Ontem a Serena Willians, venceu, mais uma vez, a final feminina.
Hoje teremos a final dos sonhos de todos os aficionados do esporte:
Djokovic x Nadal
O público entrará em delírio com as ajeitadas na cueca dadas pelo espanhol Nadal.
Segundo o site da Rádio Jovem FM uma seleta comitiva itajubense está presente na paradisíaca região prestigiando o evento.
Outros tempos.
Em épocas outras, num domingo come esse, meia dúzia de Kombis saiam de madrugada, lotadas, para assistir as finais de futebol no Maracanã e Pacaembu. No Mineirão era difícil. Muito longe e a Fernão Dias perigosa.
Isopor com tubaína, farofa de frango, arroz de forno e macarronada, não faltava. Para beliscar, o famoso pão com lascas de torresmo.
Tenis ? Só  Conga e Sete Vidas.
Os pioneiros no esporte na terrinha, foram uns oficiais da Imbel.
Durante certo tempo, o sonho da molecada itajubense era surrupiar uma daquelas bolinhas peludas que escapavam fora da quadra. Ficavam carecas nos rachas de rua e nos jogos de Béti.
Itajubá está se refinando.
Só nos resta curtir uma invejazinha da moçada.
O duro será voltar na segunda-feira e ter que conversar com esses vereadores chatos, reclamações sobre a Valônia, Casa da Criança...Argh !
É a vida. ER 
   

 


CONCEDA-ME O PRAZER DESSA DANÇA ?


sábado, 29 de março de 2014

MOÇA BONITA

Bar

TATARAVÔ

 
O PT exige que seja incluido nas investigações  da CPI da Petrobrás o possível sobrepreço  na compra de armamentos na Guerra do Paraguai. Será citado o Barão Cardoso, tataravô de FHC.  
 
Clarin da Boa Vista
 
 

BAIXO ASTRAL


sexta-feira, 28 de março de 2014

DOCE JOANA



Parabéns Joana. Prepare os doces. Estamos dando um pulinho aí para te dar um abraço apertado. Feliz Aniversário.

ER

TEJE PRESO !


Os comentários de apoio não param de chegar ao perfil da guarda municipal Leonara Naves em uma rede social. De Três Pontas, ela acaba de 'fisgar' a posição de guarda mais bonita do Brasil. O resultado foi divulgado nesta semana na página do concurso na mesma rede social na internet.
 
G1

É DISCO QUE EU GOSTO



PAULO VIEIRA PEIXOTO
Quando fui a um baile do Clube Itajubense, pela primeira vez, assustei-me vendo aquele moço dançando sozinho. Eu já o conhecia da Boa Vista. Ainda não estive em bailes do Itajubense em que ele não estivesse presente. Sempre preciso, dentro do ritmo e esquecido do mundo, como se o baile fosse promovido só para ele.
Quando iniciamos nossa participação na Diretoria do Clube, notamos a sua falta. Razão: Desentendeu-se com uma das Diretorias anteriores e afastou-se do Clube, deixando inclusive de ser sócio.
Nós o procuramos, combinamos e negociamos a sua volta ao quadro social e eis o Sr. Paulo dançando novamente e,como sempre, sozinho. Raramente o vemos dançar acompanhado.
Creio que não conseguem acompanhar os seus criativos passos.
Falo do COELHINHO, como é mais conhecido. Quem dançou no clube conhece o Coelhinho. É totalmente impossível não conhecê-lo.
É uma mistura de Fred Astaire, com Gene Kelly e para ser mais moderno, com o Justin Timberlake.
Quando trouxemos para tocar no clube a grande orquestra de Severino Araújo, tive a oportunidade de jantar com o grande maestro e arranjador no restaurante Xodó, antes do baile.
O Sr. Severino é uma lenda nos salões do Brasil. Disse -lhe sobre o Coelhinho e lhe pedi que abusasse do som das Big Bands americanas. Não deu outra. Por pouco o Coelhinho não toma todas as atenções. Faz parte da história do Clube Itajubense e merece ser homenageado por isto.
Tem uma coisa: Com o Coelhinho não existe esse negócio de dois prá lá, dois prá cá.
 
Viver é Perigoso 08/01/2010
ER

DEFINITIVAMENTE !

