quinta-feira, 8 de agosto de 2013

PONTE DA BOA VISTA


Parece que agora sai a Ponte sobre o Rio Sapucaí, aqui na Boa Vista. Para nós do bairro não vai ser de todo bom. Vai aumentar o número de carros e tirar a tranquilidade das ruas. Mas fazer o quê ? Temos que contribuir com o desafogo do trânsito na terrinha.
Mas tem um porém !
Não me venham batizar a ponte com um nome de um político. Mesmo que seja um daqueles bons que existiram no passado.
Se fosse para homenagear batizando a obra com o nome de um cidadão itajubense, que o homenageado fosse um benemérito cidadão que viveu no bairro.
Mas não ! São tantos homens de bem que, escolhendo ou elegendo um, injustiça estaria sendo cometida.
A ponte terá que chamar pomposamente de "Ponte Boa Vista" e C´est fini.
Ficará claro, transparente e limpo, como os moradores gostam das coisas.

ER

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Reykjavik

MOÇA BONITA

Marta Rocha

ALTO PREÇO !

A Secretaria de Estado de Defesa Social de Minas Gerais divulgou uma pesquisa com os registro de dados da violência em 29 municípios com mais de 100 mil habitantes (estamos fora) entre os meses de janeiro e junho.
A pesquisa revelou que Pouso Alegre teve 163 crimes violentos registrados, um aumento de 56,7% em relação ao mesmo período em 2012 quando teve 104. Já poços de Caldas teve um aumento de 115,15% (142 registros).
O aumento do valor, foi impulsionada pelas estatistas entre janeiro e abril deste ano, quando os crimes subiram mais de 120% em Pouso Alegre.
Em Varginha e em Passos ( tida como a cidade mais violenta de todo o Sul de Minas ) houve quedas de 33,9% e 30,5% respectivamente.
Entre janeiro e junho foram registrados 42.049 crimes violentos, o que representa um aumento 18,74% nas cidades levantadas.
Estratégias de segurança pública nas cidades deverão ser discutidas em uma reunião em Poços de Caldas com mais de 200 delegados de todo o Estado de Minas Gerais.

EPTV

ARQUIVO OBAMA


EM CARTAZ !


Não consegui pegar o cinema mudo. O Aldo e o Virgílio contam que era muito legal curtir as imagens tremidas em preto&branco, com a pianola "comendo solta" ao lado da tela . Meu primeiro filme assistido numa sexta-feira santa, foi "A vida de Cristo" (já com trilha sonora), no Cine Edna, na Boa Vista é claro.
O prédio do cinema continua intacto. Fica na Rua Maria Carneiro e pertencia ao grande cidadão, Sr. Álvaro Mandolesi (da Dona Alice). Foi no início dos "50".
Passei um medo desgraçado e guardei para sempre a matança dos meninos judeus com idade abaixo de 2 anos, ordenada pelo rei herodes.
Gosto muito de cinema, mas já gostei mais. Preguiçosamente, gosto de filme com começo, meio e fim. Com pouco sangue, de preferência.
Estamos assistindo hoje um épico na terrinha. Confuso. Sem meio, começo e com final imprevisível. Personagens difíceis de serem identificados.
Bons que podem virar do mal. Do mal que podem virar do bem. Aparentes protagonista que, do meio para frente, poderão cair para as posições de meros coadjuvantes.
Um pouco de terror. Muita espionagem. Expectativa de boas cenas e sustos a cada minuto.
Não sei se ainda existe essa etapa, mas no meu tempo, casais de namorados apertavam as mãos de deixar marcas do anel.
Lá atrás, ao assistir o trailer do filme, confesso que fiquei esperançoso de estarmos diante de um bom espetáculo, embora os atores, um pouco inexperientes, tenham gerado certa desconfiança.
Não estou gostando. Mas não abandonarei a sala de projeção.
A companhia é boa.

ER