domingo, 23 de junho de 2013

COM TODO O GÁS !

 
Em meio à crise econômica e às várias medidas de austeridade adotadas por vários países, especialmente no Ocidente, um setor da indústria está se dando bem: os fabricantes de gás lacrimogêneo.
Desde a Primavera Árabe (iniciada no final de 2010), o mercado de segurança interna no Oriente Médio teve um aumento de 18% em seu valor, chegando próximo aos 6 bilhões de euros (R$ 17,4 bilhões) em 2012. 
 Na zona do euro, afetada pela crise financeira, as coisas não são muito diferentes. O orçamento de 2012 do governo espanhol de Mariano Rajoy enfrenta cortes em praticamente todas as áreas, mas em equipamentos antidistúrbios o gasto passa de cerca de 173 mil euros a mais de 3 milhões em 2013.
A organização internacional War Resister League (Liga dos Resistentes à Guerra, em tradução livre), que tem uma campanha específica contra o gás lacrimogêneo, identificou a presença de empresas americanas como Combined Systems Inc., Federal Laboratories e NonLethal Technologies.
A brasileira Condor Non-Lethal Technologies, uma das principais provedoras da Turquia, vende seus produtos a 41 países.
Durante a Primavera Árabe, empresas americanas exportaram 21 toneladas de munição, o equivalente a cerca de 40 mil unidades de gás lacrimogêneo.
Em termos de manejo de protestos, nada mudou com a democratização egípcia. Esse ano, o ministério Interior encomendou cerca de 140 mil cartuchos de gás lacrimogêneo ao mesmo elenco de exportadoras americanas.
 
BBC (resumo)
 

PRIMEIRA PASSEATA DA HISTÓRIA DA CIDADE

Foto cedida pelo Dr. Aldo
Já que o assunto está em pauta, vamos recordar com a total participação do grande historiador Armelim Guimarães, como aconteceu a primeira passeata na terrinha. Na impossibilidade de outros meios de comunicação, foi convocada no púlpito da igreja matriz.
Ressalte-se, que já na primeira manifestação de rua (ou de estrada), já aconteceram atos de violência.
Como aconteceu:
 
A Lei Imperial de 14/7/1832 confirmava a elevação do Curato da Boa Vista (sempre a Boa Vista) à categoria de freguesia.
O Padre Lourenço da Costa (então na terrinha), enérgico e impulsivo, resolveu em princípios de agosto de 1832, ir buscar os livros e santos (imagens) pertencentes à paroquia que haviam ficado lá no arraial velho, hoje, o aprazível município de Delfim Moreira (nome como o trataremos doravante).
O acontecimento exigia solenidades e pompas. Para tanto, o Padre Lourenço lançou um convite ao povo da Boa Vista, convocando-o do púlpito para a histórica peregrinação à Capela Velha (Delfim Moreira). 
Na madrugada de um domingo de agosto de 1832, depois da missa, a romaria seguiu para Delfim Moreira. Uma pequena tropa levava víveres. Mulheres e crianças seguiam a cavalo. Homens brancos e escravos acompanhavam a pé.
Como em todos os movimentos acontecidos no país, havia um espião e traidor. Esse elemento, seguiu na frente e avisou o pessoal de Delfim Moreira do perigo.
Os delfinenses, armando-se de foices, clavinas, garruchas, varapaus, facas e chicotes, se posicionam camuflados na entrada da cidade.
Quando a comitiva do Padre Lourenço aproximou-se do pontilhão de madeira, na entrada da então Vila Velha, os defensores atacaram.
O pau quebrou feio.
Enquanto poucos heróis lutavam pela causa do Padre Lourenço, a grande maioria fugiu em debandada, em desabalada carreira. Pânico geral.
O local da peleja passou a ser chamado pelo nome de "Encontro". Segundo relatava o Sr. José Gomes Arruda, participante do episódio, "deve ter gente de Itajubá correndo até hoje".
Feridos e desmantelados, os heróis que lutaram, só pela madrugada dia seguinte (uma segunda-feira) é que foram chegando de volta.
Segundo dizem estudiosos entendidos no assunto, esse "waterloo itajubense" é uma das razões do baixo astral que insiste em permanecer nas redondezas.
É a vida.
 
"Um quadro pintado pelo artista Luis Teixeira retrata o encontro (propriedade da família do Dr. Gaspar Lisboa)
 
ER

PORQUE HOJE É DOMINGO

JESUS NÃO IRIA PARA AS MANIFESTAÇÕES

A pergunta que não quer se calar para os seguidores de Jesus Cristo: Jesus iria para as manifestações que aconteceram nos últimos dias no Brasil?
Fui lá perguntar para ele:
 
Eu – Oi mestre, tudo bem?
Jesus – Mais ou menos, Marcos, o Brasil muito antes das manifestações estava me deixando muito triste.
Eu – Por que dessa tristeza?
Jesus – Por vários motivos, tenho visto vários erros que já tinha falado para evitar como nação, mas que foram ignorados.
Eu – Dê alguns exemplos mestre.
Jesus – São vários, a injustiça aos desamparados que Isaías já tinha denunciado para Judá, um discurso desconexo com a prática, que meu irmão Tiago já tinha falado para tomar cuidado, a corrupção generalizada que o boiadeiro Amós profetizou , a promiscuidade do povo que Oseias sofreu na própria pele para o Brasil entender com clareza, o desprezo com o menor que eu mesmo falei pra nunca deixar acontecer, pois seria melhor amarrar uma pedra no pescoço e ser jogado ao mar.
Eu – E o que podemos fazer para mudar essa realidade?
Jesus – Primeiro, sonde a própria vida para ver se lá dentro a corrupção, a idolatria e o sentimento de levar vantagem a qualquer custo já não tomou conta da sua alma e já está nos seus pequenos atos. Pois, se você não consegue ser justo no pouco, é só questão de circunstancia para ser parte desse sistema corrupto.
Eu – E se fizermos isso, fazemos o que depois?
Jesus – Lute contra a injustiça, não se cale, fale por aqueles que não tem voz, faça isso na internet, na escola, na igreja e nas ruas. Mas faça sempre em amor, nunca use a violência, nunca!
Eu – Então o Senhor iria para as ruas protestar.
Jesus – Não, eu não iria desta vez nas manifestações!
Eu – Mas por quê?
Jesus – Ah meu jovem, eu vou subir o morro para amparar aqueles que não tem consciência nem para entender o que está acontecendo, vou encorajar o policial novato que está apavorado, mas que foi escalado para estar em um ponto crítico dos protestos. Vou ao hospital acudir a menina que tomou um tiro de bala de borracha no olho de um policial inconsequente. Eu vou ficar consolando a tua mãe, que vai ficar orando pela insegurança de um filho que saiu pra protestar sem ter certeza que vai voltar. Não vou pra manifestação para você poder ir!
 
Marcos Botelho (ultimato)

MOÇA BONITA


ENQUANTO ISSO...