Definitivamente ! Conforme já admitido pelo próprio Prefeito Rodrigo, a comunicação não funciona na atual administração.
Logo no início do governo tentei falar com o Secretário,  Professor Antônio Rosa.
Não por culpa dele, sempre muito educado e solicito, mas não deu certo. Pelo site da Prefeitura ele continua o responsável.
Canso de ler nos jornais da cidade (exceto o Itajubá Notícias) a repetitiva nota: "A prefeitura foi procurada e consultada e ainda não foi obtida resposta até o fechamento da edição".
Realmente, dizer não e não dar notícias boas é uma arte.
Imagino que o pessoal da Administração (totalidade) encontra-se sem nenhuma autonomia (comunicação externa), não atentando, que confiança e a consequente liberdade para se expressar, não é concedida. É conquistada.
Entrevista na Rádio Futura não conta.
Aparentemente vivem sob o regime do medo. Não diretamente do Prefeito, mas do recebimento de críticas dos próprios companheiros e lógico, dos especialmente próximos do Chefe.
Trata-se de um estilo antigo de administrar, trazendo o time sempre assustado, que termina ficando feliz com um simples bom dia ou um sorriso .
Toda essa conversa para registrar a coça que o Rodrigo Riera está levando na tal de Rede Social.
Tudo de ruim que acontece na terrinha, crimes, assaltos, shows, buracos, atrasos nos repasses de subvenções, saúde, trânsito, calor excessivo, lixo, mastercabo, acidentes nas estradas, pouca chuva, pernilongos, vereadores, Dilma,Petrobrás etc tem o dedo do Prefeito.
Pegam mais nas promessas de campanha.
Em muitas das críticas os internautas têm razão. Em muitas, trata-se de desinformação ou pura pirraça.
Ou a equipe da prefeitura se adapta a internet e as novas formas de comunicação, ou tchau e benção.
Corremos o risco de assistir ao inusitado: candidatos na eleição de outubro dispensarem ou não fazer questão de apoio explícito na campanha. Seria o fim da picada.
Com uma equipe de personalidade forte, as críticas seriam, na maioria das vezes, dirigidas ao responsável pela área, que prestariam os esclarecimentos de imediato.
Quietinhos garantindo as suas posições, sobra tudo para o Prefeito.
Resumindo: Dos Secretários, pessoalmente conheço o Prof. Rosa, Christian (acumulando duas secretarias), O Nilton, Robson, Peter, Zé Henrique, Zambrana, Alfredo e o Ado Mauad.
Penso que muitos que vieram de fora estão ainda conhecendo o povo e a cidade.
Já que não tem saída, o jeito seria convidar uma especialista para ocupar a área.
Celinha Rennó. Daria certo junto com a Ana Paula.
É preparada. Tem credibilidade. Se expressa bem. Conhece a cidade e as pessoas. É educada. Bate forte quando necessário e se não se sentir bem joga tudo para cima.
Ah...mas é do PT.
 
ER  

IBOPE INFORMA


Fato: Dilma despenca, confiança aumenta. Bolsa sobe. Dólar cai.

É a vida.

ER

quinta-feira, 27 de março de 2014

ASSUNTO DE MINEIROS

 
"Eu me mantenho fiel ao entendimento que sustentei nas ações 333 (Ronaldo Cunha Lima), e 396 (Natan Donadon), pois a renúncia do réu não pode ser motivo para esquivar ou retratar a ação penal. No caso em análise, a renúncia do réu poucos dias depois da ação teve como finalidade evitar o julgamento."

Ministro Joaquim Barbosa

Blog: O Ministro, mais uma vez, está com a razão.

ER

ERA O QUE FALTAVA

 
O senador Fernando Collor  abriu, na manhã desta quinta-feira, o 1º Fórum Nacional de Infraestrutura chamando atenção para a necessidade de o país desatar seus entraves logísticos se quiser de fato crescer economicamente. Segundo ele, após o período recente de desenvolvimentos de diversos setores, como agropecuário, industrial e social, os problemas ficaram ainda mais evidentes.
- Se antes as precárias condições de nossa infraestrutura eram de certa forma amainadas pela baixa demanda de serviços em setores como transportes e energia, hoje não há mais como escondê-las. A ascensão de significativa parcela da população à classe média descortinou, por exemplo, a necessidade de uma nova estrutura aeroportuária, assim como os sucessivos recordes da safra agrícola clamam por um sistema completo de armazenagem e escoamento. Sem estrada e transporte, a economia não anda; sem energia, ela se apaga; sem sistema de comunicação eficiente, ela se cala; sem saneamento, ela adoece - afirmou.
Ao lembrar que o saneamento é outro problema grave de infraestrutura e que passa despercebido dos governos por ser considerado um "filho rejeitado das políticas públicas", Collor sugeriu a criação do Mais Engenheiros, nos moldes do programa Mais Médicos, lançado recentemente pelo governo federal.
- Sabemos que um dos principais déficits desse setor está relacionada à precariedade de projetos, especialmente no âmbito dos municípios, que não têm engenheiros. Talvez tenhamos que instituir o Mais Engenheiros para suprir as carências de projetos nos mais longínquos rincões do país, onde o problema é ainda mais latente.

