quarta-feira, 10 de julho de 2013

Ó NÓIS NA FITA !

O Ministério da Saúde lançou ontem o programa "Mais Médicos" para ampliar a presença de profissionais na rede pública. Isso todos sabem.
Em Minas Gerais, 78 municípios foram considerados prioritários e no Sul de Minas, Itajubá  e Passos estão na lista. Isso nem todos sabiam.
Os municípios selecionados para o programa têm até o dia 22 de julho para pedir mais médicos e estrangeiros também poderão ser contratados.
Logo deverá voltar a constar dos cardápios, dos restaurantes da terrinha, o famoso "filet à cubana".
A colocação de Itajubá na lista, deve ter sido por indicação especial de algum deputado amigo.
É o fim.

ER

TOMOU O BARCO

 
Tomou o barco hoje em São José dos Campos a nossa querida prima, Neuza Del-Ducca Riera Silva. A doce e amorosa Neuza era casada com o Lázaro Silva, que trabalhou por muitos anos como motorista na Imbel.  Filha dos Tios Domingos Del-Ducca e Olivia Riera Del-Ducca, que moraram muitos anos na cidade de Cristina. Irmã da Cida e do Marco Antônio.
Neuza deixa os filhos Ronaldo, Roberto, Roger, Regis e Olívia. O Ricardo já nos deixou prematuramente.
Há muitos anos a família mora na Boa Vista, onde a Neuza exerceu também a atividade de exímia fornecedora de bolos, doces e salgadinhos.
Pessoa amada por todos que a conheceram. E foram muitos.
Deixará um enorme vazio.
O sepultamento acontecerá amanhã às 9:00 horas em Itajubá.

ER

DEU NA JOVEM !


Deu hoje no site da rádio Jovem FM que a Secretária municipal de Ciência e Tecnologia, acumulando também a Secretaria de Agricultura, Leandra Machado, deixou a atual administração.
A própria Leandra, em entrevista concedida ao Sr. Mafra, no noticiário da emissora, falou sobre os motivos que a levaram a solicitar exoneração.
Sua Secretaria teria sido esvaziada pelo Super-Secretário Primo, que chamou para si, questões importantes que vinham sendo desenvolvidas há muito, pela Leandra e equipe. 
Procurado por ela, o Prefeito não lhe proporcionou o apoio esperado.
Pelo seu modo de ser, não lhe restou outra alternativa
Perdemos.
Recordando o publicado no blog em 19 de novembro de 2010, quando a Leandra deixou a administração do Dr. Jorge:
"A vida continua e  Leandra passa a ser uma personagem importante para a próxima eleição municipal. Só um alerta: Ela não tem estilo para ser coadjuvante. Nasceu para ser protagonista." 
Foi importante na campanha vitoriosa do Rodrigo Riera e certamente ainda será protagonista na política itajubense.
 
ER
 


DENTRO EM BREVE



Formandos médicos da Faculdade de Medicina de Itajubá, após a singela cerimônia de conclusão do curso, convocados pelo governo, prestam juramento, despedem-se e preparam para embarcar para o estágio de dois anos na Amazônia. Após esse período, conseguirão receber o diploma.
É a vida.

Clarin da Boa Vista

E PRECISA DE OPOSIÇÃO ?

 
 
Ouvido ontem na Feira Livre da Boa Vista, na Av. Dr. Rosemburgo Romano:
 
- Ô Cumpadre, você é testemunha que eu embora sendo aposentado sou otimista. É próprio de mim. E também não tenho preferência partidária. Voto em gente e não em partido.
 
- Tudo bem homem, você anda lendo muito jornal. Desembuche !
 
- Nós estamos ferrados. A Dilma, todos sabemos, não tem nenhum cacoete de administradora. Foi invenção do sapo barbudo. Mas tudo bem, se cercada de pessoas competentes as coisas vão tenteando. Mas, pelo amor dos meus filhinhos, ter o Mercadante como conselheiro...Mantega coordenando a economia, a Ideli conversando com o Congresso... Gilbertinho Carvalho, coroinha do Lula, rondando por perto, uma mulherada estranha nos ministérios,  a volta do censor Franklin Martins, o PMDB como aliado...Inflação e dólar disparando, importação de gasolina nas nuvens, povo nas ruas...o Obama espionando...
 
- É...verdade. O que alivia um pouco é o Lula estar sumido e não existir oposição. 
 
- E precisa de oposição ?
 
