sábado, 19 de outubro de 2013

SOB A LUZ DE VELAS

 
 
Como são admiráveis as pessoas que não conhecemos bem.

Millôr

VIOLINO DO TITANIC


O violino que, reza a lenda, foi tocado para acalmar os passageiros durante o naufrágio do Titanic foi leiloado neste sábado por 900 milhões de libras (R$ 3,1 milhões), após meros dez minutos de leilão na Grã-Bretanha.
Instrumento pertenceu a líder de banda, que ordenou músicos a continuar tocando durante tragédia.
O violino fora construído na Alemanha e presenteado a Wallace Hartley por sua noiva, Maria Robinson.
Sua autenticidade foi decretada em março deste ano, após anos de análises de especialistas (que disseram que a peça ainda contém vestígios de água salgada do naufrágio).
Mas há quem duvide da autenticidade do instrumento, alegando que ele não teria sobrevivido a um desastre dessas proporções.
A justificativa é de que a peça foi encontrada dentro de capa de couro e presa ao corpo de Hartley. No diário de Maria Robinson há uma menção ao fato de o instrumento ter sido devolvido a ela.
Após sua morte, em 1939, o violino foi dado ao Exército da Salvação e depois se tornou propriedade de uma família - que permanece anônima e decidiu leiloar o item.
Hartley, por sua vez, se tornou parte da lenda do Titanic por sua banda ter continuado a tocar mesmo enquanto o navio afundava.

BBC

POETINHA

 
Poucos brasileiros encarnam tão bem a imagem padrão que se tem de um poeta quanto Vinicius de Moraes.
Nove casamentos, outras tantas paixões arrebatadoras, boêmia irrefreável e fome sem limite pela vida - contrabalançada por uma melancolia que só os mais próximos sabiam reconhecer - compuseram os 66 anos de vida intensa do escritor, compositor, diplomata, dramaturgo e jornalista.
 
Uol
 
"Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos...

Saudades até dos momentos de lágrima, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim... do companheirismo vivido... Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre...

Hoje não tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe... nos e-mails trocados...

Podemos nos telefonar... conversar algumas bobagens. Aí os dias vão passar... meses... anos... até este contato tornar-se cada vez mais raro. Vamos nos perder no tempo...

Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão: Quem são aquelas pessoas? Diremos que eram nossos amigos. E... isso vai doer tanto!!! Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida!

A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente... Quando o nosso grupo estiver incompleto... nos reuniremos para um último adeus de um amigo. E entre lágrima nos abraçaremos...

Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado... E nos perderemos no tempo...

Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades...

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores... mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!!!"
 
Vinicius de Moraes

MOÇA BONITA

Catrinel

ANTECIPANDO O BREQUE