247

LEMBRANÇAS



Lembranças. Comercial de cerveja tenta mostrar Marylin, Tupac Shakur, Elvis, Bruce Lee e Kurt Cobain vivendo numa ilha. Ah ! e uma referência aos Beatles (moça se chama Jude).

ER

É DISCO QUE EU GOSTO


PRÁ PENSAR

 
Os maiores lucros e valores estão ainda longe de serem apreciados. Chegamos facilmente a duvidar de que existam. Logo os esquecemos. Constituem, entretanto, a realidade mais elevada.
A verdadeira colheita do meu dia a dia é algo tão intangível e indescritível quanto as matizes da aurora e do crepúsculo. O que tenho na mão é um pouco da poeira das estrelas e um fragmento do arco-íris.
 
Thoreau

PODES CRER


quarta-feira, 26 de março de 2014

ACREDITAMOS !

Não vai ficar pedra sobre pedra.

Graça Foster - Petrobrás




Clarin da Boa Vista:  "Não temos dúvida disso!"

Clarin

SPONHOLZ FAZENDO HORA EXTRA


É DISCO QUE EU GOSTO


O FIM DA PICADA !


Dan Dennett  é um homem pausado. Com barba branca, aspecto de catedrático entranhável e andar tranquilo, ninguém esperava quando subia os degraus até o palco que o respeitado filósofo norte-americano estava a ponto de pronunciar um discurso que ressoa ainda pelos corredores do teatro: 
 
 “A Internet cairá e quando isso aconteça viveremos ondas de pânico mundial. Nossa única possibilidade é sobreviver às primeiras 48 horas. Para isso temos de construir —se me permitem a analogia— um bote salva-vidas”.
 
Os botes salva-vidas são, segundo Dennett, o antigo tecido social de organizações de todo tipo que se viram (quase) aniquilados com a chegada de Internet. “Algumas tecnologias nos tornaram dependentes e a Internet é o máximo exemplo disso: tudo depende da rede. O que aconteceria se ela caísse? Nos Estados Unidos tudo desabaria em questão de horas. Imagine: acordar e a tevê não funciona. Obviamente não tem sinal no celular. Você não tem coragem de pegar o carro porque não sabe se essa vai ser sua última reserva de gasolina e os únicos que se prepararam para isso são todos esses malucos que constroem bunkers e armazenam armas. Certeza de que queremos que eles sejam nossa última esperança?”.
 
Dennett, famoso por suas teorias sobre a consciência e a evolução, explica ao jornal:
“O que digo não tem nada de apocalíptico, pode falar com qualquer especialista e lhe dirá o mesmo que eu, que é questão de tempo a rede cair. O único que digo é que deveríamos preparar-nos: antes costumava haver clubes sociais, congregações, igrejas, etc. Todo isso desapareceu ou vai desaparecer. Se tivéssemos outra rede humana pronta... Se você soubesse que pode confiar em alguém, em teu vizinho, em teu grupo de amigos, porque previram a situação, não estaria mais tranquilo?”, pergunta Dennett, sentado em uma cadeira e acariciando-se a barba enquanto mastiga cada palavra.
 
O filósofo tem certeza: “a Internet é maravilhosa mas temos que pensar que nunca fomos tão dependentes de algo. Jamais. Ao pensar a respeito, é bastante irônico que o que nos trouxe até aqui possa levar-nos de volta à idade de pedra”, argumenta.
 
O professor, considerado dono de uma das mentes mais brilhantes das últimas décadas, tem claro como chegamos até aqui: “Da invenção da agricultura, há 10.000 anos, a cultura evoluiu de um modo puramente darwiniano mas a chegada da tecnologia acelerou esse processo até um ponto imprevisível. Quem compra música agora? E livros? O mesmo pode ser dito do cinema ou de qualquer outra disciplina artística. O papel da cultura mudou completamente, exatamente o mesmo que acontece com a religião. E a tecnologia tem um papel muito relevante em tudo isto”.
E pergunta-se: “Tem isto solução?”. E responde: “Claro, os humanos somos incríveis prevenindo catástrofes. O que acontece é que ninguém recebe uma medalha por algo que não aconteceu. Os heróis são sempre os que atuam a posteriori, mas não tenho nenhuma dúvida de que a humanidade saberá se preparar para o que está por chegar. Há 20% de possibilidades de que esteja equivocado, também podemos nos agarrar a isso”.
 
