quinta-feira, 1 de agosto de 2013

JAMANTA SEM FREIOS


Todas as principais instituições perderam boa parte da confiança dos brasileiros após os protestos de junho. Mas, entre elas, nenhuma perdeu mais do que a presidente da República: três vezes mais do que o resto. É o que mostra uma pesquisa nacional do Ibope, chamada Índice de Confiança Social. Feita anualmente desde 2009, a edição de 2013 foi divulgada nesta quinta-feira.

Estadão

PAPA RECUSA ALIANÇA COM DILMA

Escreveu hoje o respeitado Juan Arias, correspondente do El Pais no Brasil : 

Durante a visita do papa ao seu país, a presidente Dilma Rousseff insistiu em criar uma aliança com o Vaticano contra a fome no mundo, mas este jornal soube que o pontífice não quis que a visita, com dois milhões de jovens do mundo todo, se convertesse num brinde de propaganda para o governo do Brasil. Dilma sabe que Francisco é conhecido como o “papa dos pobres”, e queria aproveitar a insistência deste pontificado em que a Igreja se aproxime mais das necessidades dos desvalidos para levar adiante o seu projeto. Não conseguiu.
Quem melhor do que o Brasil para apresentar as credenciais em dia que um governo que tirou 30 milhões da pobreza?, Dilma se perguntou. O Brasil chegou a propor ao Vaticano que o papa convertesse a visita para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) numa viagem de Estado. Assim, Francisco teria sido obrigado a ir a Brasília, sede do poder, em visita oficial à presidente.
O Papa preferiu manter o caráter “pastoral” da visita, sem compromissos políticos. O sonho de Dilma era anunciar, ao lado do papa Francisco, uma aliança entre o Brasil e o Vaticano numa espécie de cruzada mundial contra a pobreza, principalmente nos países africanos, com os quais o Brasil mantém relações especiais por motivos históricos.
Com a longa experiência diplomática que o caracteriza, o Vaticano respondeu que não costuma fazer este tipo de alianças com governos. Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, o confirmou no Rio. Depois de reconhecer que há “pontos de sintonia” entre o governo brasileiro e o Vaticano na luta contra a fome e a pobreza, Lombardi pôs fim à questão: “Não há nenhum compromisso neste sentido”.
A diplomacia brasileira, porém, não se deu por vencida e, apesar da negativa do papa, vai insistir em apresentar ao mundo algum tipo de acordo entre o governo e o Vaticano. A começar pela ONU,o Brasil vai insistir em se apresentar a todos os organismos internacionais como muito próximo e, se possível, como aliado do Vaticano em políticas sociais.
A negativa do Vaticano se aliar ao governo do Brasil foi justificada oficialmente com a desculpa de que a Santa Sé não faz este tipo de acordos com governos concretos. Porém, havia mais no rechaço do papa à proposta, aparentemente elaborada pelo ex-presidente Lula da Silva. O Vaticano tem o melhor serviço de informação e inteligência do mundo, como já afirmou Simon Wiesenthal, o famoso caçador de nazistas.
Neste caso, o papa Francisco obteve informações em primeira mão e pessoalmente do momento que o país vive, com uma parte da sociedade nas ruas exigindo melhorias sociais; o momento de debilidade do governo em que a popularidade de Dilma acaba de despencar e as polêmicas internas no Partido dos Trabalhadores (PT) que, depois de dez anos de governo e muitos êxitos sociais, encontra-se num dos seus momentos menos gloriosos.
Fontes do mundo político e do mundo eclesiástico disseram a este correspondente que Francisco, que sempre defendeu uma Igreja comprometida com a política – mas só com a de P maiúsculo (isto é, não a dos partidos) – não quis que o grande acontecimento do encontro com dois milhões de jovens de todo o mundo se convertesse num brinde para a imagem do governo brasileiro.
De fato, Francisco deixou claro que aprecia os esforços feitos pelo Brasil no campo das conquistas sociais, mas se manteve à margem de quaisquer compromissos de tipo partidário. Sequer se encontrou por alguns minutos para cumprimentar o ex-presidente Lula da Silva, uma das figuras políticas mais importantes do país e de grande fama internacional.
Quando, no encontro a portas fechadas com Francisco, a presidente Dilma lhe perguntou se gostaria de aproveitar a sua estadia no país para conhecer “alguma personalidade”, a resposta do papa, muito jesuítica, foi: “Sim, gostaria de encontrar Deus”.
Dilma entendeu perfeitamente que o papa deixou os brasileiros de todas as crenças enlouquecidos por dois motivos muito concretos: a sua proximidade física com as pessoas, que ele denominou “teologia do encontro” e o destemor em percorrer as ruas com a menor proteção possível.
Ontem mesmo, em pleno centro de São Paulo, a mandataria brasileira rompeu o protocolo e surpreendeu a todos ao descer do carro oficial e passear pela rua abraçando e beijando as pessoas. Na imprensa, este fenômeno foi batizado de “contágio franciscano”.
 
