segunda-feira, 3 de junho de 2013

INDO PARA O BREJO


Agora o "grande líder" pode declarar sem correr o risco de mentir: "Nunca antes na história deste país..."
 
Nos cinco primeiros meses do ano, a balança comercial acumula deficit de US$ 5,392 bilhões, o pior resultado da história no país. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (3) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).
O resultado no acumulado do ano é o pior na série histórica do MDIC (iniciada em 1993) e na do Banco Central, que mede o saldo entre importações e exportações desde 1959. 
Esse rombo é consequência do atraso no registro de US$ 4,5 bilhões de compras de combustíveis pela Petrobras. Ocorridas ao longo do ano passado, as importações só começaram a ser registradas na balança comercial a partir de dezembro.
 
Blog: Imagino que todos lembram do carnaval que Lula, Petrobrás, Dilma e Gabriele fizeram em 2006 para comemorar a auto-suficiência em petróleo e derivados. O presidente foi a uma plataforma, uniformizado, para manchar as mãos e as roupas com o “ouro negro”. Brincadeira.
 
ER

SOB A LUZ DE VELAS

 
Sem a livre iniciativa, não há concorrência; sem concorrência, não há publicidade; sem publicidade, não há imprensa independente; sem imprensa independente, não há democracia. A livre iniciativa faz parte da democracia. Não se pode ter um país livre e democrático com capitalismo de Estado.

Roberto Civita

TOMA NEYMAR !


O Zelador chegou primeiro.
Camp Nou ("Campo Novo", em catalão) é o estádio de futebol do Barcelona. Foi inaugurado no dia 24/9/57 . A primeira partida realizada no Camp Nou foi um amistoso contra uma seleção polonesa. 4 x 2 para o Barça. 
Em 1981 o estádio comportava 150.000 espectadores. Foi reformado para atender as normas da UEFA. Hoje recebe 98.000 torcedores sentados.
O primeiro gol no estádio foi marcado por Eulogio Martínez.Craque paraguaio (1935/1984), que naturalizado espanhol, disputou o Mundial de 1962 pela "fúria".
 
ER

MORRO ABAIXO


DISK - PIZZA

 
Face aos incontroláveis "arrastões" que estão acontecendo nos restaurantes das capitais, a FIFA recomenda que os turistas que vierem para a Copa utilizem o Disk-Pizza.

Clarin da Boa Vista

10 ANOS DE GOVERNO PETISTA - O ESTADO DE UMA NAÇÃO

Post do José Almir

Amigos do Blog

Falar sobre estes últimos dez anos de governo Petista em doses homeopáticas, para um grupo tão seleto e rigoroso é uma tarefa muito difícil. Um assunto que desperta inúmeros sentimento e um debate apaixonado.
Tive a oportunidade de vivenciar uma parte de todo esse processo até aqui, hoje me sinto cada vez mais próximo de uma visão Petista/Cristã e cada vez mais longe da grande máquina que se transformou o Partido.
Para falar dos últimos dez anos é preciso contextualizar o ano de 2002 e o que significou a vitoria de Lula nas eleições daquele ano. O grande debate e a grande questão do final da década de 1970 até metade da década 1990 foi sem dúvida a necessidade de controlar a inflação. A elite pensante, os economistas e os políticos, se empenharam diuturnamente tentando encontrar formas de controle da inflação galopante brasileira. Foram vários planos ortodoxos e heterodoxos, congelamento de preços, envolvimento direto da população no controle de preços (os fiscais do Sarney fechando supermercado) e até uma atitude tão radical, tomada pelo governo Collor, que chamou a atenção do mundo todo, o confisco da base monetária. O presidente Collor dizia que tinha somente uma bala na agulha para matar o monstro da inflação e confiscou praticamente todo o dinheiro do mercado, tento consequências até os dias de hoje. Não foi suficiente para a eliminação da espiral inflacionária que, pouco tempo depois, voltou com mais energia. O fato é que a população brasileira, os políticos e os economistas acumularam um aprendizado importante com esses erros e acertos dos planos anteriores. O Plano Real nasce deste histórico de experiências, a população não acreditava mais em congelamento de preços, ficou evidente que a forte indexação da economia era um poderoso motor inflacionário junto com o descontrole nas contas publicas e uma forte cultura da inflação inercial. O Plano Real chega como uma conquista de vários anos de experiências no combate a inflação. Era consenso que sem estabilidade de preços não tinha sentido falar de crescimento econômico. Até hoje o Fernando Henrique disputa com o falecido Itamar a paternidade do Real, mas assim como qualquer área do conhecimento, foi uma construção coletiva.
O Plano Real deu ao PSDB e a Fernando Henrique dois mandatos de Presidente. Com o eficiente controle da inflação o governo FHC se afina com o chamado consenso de Washington, um conjunto de medidas formuladas em novembro de 1989 por economistas de instituições financeiras situadas em Washington D.C., como o FMI, o Banco Mundial e o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, fundamentadas num texto do economista John Williamson, do International Institute for Economy, e que se tornou a política oficial do Fundo Monetário Internacional em 1990, quando passou a ser "receitado" para promover o "ajustamento macroeconômico" dos países em desenvolvimento que passavam por dificuldades.
O Governo FHC chega em 2002 com um forte desgaste fruto do receituário neo liberal. A moda era um Estado “pequeno” se possível nenhum. Aconteceram as privatizações de boa parte do patrimônio brasileiro, na pressa de se tornar cool para mainstream internacional,venderam empresas como a Vale do Rio Doce a preço de banana. Vender a vale significou entregar todo um patrimônio do solo brasileiro para o controle dos canadenses principalmente (minério de ferro). Hoje a Vale e extremamente eficiente, não tenha duvidas disso, mas enriquecendo meia dúzia de empresários e devendo uma fortuna em impostos, principalmente para o governo Mineiro.

(continua no próximo post......)
 
José Almir 

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Bing Crosby, Frank Sinatra e Judy Garland

DEU NO JORNAL


O jogo que o Galvão transmite é outro.

Clarin da Boa Vista