segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

SOB A LUZ DE VELAS

 
 
Eu também não sou um homem livre. Mas nunca ninguém esteve tão perto.

Millôr

ESTAMOS NO AR !

 
Uma das coisas boas que aconteceram em Itajubá em 2013 foi o programa diário "Jornal das 11" na Rádio Itajubá.
Programa de entrevistas muito bem conduzido pela Célia Rennó e Maria Paula. Ouço sempre e lá estive uma vez. Na terrinha e no horário tornou-se um clarão em céu cinzento.
Foi com surpresa que li o seguinte comentário feito pela Celinha no Facebook (publico mesmo sem lhe pedir autorização):
 
"Está difícil a negociação com a Rádio Itajubá para manter meu programa no ar. Compro o horário e vendo patrocínio para bancar, mas nas condições colocadas agora, tá difícil de manter. Uma pena!"
 
Imagino que os proprietários da emissora farão todo o esforço para manter, no decorrer de 2014, o programa no ar. O interesse é de todos.
Como estou com mania de ver chifre em cabeça de cavalo e sabedor que qualquer opinião independente nesta cidade vira alvo, teimo a ver uma tentativa de estabelecimento de um microfone mais amigo.
Torço para que as negociações cheguem a um bom termo. Seria muito bom.
 
ER    

CARA DE PAU

 
O presidente do Senado, Renan Calheiros, viajou ao Recife em um avião da FAB para fazer um implante de fios de cabelos. A viagem aconteceu no dia 18 de dezembro. Ele afirmou que irá devolver aos cofres públicos R$ 27 mil pelo uso indevido da aeronave.
Foi a segunda vez que Renan usou aeronave da FAB neste ano para fins particulares . Outro dia foi assistir a um casamento na Bahia.
Oxalá o tratamento capilar não tenha sido pago pelos brasileiros.
 
Blog: Gente, trata-se do Presidente do Congresso. Só pagar a viagem não basta. Imaginem se não fosse a denúncia feita pela imprensa e a cobrança do povo na internet. Passava batido.
Os caras de pau precisam ser vigiados.
Por recato ou vergonha não  deixarão de abusar dos bens públicos.
Sem imprensa independente e vigilante, como dizem na Boa Vista, "estamos no arroz".
 
ER

DESPREPARO


A fórmula para desastres em períodos chuvosos contém um importante componente: o despreparo do gestor público. “É um problema que fica evidente quando novos prefeitos assumem o cargo”, afirma o diretor-executivo da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), tenente Leonardo Maillo.
Ele participou da reunião do órgão com representantes de 40 cidades afetadas pela chuva, no último sábado, em Governador Valadares, no Leste de Minas, para orientá-los sobre como vencer trâmites burocráticos e pleitear recursos para obras. Mesmo em cidades maiores, afirma Maillo, há dificuldade técnica para elaborar e executar projetos de prevenção a desastres.

Hoje em Dia

DURO DE LER

Sinceramente não recomendaria a leitura do livro "Memórias de Uma Guerra Suja", com o depoimento de Cláudio Guerra, ex - Delegado do Dops, feito aos jornalistas Marcelo Netto e Rogério Medeiros. Editora Topbooks, 291 pags.
Guerra foi o principal agente de um grupo de militares (fora da cadeia de comando oficial das Forças Armadas). No início, eles foram autorizados pelo Governo Federal a promover a matança e o aniquilamento da esquerda, o que incluia o desaparecimento dos corpos as vítimas. Seu nome não está em nenhuma das listas de agentes torturadores, feitas pelas organizações de esquerda, porque na verdade ele nunca torturou ninguém: sua missão era matar.
 
Curiosidade: A morte do famoso (tristemente) Delegado Sérgio Fleury, noticiada como decorrente de um acidente no píer do Iate Clube de Ilha Bela, foi na verdade uma operação "queima de arquivo".   O delegado Fleury, ao passar de um barco para outro, à noite, teria caído no mar e se afogado.
Teria sido socorrido ainda com vida. Foi atendido, segundo o livro, pelo Dr. Mathuzalém Vilela, mineiro de Itajubá e na época, único médico da Santa Casa de Ilhabela.
Em tempo: O Cláudio Guerra cumpre pena de prisão no Espírito Santo, condenado que foi, por outro crime.

ER
  

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

FHC e Ruth Cardoso

PROMESSAS