ER 

MOÇA BONITA


CENTRO NACIONAL DE TECNOLOGIAS DE HELICÓPTEROS

Outro dia comentamos no blog sobre a formalização do financiamento (federal e estadual) para a elaboração do projeto para o CNTH. Questionamos o curto tempo estimado para a elaboração do projeto, a nacionalização total de helicópteros e comparação com o CTA-ITA.
O Professor Renato Nunes, ex- Reitor da nossa UNIFEI e de quem temos a honra de ser amigo, como conhecedor profundo da questão, prestou-nos os seguintes esclarecimentos:  

1. O contrato de compra-venda dos 50 helicópteros EC-725, para reequipar as forças armadas, assinado entre o Governo Brasileiro e a Eurocopter (sócia-majoritária da Helibras) inclui cláusulas de transferência de tecnologia.
2. A partir desta condição o Governo brasileiro estabeleceu a meta de “ter” um helicóptero genuinamente brasileiro.
3. A UNIFEI, que já assinara um Protocolo de Intenções para formação e capacitação de pessoal (lembram-se da visita do Presidente Lula, dos Comandantes das três Forças Armadas, do Ministro da Defesa e do Presidente da Eurocopter, a Itajubá, para anunciar a expansão da Helibras?), foi consultada, pela ABDI-MDIC, no final de outubro de 2010, sobre a possibilidade de participar, de forma mais intensa e efetiva do projeto de transferência de tecnologia e da “construção” do verdadeiro helicóptero brasileiro.
4. A UNIFEI, como era seu dever, respondeu rapidamente à demanda do governo federal e elaborou um pré-projeto de um Centro de Tecnologias de Helicópteros (entre outras propostas).
5. Sem a existência deste Centro de Tecnologias de Helicópteros, a verdadeira transferência de tecnologia nunca se efetivará, de fato ( realisticamente: quem “gosta” de fazer transferência de tecnologia ?).
6. Ter o domínio da tecnologia significa, em resumo, possuir a capacidade de gerar, dominar e aplicar o conhecimento específico, fazer a concepção, desenvolver projetos, construir protótipos e realizar testes, fabricar as aeronaves, realizar ensaios de vôo e obter a necessária e indispensável certificação. Isto vai muito além, portanto, dos importantes contratos de cooperação industrial firmados com várias empresas fornecedoras nacionais e que integram o “pacote” de transferência de tecnologia, previsto no contrato Eurocopter/Helibras-Brasil. 
7. Alguém imagina, hoje, que o sucesso da EMBRAER, a terceira ou quarta fabricante mundial de aviões, teria sido possível, sem a existência do CTA e do ITA?
8. A proposta do CTA e do ITA foi feita numa época em que o Brasil mal fabricava bicicletas!! Imagino a quantidade de desaforos e despropósitos que o Marechal Casimiro Montenegro Filho teve de “aguentar”!! Mas o tempo é o grande senhor da razão! E hoje a EMBRAER é uma empresa BRASILEIRA, de abrangência mundial, da qual todos os brasileiros se orgulham.
9. Volto a repetir. A verdadeira transferência (absorção) de tecnologia e o subsequente desenvolvimento endógeno do conhecimento relacionado à área de aeronaves de asas rotativas, nunca se efetivarão sem a existência e pleno funcionamento do CTH.
10. Portanto, meu caro amigo zelador (sem nenhuma ironia, pois você sabe a verdadeira admiração que sinto por você!), comparar os efeitos do CTA-ITA e do CTH-UNIFEI, guardadas as devidas proporções, não me parece nenhum despropósito!
11. Mas voltando à história! O pré-projeto do CTH foi entregue, em dezembro de 2010, à ABDI-MDIC que o fez chegar, à equipe de transição da, então, recém-eleita Presidente da República, Dilma Rousseff. O CTH era elevado, assim, ao status de projeto de relevância nacional.
12. O CTH passa a integrar o Plano Brasil Maior (Política Industrial Brasileira), como um dos projetos estruturantes da indústria brasileira. Ganha status de projeto de relevância nacional. Isto não é pouca coisa! Será que isto garante uma certa continuidade de ação?
13. O governo de Minas Gerais, no propósito de diversificar o perfil da sua economia, estrutura e inicia a implantação de um Complexo Aeroespacial, com vários Polos especializados (inicialmente 5).
14. Um desses Polos, especializado em asas rotativas (helicópteros e outras aeronaves semelhantes) será, gradativamente, consolidado em Itajubá.
