quinta-feira, 5 de setembro de 2013

SOB A LUZ DE VELAS


Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas..
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam
poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram,
cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir
assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar
da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo
de secretário geral do coral.
‘As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos’.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência,
minha alma tem pressa…
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana,
muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com
triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua
mortalidade,
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!


Ricardo Gondim

(texto que dizem ser de Rubem Alves, mas é do Ricardo Gondim)

ER

MARMELADA


SÓ BLUES



Major Merriweather, simplesmente Big Maceo, pianista e cantor americano, nascido em Atlanta em 1905, na Georgia. Em 1920 mudou-se para Detroit e começou a tocar em festas e clubes. Em 1941 foi para Chicago. Seu primeiro disco foi "Worried Life Blues". Um clássico do blues.
Muitas músicas de sucesso. Tomou o barco em 1953. Está no Hall da Fama do blues. 
A música apresentada é tocada por Eric Clapton em quase todos os seus shows.
Beleza.

ER



 

CANTINHO DA SALA

Jackson Pollock

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Einstein

DECLARAÇÃO PÚBLICA

Longe de mim, sequer, pressumir que poderia ser um dos "dois ou três" citados pelo Prefeito Rodrigo como os responsáveis por tentar suspender as obras do aeroporto (manchete do Itajubá Notícias).
Devem ser cidadãos com extremo poder de fogo.
Suspender uma obra de R$ 100 milhões, do Estado de Minas Gerais não é para muitos. Gostaria de conhecê-los.
A bem da verdade, declaro que nunca fui contrário, pelo local escolhido, à construção do campo de pouso municipal.
Participei direta e pessoalmente dos estudos para tal construção, antes do ano 2000.
É o único local.
Declaro que as mudanças ocorridas no mundo nos últimos 15 anos, em termos de logísticas, transportes e comunicação, bem como o exagerado valor previsto para a construção e, logicamente, a existência de gritantes outras prioridades, me obrigaram a rever posição e considerar inoportuno o empreendimento, no momento.
Sou contrário à aplicação, não prioritária, de recursos públicos no Maranhão, no Rio Grande ou na minha cidade.  
Entendo que hoje  o foco principal do projeto é proporcionar à Helibrás um local apropriado para ensaios de voos de aeronaves de grande porte.
Justo, mesmo porque   foi negociado como condição da expansão da empresa.
Declaro minha total preocupação com a ocupação da área alagável da várzea da Piedade por projetos imobiliários.
Não sou totalmente contrário porque não conheço com profundidade os estudos sobre cotas.  Pelos dados apresentados, tudo indica que serei.
Algo me chamou a atenção na reportagem do jornal:
O devastador parecer do representante do Ibama Fernando Bonillo (adversário de outras épocas) na reunião de Varginha. 
Imagino que ninguém na cidade seja contra o progresso. Contra o crescimento desordenado conheço muitos.
Não seremos nós a pagar o alto preço pelas agressões ao ambiente. Serão os que vierem depois de nós. É enorme a responsabilidade.
 
Juízo gente.

ER