El País

FRASE DO DIA

 


"A coisa mais difícil de ganhar na vida é confiança. Em tudo, não só na economia. O rebaixamento é um sinal de desconfiança. É negativo para o país".

Fernando Henrique Cardoso,

É A VIDA...

Os judeus sefarditas, originários de Portugal e Espanha, há anos não eram reconhecidos por suas origens. Entretanto, o governo espanhol decidiu se redimir com esse grupo, expulso do país em 1492, e devolver a cidadania aos seus descendentes. O Parlamento publicou um anteprojeto que propõe a concessão a qualquer um que prove ser descendente dos sefarditas. Um dos critérios considerados será o sobrenome. Aquele que constarem nas listas oficiais de famílias do ramo judeu poderão ser beneficiados. Ao todo, cerca de 5 mil sobrenomes pode ser contemplados.
O governo modificará seu Código Civil e beneficiará "os cidadãos estrangeiros sefarditas que comprovem essa condição e sua vinculação especial com o país, ainda que não tenham residência legal na Espanha, independente de sua ideologia, religião ou crenças". Ainda haverá um debate sobre o tema, mas espera-se que a lei seja aprovada em pouco tempo.
Vários sites relacionados a organizações judias ou focados no público judeu mantêm a lista abaixo com prováveis nomes de famílias sefarditas. Confira:

Raa, Raabe, Raba, Rabetta, Raga, Raigada, Raigosa, Ramírez, Ramón, Ramos, Randel, Randuro, Rangel, Raphael, Rauda, Raudes, Raudez, Raventos, Raventós, Raygada, Rayo, Rayos, Real, Reales, Reazco, Recinos, Recio, Redondo, Regaño, Regidor, Regueira, Regueyra, Reich, Reina, Renderos, Rendón, Reñazco, Repeto, Repetto, Requene, Requeno, Requeño, Rescia, Resenterra, Restrepo, Retana, Reuben, Revelo, Revilla, Revollar, Revollo, Rey, Reyes, Reyna, Riba, Ribas, Ribera, Ribero, Ricardo, Ricaurte, Riera, Rileva, Rincón, Río, Ríos, Riotte, Rivalta, Rivardo, Rivas, Rivel, Rivera, Rivero, Riverón, Riveros, Rizo, Roa, Roba, Robelo, Roble, Robles, Robleto, Roboz, Roca, Rocabado, Rocca, Roch, Rocha, Roda, Rodas, Rodesma, Rodesno, Rodezno, Rodó, Rodo, Rodrigo, Rodríguez, Roe, Roig, Rois, Rojas, Rojo, Roldán, Romagosa, Román, Romano, Romero, Roque, Rosa, Rosabal, Rosales, Rosas, Rouillón, Rovillón, Rovira, Roviralta, Roy, Royo, Roys, Rozados, Rozo, Ruano, Rubí, Rubia, Rubín, Rubino, Rubio, Rucavado, Rudín, Rueda, Rugama, Rugeles, Ruh, Ruilova, Ruin, Ruiz, Romoroso, Russo.

Veja listagem  no site htpp://administradores.com.br/noticias/cotidiano
 
ER

 

CRISTALINO


terça-feira, 25 de março de 2014

PAULO FRANCIS E A PETROBRÁS


Não era, por natureza e vontade, um jornalista investigativo. Sempre bem informado, culto e o mais inteligente em sua época, Paulo Francis morreu quando estava sendo processado nos Estados Unidos, morte quase súbita, após um período de depressão.
Ele vinha fazendo severas acusações ao pessoal da cúpula da Petrobras, que estaria enriquecendo por conta de negócios criminosos relativos à compra de equipamentos na área do petróleo.
Não sendo investigativo, não juntou provas, mas, de alguma forma, sabia de escândalos assombrosos naquela estatal.
O processo corria na Justiça norte-americana, famosa por sua rigidez em casos de multa por infâmia e ofensas morais.
Todos sabíamos que Paulo Francis, apesar dos bons e merecidos salários que recebia, não teria recursos para pagar a astronômica indenização que eficientes advogados de Nova York, pagos pela Petrobras, haviam pedido por conta das suas acusações. Acabrunhado, sem cobertura na mídia, mal atendido por um médico brasileiro radicado nos Estados Unidos, o coração de Paulo não aguentou.
Março de 2014. Mal refeita do escândalo do mensalão, a sociedade toma conhecimento de um escândalo maior e mais imoral. Apesar de dona Dilma ocupar à época a Casa Civil e presidir o Conselho de Administração da Petrobras, tal como Lula no caso do mensalão, não sabia de nada. A refinaria de Pasadena comprada por preço absurdo –mais de oito vezes o seu valor no mercado– deu para enriquecer muita gente dentro e fora da Petrobras.
Nos anos 90, Paulo fez um comentário sobre o enriquecimento de alguns funcionários da nossa maior empresa estatal em um programa de televisão. Repito: Paulo não era investigativo, mas era inteligente e bem informado.

