domingo, 14 de julho de 2013

SOB A LUZ DE VELAS

 
 
Estivemos afastados 20 minutos, vinte séculos. E esse tempo foi igual a observar as mesmas estrelas de navios diferentes, sentindo a água e o vento que nos reuniria.

Aldir Blanc

MELHOR SERIA NÃO SABER

 Deu no Cláudio Humberto

"O cocaleiro presidente da Bolívia, Evo Morales, impôs uma humilhação ultrajante ao nanoministro da Defesa do Brasil, Celso Amorim, no final de 2012, em episódio mantido em segredo pelo governo brasileiro até agora. Amorim visitara La Paz e se preparava para decolar quando seu avião foi cercado e revistado, inclusive com cães farejadores, a mando do cocaleiro, desconfiado que o ex-chanceler do governo Lula levava um senador de oposição ( Molina) asilado na embaixada do Brasil.
A informação é de diplomatas e funcionários que não podem ser identificados, em razão de represálias. A humilhação ao Brasil foi ainda maior, considerando que o ministro era transportado por um avião da FAB.
O governo brasileiro novamente se acovardou, diante da agressão ao ministro da Defesa, e apenas emitiu na ocasião uma "nota de protesto" que permaneceu secreta, ou seja, apenas foi lida pelo destinatário - que, claro, ignorou-a.
Esta semana, Morales exigiu e obteve a solidariedade dos parceiros do Mercosul por ter seu avião impedido de sobrevoar o espaço aéreo de países europeus."
 
Blog: Penso ter sido errado o que fizeram com o avião do boliviano e simplesmente inadmissível o que os bolivianos fizeram com o brasileiro. Em termos de relacionamento externo, o governo petista é um descalabro.

ER

EU ME ACUSO !

 Deu na Folha de hoje:

O assunto não é novo, mas desta vez a denúncia está sendo feita pela própria participante do malfeito. Segundo a Folha, foi a própria multinacional alemã Siemens que delatou às autoridades brasileiras a existência de um cartel - do qual fazia parte - em licitações para compra de equipamento ferroviário, além da construção e manutenção de linhas de trens e metro em São Paulo e no Distrito Federal.
Arrependimento e consciência pesada ? Isso não existe nesse nível.
Simples estratégia de defesa.
Ao entregar o esquema, a Siemens assinou um acordo de leniência, que pode garantir à companhia e a seus executivos isenção caso o cartel seja confirmado e condenado.
A imunidade administrativa e criminal integral é assegurada quando um participante do esquema -antes que o governo tenha iniciado apuração- denuncia o cartel, suspende a prática e coopera com as investigações.
Em caso de condenação,  o cartel estará sujeito a multa que pode chegar a 20% do faturamento bruto da empresa no ano anterior à abertura de processo pelo Cade.
Registre-se apenas, que a Siemens já foi condenada por razões similares em diversos países do mundo.
O esquema delatado envolveria ainda subsidiárias de multinacionais, como a francesa Alstom, a canadense Bombardier, a espanhola CAF e a japonesa Mitsui.
Segundo as denúncias, o cartel atuou em ao menos seis licitações.
A análise do material apreendido levará até três meses. Confirmados os indícios de cartelização, o Cade abrirá processo contra as envolvidas. Outras sete empresas também são citadas:  TTrans, Tejofran, MGE, TCBR Tecnologia, Temoinsa, Iesa e Serveng-Civilsan.
Politicamente o caso deverá ter repercussão em termos nacionais. No caso de São Paulo, sobrará para o PSDB. No caso de Brasília, para o DEM.
O PT acuado por diversas denúncias poderá sair para o ataque. Ou, ajeita daqui e dali e tudo será enquadrado no Artigo Cesto.
Um ou outro sinais de relâmpagos no céu escuro, poderão ser vislumbrados ao longe pelos mineiros.
 
ER

PORQUE HOJE É DOMINGO

 
“Os que desamparam a lei louvam o perverso, mas os que guardam a lei se indignam contra ele” (Pv 28.4).
"...Corretamente entendida, a indignação pode ser uma atitude não apenas aceitável, mas absolutamente necessária para que certas situações sejam transformadas. Sentir indignação significa reagir diante do mal, não ficar passivo e indiferente, protestar ativamente contra aquilo que atenta contra a verdade, contra a justiça, contra a dignidade humana. Esse é um sentimento que infelizmente tem faltado aos brasileiros, em especial a muitos cristãos. Vivemos num país marcado por clamorosas distorções, por horrendas deturpações em nossa vida nacional... e ficamos calados. Com o nosso silêncio, contribuímos para que o mal se perpetue, aumente e pareça normal. Existem algumas áreas em que devemos mostrar o nosso protesto vigoroso, e também a nossa disposição de dar uma contribuição positiva, de oferecer alternativas melhores..."

Trecho de Alderi Souza de Matos, publicado originalmente na seção “História” da revista Ultimato 320 - setembro/outubro 2009

ER

MOÇA BONITA

Romy

14 DE JULHO



DE ESQUERDA OU DE DIREITA ?

Sempre ouvimos essa expressão ou questionamento. Quando rapaz eu dizia ou diziam que eu era de esquerda e eu gostava e confirmava, mesmo não sabendo a razão.
 
A expressão foi criada a partir da revolução francesa. Tomada a Bastilha, os girondinos (grupo político moderado, chefiado por Jacques Pierre Brissot, constituído pela média burguesia e conservadores e defendiam a monarquia) se reuniam em Conselho, com os Jacobinos (grupo constituído por burgueses vindo do povo. Eram radicais e queriam a instalação da república. Eram orientados pela frase de Marat "É pela violência que se deve estabelecer a liberdade".)

Como esse grupo (jacobinos) se sentava à esquerda na Assembléia, ficou convencionado no mundo, que um sujeito ou um grupo com essas características ou comportamento seriam chamados de "esquerda".

No Brasil parece que só temos esquerda hoje. 
 
ER 

JÓIA RARA



O carro mais caro do mundo. Um anônimo (sempre eles) arrematou o Mercedes com o qual, o piloto argentino, Juan Manuel Fangio, pentacampeão do mundo de automobilismo, venceu os grandes prêmios da Alemanha e da Suíça em 1954.
Foi pago pelo Mercedes W196R, de oito cilindros e 2,5 litros, o valor recorde de US$ 29,6 milhões. O recorde anterior era de uma Ferrari 250 Testa Rossa, de 1957, vendida por US$ 16,4 milhões em 2011.
É a vida.

ER

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Lennon e seu filho Julian - 1974 


REFORMA