quinta-feira, 28 de novembro de 2013

SOB A LUZ DE VELAS

 
 
A ideia de que somente é belo o que é novo e jovem envenena nossas relações com o passado e com o próprio futuro.

Walter Kaufmann

QUE PAÍS É ESSE ?


Condensado de entrevista concedida pelo Ministro Mercadante ao Jornal El País.

 “Acho que dez anos depois podemos fazer um balanço positivo. Mantivemos a estabilidade, fizemos todas as mudanças dentro da democracia, fortalecendo as instituições republicanas, nunca questionamos uma decisão da Justiça ou do Legislativo, com a mais ampla liberdade de imprensa e manifestação. Fizemos o mais importante processo de inclusão social da história do Brasil.
 
O modelo consistiu em construir o social como eixo estrutural de progresso econômico, criando um grande mercado de consumo de massas através de uma forte política de inclusão social.
 
Um mercado interno forte lhe dá escala e competitividade para as exportações. Nesta década, praticamente erradicamos a pobreza absoluta, recuperamos o crescimento e geramos 20 milhões de empregos. “O centro da nossa perspectiva era distribuir para crescer e crescer distribuindo, e criar um amplo mercado de consumo de massa, acrescenta. Esse projeto de colocar o social como eixo do desenvolvimento, é a grande novidade histórica.
 
No caso brasileiro, para aproveitar esse potencial foi necessária uma esquerda com os pés no chão. Não queríamos ser a esquerda típica. A esquerda está sempre sonhando o futuro, enquanto a direita governa. É uma esquerda que tem o protesto como proposta e acha que pode sonhar o futuro sem assumir a responsabilidade de governar, com os erros e limitações que isso acarreta. Queríamos ser uma esquerda representativa.
 

 
Essa esquerda propôs uma saída própria para a crise: primeiro tirar as pessoas da pobreza, lhes dar algo de segurança e incorporá-las ao consumo, para fazer o país crescer, num círculo virtuoso.
 
Nesse tempo de governo, além dos êxitos, o PT também se viu enlameado em propalados casos de corrupção, que inclusive levaram boa parte da sua cúpula à cadeia. Trata-se de um problema do sistema eleitoral. “Primeiro, há hoje no Brasil muito mais transparência, fiscalização e combate à impunidade. “Não há nenhuma denúncia de enriquecimento pessoal, de apropriação de recursos. O que há é um problema de financiamento das campanhas eleitorais, que lamentavelmente está presente em todos os partidos do Brasil. A origem está em um mecanismo de financiamento que não está bem calibrado. A democracia tem um custo, e a sociedade tem de assumir isso com transparência.
 
O PT quer o fim do financiamento privado. Há uma dimensão oculta na democracia: as empresas têm interesses políticos, querem financiar partidos, mas não querem aparecer. Não há como financiar uma campanha política no Brasil de forma competitiva, sem esse financiamento.
 
Mercadante para o El País
 
Blog: Aparentemente, Mercadante sofre a mesma dificuldade de todos os companheiros de partido. Transmite a impressão que acredita no que fala. Às vezes não, como quando pediu demissão em caráter irrevogável. O pedido durou algumas horas.
 
ER

PREMEDITANDO O BREQUE

"Amigos podem ficar tranquilos que aumento do IPTU, não vai acontecer, eu estarei lutando a favor dos itajubenses caso isto venha a ser apresentado a Câmara."
 
Vereador Wilson Marins (Facebook)
 
Blog: Ajudando num possível futuro argumento:
 
 "não aconteceu aumento. O que aconteceu foi a  simples a atualização de valores, com a aplicação dos índices dos INPC deste ano e dos anos do governo BPS. E mais, esses 19,08% irão reverter a favor dos itajubenses"
 
ER 

MOÇA BONITA

Scarlett

IPTU


JOGADA ENSAIADA


Outro dia, quando fui na reunião da Câmara Municipal, realizada no Auditório da Fepi, tomei conhecimento do Projeto de Lei 3958 apresentado pelo Vereador Luiz Gonzaga, que também atua como líder do Prefeito Rodrigo.
Trata da proibição da cobrança da taxa de esgoto pela Copasa, até que todos os moradores de Itajubá (zona urbana e rural) sejam atendidos.
Outros municípios do Sul de Minas já discutiram a questão.
Fico pensando:
O projeto foi apresentado pelo líder do prefeito. Sem dúvida, com o conhecimento do Chefe do Executivo.
Como sempre deverá ser aprovado pela Câmara por 6x3, mas desta vez não com votos contrários, mas com 3 abstenções.
Fica claro que o proposto pelo nobre vereador bate de frente com os interesses da Copasa
A Copasa é ligada diretamente a Secretaria dirigida pelo Deputado Bilac Pinto, de quem o Prefeito é estreito aliado desde priscas eras. 
Existe um contrato firmado entre a Companhia e a Prefeitura, que garante a cobrança.
Como prometido em campanha, com essa movimentação, o Executivo estaria tomando providências para rever o contrato.
Não deve acontecer nada ou a Copasa já tem preparado um desconto para aqueles que ainda não usufruem do benefício.
Ao contrário do futebol, a política não é uma caixinha de surpresas.
 
ER 
 


PADRÃO MENGO


TRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRITRI

ER

PIB JABOTICABA