Carlos Heitor Cony (P/ Folha)

O GRANDE MUDO

 
 
Convenientemente mudo. Fica como passarinho na muda. Foi assim com o mensalão. Declarou que após o fim do julgamento diria toda (a sua) verdade. Calou-se e sumiu quando o vexame da Dona Rose veio a tona. Nem um pio.
No caso dos escândalos da Petrobrás, virou um túmulo.
Longe desses episódios, é uma verdadeira matraca de semana santa.

ER

PARA PENSAR

 
Mais que amor, dinheiro e fama, dai-me a verdade. Sentei-me a uma mesa em que a comida era fina, os vinhos abundantes e o serviço impecável, mas faltavam sinceridade e verdade e fui-me embora do recinto inóspito, sentindo fome. A hospitalidade era fria como os sorvetes.

Henry David Thoreau

CANTINHO DA SALA

Willem de Kooning

BIG BOSS


segunda-feira, 24 de março de 2014

SOB A LUZ DE VELAS

 
 
Fora de campo o Brasil já perdeu a Copa do Mundo. Acredito e torço para que ganhe dentro do campo.

Romário

É DISCO QUE EU GOSTO


DEU NO JORNAL

 

Nunca antes na história deste país uma empresa foi tão saqueada como a Petrobrás.

Clarin da Boa Vista

DIA DE FESTA


Aconteceu !
O Vereador Wilson Marins, com coragem, ouviu todos os argumentos apresentados e esclarecido, enfrentando toda a sorte de pressão, votou contra o triste projeto de Lei Professor Rui, que legalizaria  o martírio dos animais nos rodeios.
Wilson, acompanhou a posição sempre firme dos Vereadores, Ricardo, Joel, Santi e Sebastião Silvestre.
Imaginamos a luta do Sebastião Silvestre para manter o seu voto e entendemos o silêncio do Vereador Orlando. 
Projeto de Lei rejeitado pela maioria.
Notícia interessante foi dada pelo Vereador Wilson:
Deverá entrar com um projeto de lei proibindo rodeios na terrinha.
Agora vai.

ER
    

CONVERSÃO !


Conversões para a prática do bem estão cada vez mais raras. Caso não ocorra nenhuma conversão, o famigerado, pobre, ridículo, extemporâneo e interesseiro projeto de lei, apresentado e defendido, veementemente pelo Prof. Rui Martins (para espanto dos seus amigos), deverá se tornar hoje uma triste realidade.
Deverá ser sacramentado pelos vereadores de Itajubá. Estará liberado e pior, devidamente regulamentado o sacrifício de animais no Coliseu a ser construído na terrinha.  Construção em andamento, segundo informações recebidas pelo blog, ao lado do futuro Palácio da Justiça e também o Palácio do Legislativo.
Defronte ao Prédio da Prefeitura e praticamente dentro do Parque Tecnológico.
Confirmando e em se tratando de Itajubá dos novos tempos, tudo faz sentido.
Rui, Waldomiro, Zé Maria, Wilson e Fernando desde o início aprovam e defendem o projeto, possivelmente, convencidos pelo Executivo.
Sebastião Silvestre, que pensava diferente, deve ter sido emparedado pelo seu partido (PMDB) e aprovar a legalização das chacinas.
Orlando, um homem ponderado, não deverá ter outra alternativa. Votar pela aprovação do projeto. Afinal, respeitado suplente, só assumiu o cargo pelo deslocamento do Robison para o Secretariado.
Então, batalharão pela lucidez, como sempre, o Ricardo, Santi e Joel. Ah ! e o povo, que desde o início desse governo vem sendo tratado como minoria absoluta.
Mas...uma forte luz pode ter clareado a visão de um dos vereadores defensores do martírio dos animais. Conversão.
 
É a vida.