15. Digo consolidado, porque de fato, várias instituições e programas que integram esse Polo já existem: A Helibras, algumas empresas fornecedoras, os cursos e grupos de pesquisa de pesquisa recentemente criados pela UNIFEI na área, a Incubadora de empresas e o Parque Tecnológico, cuja Fase I foi inaugurada em 13/12/2012.
16. A próxima e importante entidade do Polo, a ser desenvolvido e implantado, é o CTH.
17. Ao longo de 2011 e parte de 2012, com o objetivo de obter apoio ao projeto e prover o seu aprimoramento, a UNIFEI e a ABDI, apresentaram-no, discutiram-no e obtiveram sugestões junto a várias entidades e instituições. Entre elas citamos, na esfera federal: o MDIC, o MCTI, o MEC, o MD, a Secretaria de Estudos Estratégicos da Presidência da República, entidades das três Forças Armadas, o DCTA, em São José dos Campos, a FINEP e o BNDES; na esferal estadual: as secretarias de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SECTES), de Desenvolvimento Econômico (SEDE) e, ainda, a FAPEMIG; na esfera municipal: a Prefeitura Municipal de Itajubá no setor empresarial: a Helibras (obviamente), algumas das suas empresas fornecedoras e a Petrobras. Cumpriu-se uma longa, mas indispensável, agenda de divulgação, coleta de sugestões e angariação de apoio ao projeto do CTH.
18. Inicialmente ficaram definidas as seguintes responsabilidades: Governo do Estado- financiamento do desenvolvimento do projeto executivo do Centro; Governo Federal e suas Agências de fomento e financiamento – construção do Centro, que passa a denominar-se de Centro Nacional de Tecnologias de Helicópteros, CNTH; UNIFEI- disponibilização de uma área na Fase II do Parque Científico-Tecnológico de Itajubá (15.000 a .000 m2) para implantação do Centro. Mais recentemente está sendo negociada a implantação das áreas de certificação, testes e manutenção do CNTH no aeroporto de Itajubá.
19. Durante 2012 a UNIFEI e a FAPEPE desenvolveram, com a devida consulta a várias entidades parceiras, o Termo de Referência e o Edital de Licitação internacional do Projeto. Foi feita, inclusive, uma consulta prévia ao mercado para obtenção do preço de referência para desenvolvimento do projeto do Centro.
20. O lançamento do Edital de licitação era para ser anunciado no dia 13/12/2013, durante a cerimônia de inauguração da Fase I do Parque Científico-Tecnológico de Itajubá. Tal não aconteceu porque, para liberar os recursos, agora anunciados, para o desenvolvimento do projeto, o governo estadual exigia a formalização do comprometimento do governo federal com a disponibilização de recursos para a implantação gradativa do Centro ao longo dos anos, mas não houve tempo hábil para tal.
21. Segundo as notícias agora divulgadas chegou-se a um novo acordo: os recursos necessários ao desenvolvimento do projeto do CNTH serão divididos, na proporção anunciada, entre os governos federal (MCTI) e estadual (SECTES/FAPEMIG).
22. A licitação, com as devidas adaptações ao edital elaborado em 2012 (que suponho terão de ser feitas), pode ser deflagrada imediatamente após a liberação dos recursos anunciados.
23. A estimativa de R$ 200 milhões incluía, em 2012, parte de investimento e parte de custeio para operação do CNTH, ao longo de 5 a 10 anos. Portanto tais recursos não necessitam ser disponibilizados, na sua totalidade, imediatamente. Existirá um cronograma físico-financeiro para a construção e operação do Centro, que ditará os dispêndios anuais.
24. Por parte de UNIFEI o projeto não sofrerá descontinuidade. O Prof. Ariosto Bretanha Jorge que era o Coordenador Científico do Projeto até então é, a partir do início deste ano, o seu Coordenador Geral.
25. O CNTH é necessário para o país e sua implantação em Itajubá é viável. É preciso perseverar, pois o projeto é de longa maturação. Quanto tempo transcorreu até à verdadeira consolidação do CTA?
 
Professor Renato Nunes
 

PRÁ PENSAR




"Programa Mais Médicos" é o AI-5 da medicina.

José Carlos Trugilho - Diretor da Universidade Federal Fluminense
 
Blog: Dilma, Padilha e Mercadante conseguirão lotar as ruas de homens e mulheres de roupas brancas. 
 
ER 

EXEMPLO