Juan Arias

POIS É...




Governo Dilma inventou ideias com prazo de validade.

Augusto Nunes

OREMOS !


Alerta Geral ! Encerra-se em todo o país o período de recesso das Câmaras Municipais, Estaduais e do Congresso Nacional. Oremos.

Clarin da Boa Vista

CENTENÁRIO DA UNIFEI

Sempre na Boa Vista. Aproveitando o dia claro, céu azul, sol cálido e ruas tranquilas, saímos caminhando pelo, antigamente conhecido como Jardim do Éden.
Almoçamos na Massas Meazzini e fomos tomar um sorvete de doce de abóbora com côco na Sorveteria do Getúlio.
Passagem obrigatória na Livraria Lume, no ex-quase-shopping Vila Nova,
Olha daqui e olha dali e Sonia achou na prateleira do "sebo" uma preciosidade, que acabou comprando e me presenteando.
Um exemplar (capa dura na cor azul) do livro "Medidores Eléctricos", em espanhol, do autor L.M. Hassekieff, em sua primeira edição, de 1946.
Onde encontra-se a preciosidade ?
O livro pertenceu, tudo leva a crer, ao grande e saudoso Professor, João Luiz Rennó. Tem a assinatura com caneta tinteiro na cor azul (provavelmente uma parker-51), com a data de novembro de 1947.
O Professor João Luiz formou-se pela nossa Escola em 1929.
Foi meu professor de ótica, no 3º Científico do Colégio Estadual.
O encaminharei para a biblioteca da Unifei, caso tenham interesse.
Coisas da Boa Vista.

ER

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Voltando do Vietnã - 1973 (foto Sal Veder)

SÓ BLUES


VIVER É PERIGOSO

Raif Badawi, um blogueiro saudita, foi condenado em seu país a sete anos de prisão e 600 chibatadas por cometer "crimes cibernéticos" e por violar os valores do islã, informou a rede norte-americana CNN.
Badawi possui um blog, no qual discutia questões políticas e religiosas da Arábia Saudita. Ele aguardava seu veredito na prisão desde junho de 2012.
"Essa pena incrivelmente dura em se tratando de um pacífico blogueiro evidencia a necessidade de um maior diálogo e reformas religiosas na Arábia Saudita" disse à CNN Nadim Houry, diretor da organização de direitos humanos Human Rigths Watch no Oriente Médio.
"Eu não sei o que fazer", disse Ensaf Haidar, mulher de Badawi, e com quem tem três filhos. "Raif não fez nada de errado".
A pena de Badawi, contudo, poderia ter sido ainda mais dura caso ele houvesse sido condenado por outro dos crimes pelo qual era julgado, o de "negar o islã"; neste caso, está previsto a pena de morte.
Os problemas de Badawi com a justiça começaram em 2008, logo depois de ele colocar no ar seu site. Na época, chegou a ser detido para dar explicações. A recente decisão sobre sua prisão ainda cabe recurso.
 