ER

COMO NUNCA ANTES NESTE PAÍS


domingo, 23 de março de 2014

sexta-feira, 21 de março de 2014

SOB A LUZ DE VELAS

 
 
"Se o governo assumisse o gerenciamento do Saara, em poucos anos faltaria areia naquele deserto".

Milton Friedman

VAMOS COM CALMA !

 
Isso vai virando piada no Brasil. Cálculo do número de pessoas presentes num evento. Quando acontece a Parada Gay em São Paulo, os favoráveis ao movimento estimam os participantes em 3 milhões. Quando da Marcha dos Evangélicos, os crentes imaginam 5 milhões de fieis na caminhada.
O pessoal de comunicação da Prefeitura da terrinha informou que 25.000 pessoas "cantaram parabéns" no Show do Chitãozinho e Xororó.
Penso eu: O pessoal da terrinha não é chegado a ficar muito colado a estranhos. Povinho desconfiado, entre os quais me incluo.
Tirando o pessoal da turma do gargarejo, que fica em transe na frente do palco, quando muito se pode contar com 2 pessoas por metro quadrado (média).
25.000 pessoas ocuparam um espaço de 3x4 quilômetros.
Então vejamos: 4 kms de comprimento ( tinha gente até na ponte do mercado), por 3 quilômetros de largura (tinha gente da ponte da avenida até o hospital).
Ou tinha um na cacunda do outro.
Nada contra a festa. Já disse aqui que o povo merece.
Mas vamos maneirar na estimativa.
1/4 de Itajubá teria saído de casa no dia 19.

ER

TUDO A VER !



É bom ficar atento.
 
Numa Pasadena o Brasil teve muita alegria. Grande conquista.
Foi no dia 17 de julho de 1994. O Zelador estava lá ao vivo e em cores quando o Roberto Baggio bateu o pênalti nas nuvens. Muita festa nas ruas da cidade da Califórnia, próxima de Los Angeles. Foi no Rose Bowl, com 94.000 testemunhas.
 
A Pasadena, hoje nas páginas policiais dos jornais, fica no Texas. Nas proximidades de Houston. Cidade com 150.000 habitantes onde a Petrobrás petista enterrou, praticamente, US$ 1,2 bilhões.
A palavra correta é enterrou.
 
O lugar já foi num passado distante, esconderijo do famoso pirata Lafite. Hoje constatamos que foi um amador.
 
Está no Google:
"O ex - congressista americano, Ray Barnhart, descreveu Pasadena como uma bela comunidade, mas politicamente corrupta."
 
Em 1965, o repórter Gene Goltz recebeu o Prêmio Pulitzer pelo seu livro "The Pasadena Story" por expor um governo corrupto da cidade, na década de 60.
Através de minuciosa elaboração de relatórios, ele gradualmente revela um sistema de subornos, pagamentos secretos e negócios estranhos. 
 
A refinaria da  Petrobrás se chama "Pasadena Refining System"
 
É a vida.

ER


FOGO AMIGO


quinta-feira, 20 de março de 2014

"BARBA" DOIDO PARA ENTRAR

 
Para tristeza dos lulistas, Dilma continua firme no Ibope. Lula continua no aquecimento a beira do gramado.

Clarin da Boa Vista

DANCE COMIGO



Li hoje no site da JovemFm informação sobre o tratado na reunião do Conselho Universitário da Unifei, ocorrida na última segunda-feira. O Eng. Mafra, diretor da Jovem é membro do referido Conselho.
 
Até os alunos do Grupo Escolar Rafael Magalhães sabem do interesse do governo federal na criação de novos cursos de medicina. O assunto deve ter chegado até a Unifei.
Pois bem, não conheço os detalhes, mas penso estarmos diante de mais uma "passada de perna" na terrinha. Virou festa.
O Conselho da Unifei analisou a possibilidade e concluiu pela criação de um Curso de Medicina.
Como sabem, a nossa centenária Escola tem uma extensão em Itabira. Cidade mais ou menos do porte da nossa, mas com uma receita anual, quase quatro vezes maior.   
Estão sentados ?
Vieram para a reunião mencionada, o Prefeito de Itabira, que é médico, o Vice-Prefeito e o Secretário da Saúde daquela cidade. 
Movimentam-se para criar dentro da Unifei - Itabira, um curso de medicina e posteriormente de enfermagem e farmácia.
Para um salto desse tamanho é necessário, a cidade querer, o município se envolver e o apoio do governo federal.
Eles (Itabira) querem, o município está interessadíssimo, devem ter bons contatos com o MEC e de quebra, têm a empresa Vale, que pode e deve ajudar.
E nós ?
O pessoal da FMI veria com bons olhos uma Federal de Medicina na terrinha ? Tenho dúvidas.
Os dinossauros eletrotécnicos não se chocariam com jalecos brancos no Campus do Pinheirinho e aceitariam a inclusão de uma cobrinha, junto ao raio e a engrenagem, na logomarca da Unifei ?
O nosso Prefeito, Vice e Secretário da Saúde teriam a mesma vontade e disposição para ajudar na implantação do curso aqui na Unifei ? 
Teríamos algum apoio na esfera federal ?
Da Câmara não falo. Estão preocupados com laços, esporas, bois e cavalos.

