domingo, 29 de dezembro de 2013

MOMENTOS MÁGICOS



Lindíssima canção e interpretação de Dulce Pontes.

ER

FALOU E DISSE


Perdi o ano.

Prefeito de São Paulo - Fernando Haddad

É DISCO QUE EU GOSTO


PORQUE HOJE É DOMINGO

 
"Quem não vive segundo o que acredita não acredita."
 
Thomas Fuller

O LIVRO QUE NÃO ENTREGUEI

 
Uma das pessoas com quem mais estive e  menos encontrei em 2013.
Comprei o livro para o Aldo. Ia lhe entregar no Natal de 2012. Passou.
Sempre olho para o bonito embrulho depositado na estante. Hoje abri.
Como o Natal de 2012 e 2013 já ficaram na saudade, espero realizar a entrega no de 2014, com a Dilma já reeleita e os mensaleiros já devidamente anistiados, felizes e fagueiros.
A ocasião certamente será propícia para a leitura.
É a vida.

ER

ESPECIARIA

 
A região da Caxemira, administrada pela Índia, é conhecida pela alta qualidade de seu açafrão, um tempero usado desde a antiguidade na fabricação de bebidas e como especiaria e corante.
O açafrão é cultivado comercialmente na Índia, Espanha e Irã. Mas a variedade da Caxemira é considerada a melhor e a mais cara. Um quilo da especiaria pode custar quase US$ 3 mil.
O fotógrafo Abid Bhat viajou para um campo de açafrão na cidade de Pampore para descobrir como a especiaria mais cara do mundo é cultivada.
Os campos de açafrão são uma grande atração para turistas em um vale cercado de montanhas cobertas de neve; as flores lilás exalam o perfume mais exuberante.
São necessárias mais de 75.000 flores de açafrão para produzir menos de meio quilo de açafrão.
A pequena cidade de Pampore, onde milhares de hectares de terras são usadas para o cultivo de açafrão, está situada a meia hora de carro da capital de verão da Caxemira Srinagar. Pampore é frequentemente chamada de cidade do açafão da Caxemira.
O açafrão é usado extensivamente em remédios e na cozinha na Caxemira. Alguns dizem que o tempero é um tempero afrodisíaco.
 
BBC
 
Blog: Ontem acabou o açafrão de Caxemira que havia ganho de um grande amigo que por lá passou.
 
ER

E POR FALAR EM BILHETES

Um dos famosos bilhetinhos do Presidente Jânio Quadros, enviado ao José Aparecido, mineiro e Secretário do então presidente. Jânio descarrega sua raiva no seu ministro da Fazenda, Clemente Mariani. Uma onda de descontentamento varria o país, a economia não andava bem, e ele procurava então um bode expiatório.
 
ER (web)

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Foto de Roger Corbeau. Brigitte Bardot - 1958.

MONTAR NO PORCO

 
Pelo que sei, em rodeios monta-se em bois e cavalos. Em rodeios não se monta em porcos.
Aliás, segundo o dito popular, montar no porco significa entrar numa fria, sair-se mal em alguma situação, o mesmo que "se dar mal".
Foi o que aconteceu com a maioria dos vereadores e membros importantes da administração municipal ao promoverem a regulamentação dos rodeios na terrinha.
Montaram no porco.
O tempo mostrará.

ER

FELIZ 2015