Folha

APERTANDO O CINTO

Segura Peão !
O número de 23 secretarias que, atualmente, compõe o governo de Minas, cairá para 17, em 2014.  Além disso, 52 cargos. do alto escalão do governo serão extintos e outras medidas de redução de gastos irão ser implementadas já a partir desta quinta (1º), totalizando uma economia de R$ 1,1 bilhão aos cofres públicos.
Um decreto será publicado  para anunciar as mudanças previstas ainda para este ano, como a redução de 20% dos cargos de confiança, implementação de restrição de consultorias, e proibição de viagens nacionais e internacionais dos servidores públicos pagas pelo Estado. Só este ano, espera-se que a economia com as novas medidas chegue a R$ 120 milhões.
A estimativa é de que, de agosto até dezembro de 2013, as despesas de custeio do Estado sejam reduzidas em R$ 105 milhões, o equivalente a 13% do total de despesas de custeio com recursos do Tesouro Estadual previstas para o período. Para o Governo, a reestruturação administrativa anunciada tem como objetivo principal adaptar Minas Gerais à nova conjuntura decorrente da crise econômica internacional, que provocou queda nas atividades econômicas no país e levou a uma redução das receitas do Estado. “As dificuldades econômicas exigem que os governantes busquem soluções adequadas para se adaptarem às novas realidades”, afirmou.
 A mudança das secretarias irá ocorrer com a fundição de algumas delas. A Secretaria do Trabalho irá se juntar à de Desenvolvimento Social; as secretaria de Esportes, Turismo e da Copa irão se tornar uma só; a Secretaria de de Regularização Fundiária se une à Secretaria de Agricultura, enquanto a Secretaria de Gestão Metropolitana será fundida à de Desenvolvimento Regional. Além disso, a Secretaria de Investimentos Estratégicos será transformada em uma assessoria especial para o gabinete do governador.
Medidas que entram em vigor amanhã:
-Bloqueio de nomeação de 20% dos cargos comissionados - Economia anual de R$ 93 milhões
- Proibição de viagens nacionais e internacionais - Economia anual de R$ 49 milhões
- Suspensão da participação em cursos, congressos e seminários - Economia anual de R$ 30 milhões
- Proibição de contratação de consultorias - Economia anual de R$ 22 milhões
- Criação de um central de serviços compartilhados - Economia anual de R$ 15 milhões
- Restrição para utilização de veículos de representação - Economia anual de R$ 11 milhões
- Restrição para realização de eventos e substituição de documentos impressos por eletrônicos - Economia anual de R$ 4,1 milhões
- Redução de 50% no limite de uso de celular corporativo - Economia anual de R$ 1,6 milhão
- Autorização para licença de servidores para tratar de assuntos particulares (quando não há necessidade de substituição)
- Integração das estruturas regionais do governo do Estado
- Proibição da cessão de servidores para órgãos de outros Poderes
- Proibição do aumento de estagiários
Medidas que entrarão em vigor a partir do dia 1º de janeiro de 2014:
- Fusão da Secretaria do Trabalho com a Secretaria de Desenvolvimento Social
- Fusão da Secretaria de Esportes com a Secretaria de Turismo e com a Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo
- Fusão da Secretaria Extraordinária de Regularização Fundiária com a Secretaria de Agricultura
- Fusão da Secretaria Extraordinária de Gestão Metropolitana com a Secretaria de Desenvolvimento Regional e Política Urbana
- Secretaria Extraordinária de Coordenação de Investimentos Estratégicos será transformada em Assessoria Especial da Governadoria
- As autarquias Detel-MG e Ademg serão extintas e absorvidas, respectivamente, pela TV Minas e pela nova secretária formada a partir da fusão das pastas de Esportes, Turismo e Copa do Mundo
- Fusão da Ruralminas com o Iter-MG
- Fusão do IGA com o Cetec-MG
O Tempo

Blog: A terrinha tem que acordar urgente para a vida. O executivo e o legislativo têm que apertar os cintos urgentemente sob o risco de não conseguirem fechar as contas. 
E atenção: deve vir por aí um aperto na fiscalização estadual, de tirar leite de pedra. É a vida.
ER

SEM LUZ