Creio que nessa já dançamos bonito.

ER

MAIS IGUAIS

 
"Todos são iguais, mas alguns são mais iguais do que outros."
 
George Orwel
 
Alguns duros comentários sobre o tratamento especial para os convidados especiais do Show do Chitãozinho & Xororó, promovido pela Prefeitura em comemoração ao aniversário da terrinha.
O pessoal tem razão. Em eventos bancados pelo poder público não é inteligente acentuar privilégios.
Lógico e normal o tratamento especial ditado por Lei para idosos, grávidas, crianças e portadores de condições especiais.
Estamos num regime de igualdade. Abaixo o tratamento diferenciado para políticos, autoridades, elite e amigos da corte.
Não estive lá para ver (estava longe na festa de aniversário),  mas não concordo. Caso convidado (o que não aconteceria nunca), agradeceria e não me aboletaria em cabines, camarotes e estacionamentos vips.
Mas fazer o que ? tem muita gente que gosta.
Precisavam ouvir o que o povo murmura lá embaixo...
É a vida.
 
ER
  

QUE DUREZA !


MOÇA BONITA

Lupita

quarta-feira, 19 de março de 2014

AGUENTA CORAÇÃO - O RETORNO

Post publicado no "viver é perigoso" no dia 16 de dezembro de 2012 - Continua valendo !

"O duro na vida é quando não sentimos mais indignação com os malfeitos dos governos e passamos a sentir apenas tristeza.
Se confirmada a denúncia da "Veja" desta semana (sempre ela), que a Petrobras comprou, 50% de uma refinaria sucatada localizada nos EUA, pagando US$ 360 milhões a um grupo belga (Astra). Que a Astra a havia adquirido em 2005 por US$ 42,5 milhões. Que por razões de contrato e intervenção da justiça americana , a Petrobrás teve que pagar US$ 839 milhões pelos outros 50%, totalizando na aquisição US$ 1,199 bilhões.
E hoje, tenta (a Petrobrás) a se desfazer do "mico", encontrando  no mercado a proposta máxima de US$ 180 milhões.
Cadeia em regime fechado para todos os responsáveis, com ressarcimento do prejuízo é pouco.
E reparem, o presidente da empresa era o petista baiano Sérgio Gabrielli e a  Dilma, como ministra, sabia e sempre soube da história toda.
Espera-se que esclareçam tudo urgentemente. É o mínimo que devem fazer  de imediato.
Depois, se comprovado, a justiça verá como as coisas ficam.
Ou seria apenas mais um ataque da "irresponsável" mídia oposicionista  ? "

ER

GERENTONA


CENTO E NOVENTA E CINCO ANOS

By Saulo Caridade
Meus avós paternos, vindos da Espanha e da Itália, andaram, andaram e aqui se firmaram. Meus avós maternos vieram de São João da Cristina direto para o Morro Chic. Aqui ficaram.
Minha mãe telefonista e meu pai padeiro, casaram-se no final da guerra. Em 1945.
Aqui nasci, cresci, estudei, namorei, casei e me formei. Duas filhas aqui vieram nascer. O menino, não deu tempo. Manaus era muito longe.
Aqui ri muito mais do que chorei. As lágrimas vieram por questões naturais de partidas.
14 anos mais longe do que perto. Nenhum prego fixado nas paredes distantes. Afinal, lá estávamos apenas de passagem.
Passei apenas um natal distante, desde 1947. Foi o de 1957 em Cristina.
Tenho dezenas de multas por excesso de velocidade. Viajo muito.
Todas elas foram-me aplicadas no caminho de volta para casa. Nenhuma no sentido inverso.
Pressa de chegar.
Um abraço Itajubá.

ER

terça-feira, 18 de março de 2014

SOB A LUZ DE VELAS


As pessoas decentes formam uma minoria. Mais que isso, sempre serão uma minoria. Justamente por isso, o desafio maior é que nos juntemos à minoria. Porque o mundo está numa situação ruim. E tudo vai piorar mais se cada um de nós não fizer o melhor que puder.

Viktor Emil Frankl

POIS É...


Um camarada Anônimo comentou hoje no blog estar estranhando o Zelador. Ele tem razão. Aí está o Luc, que passou uma semana na Boa Vista. 
 
ER

MOMENTOS MÁGICOS


DECISÃO PENSADA

Reunião de emergência no Diretório do PT de uma pacata cidade do interior de Minas.
 
- Companheiros, desculpem pela convocação de emergência, mas o caso é sério e a reunião será rápida. Precisamos tomar uma posição com relação a invasão russa na Ucrânia. A palavra está aberta.
 
 - Pelamor de Deus, brada o Professor Paulo. De que lado estão os cães ianques ?
 
- Estão com os Ucranianos.
 
- Então não temos o que discutir. Somos russos desde criancinhas. Que o território seja anexado a Russia, imediatamente. Viva Stalin !
 
- Eunice, redija  a Ata com a decisão criteriosa da Assembleia.

ER  

CONTA GOTAS

 
1 - Tranquila a entrevista do Prefeito Rodrigo ao Itajubá Notícias (lógico). Mostrando amadurecimento político. Isso é bom. Sem promessas grandiosas. 
Observação: ficaria melhor o "nós " no lugar do "eu".
 
2 - Devastadora e real a descrição publicada pela colunista Angela Collares, no Itajubá Notícias, sob o título "circo dos horrores", da Audiência Pública que tratou de rodeios e a Lei Prof. Rui. Assunto e momento para ser esquecido. 
 
3 - O Prefeito anunciou que irá apresentar para a ACIEI e CDL o Projeto de Revitalização do centro comercial da terrinha. Estima o custo em seis ou sete milhões de reais. Nos números sugeridos, tocará para as entidades, algo próximo de R$ 700 mil. Pensando alto sobre a participação de empresariado: sonhos, sonhos, sonhos. 
Alertando: somente tornando subterrânea a distribuição da rede elétrica (fundamental), podem pensar em mais R$ 5 milhões.
 
4 - O pau quebrou feio entre o Prefeito e o Vice de Pouso Alegre. O Prefeito é PT e o Vice, PMDB. Razões políticas. Ah! a Dona Dilma deverá estar na Capital do Sul de Minas na próxima semana. Inauguração de obras do PAC.
 
5 - Em outros tempos, uma tragédia como essa que ceifou a vida de cinco jovens da nossa UNIFEI, suspenderia qualquer festa de aniversário. É a vida.

ER

SE A MODA PEGA

 
A maioria absoluta do pessoal da Crimeia, até então parte da Ucrânia, em plebiscito decidiu pela sua anexação a Rússia.
Deu o esperado, uma vez que a maioria dos habitantes da Crimeia é de origem russa.
Região conturbada desde o início da civilização.
Um plebiscito feito, nos mesmos moldes, na grande São Paulo, certamente anexaria a desenvolvida região em algum Estado do Nordeste.
Com certeza, feito em São José dos Campos, anexaria a importante cidade do Vale do Paraíba a Minas Gerais.
Agora, se feito na terrinha, até imagino onde seríamos anexados.    

ER

NEGOCIANDO IDEOLOGIAS


GRATIFICA-SE BEM


Gratifica-se bem por qualquer informação que contribua para localização de um avião Boeing, modelo 777-200, quase novo, cor prata aluminizado. Foi notado pela última vez do dia 7/3/2013 nas proximidades de Kuala Lumpur, na Malásia.
Atende pelo nome de voo MH370. 

Malaysia Airlines 

MOÇA BONITA

Kate

segunda-feira, 17 de março de 2014

MOMENTOS MÁGICOS


TOMARAM O BARCO

 
Com extrema antecedência, tomaram o barco hoje, nas proximidades de Brasópolis, num devastador acidente rodoviário, cinco jovens estudantes da nossa Escola.
 
Stephanie Kogake dos Campos – Engenharia Mecânica
João Vinícus de Souza Silva – Engenharia Mecânica Aeronáutica
Carolina Emi Gunji – Engenharia Ambiental
Thiago Bertoncello Domingues – Engenharia Elétrica
Guilherme Alves Limeira – Engenharia Química
 
Que o SENHOR possa proporcionar consolo para os familiares, amigos, professores e colegas.

ER