quinta-feira, 30 de maio de 2013

SOB A LUZ DE VELAS

 
 
"Vivemos todos sob o mesmo céu, mas nem todos temos o mesmo horizonte."

Konrad Adenauer

NA CORDA !

 
Lembrei-me de um Corpus Christi do início dos anos 60. Subi (antigamente ir da Boa Vista para o centro, significava subir) ali pelas 10:00 horas com o meu amigo Evanir Alkmin. Os enfeites nos pisos das calçadas não nos interessava muito. As meninas que se dedicavam aos enfeites, muito. Estávamos ali pelas bandas do Shopping Beira Rio (que ainda não existia), quando surgiu vindo dos lados do mercado uma Lambretta a toda velocidade, sozinha. Isto é, sem o seu condutor.
Apressadamente subimos na calçada enquanto a motoneta chocava-se com a quina do Edifício Issa.
Passado o susto entendemos o acontecido.
Um senhor (o lambreteiro) conhecido, por motivos óbvios, como Queixada, lambretando todo faceiro a uns 70kms/hora, não percebeu uma grossa corda, ligando dois postes, instalada pelos soldados do batalhão para impedir o tráfego. Erradamente a colocaram a mais ou menos 1:30 metros de altura, a contar do solo.
Corremos para acudir o Sr. Queixada que já em pé, sacudia a poeira.
Ele indagava sem cessar;
- Quede a minha lambreta ? Quem levou? O que aconteceu ? Irei dar parte !
Seguimos em frente. Tínhamos ainda muito para ver.

ER

PIBINHO

NOVOS TEMPOS

 
A estatal cubana Etecsa (Empresa de Telecomunicaciones de Cuba) colocará para funcionar no próximo dia 4 de junho 118 novos centros de comunicação de internet. Não será grátis.
Uma hora de navegação internacional pela internet custará ao cidadão,  4,5 dólares. Desta forma, com um mês completo de salário, um cubano médio poderá comprar quatro horas e meia de conexão na rede. A Etecsa já gerencia outros 200 centros de conexão como esses, instalados em hotéis e agencias do correio.
Esse avanço, asseguram as autoridades cubanas, só foi possível graças a colocação em funcionamento, em fevereiro passado, do cabo de fibra ótica submarino (com 1.600 kms a um custo de US$70 milhões) que conecta Cuba a Venezuela e Jamaica.
 
El País
 


ROTA DO DESENVOLVIMENTO

Senhoras e Senhores, estamos adentrando na rodovia do empreendedorismo.
Passamos pela capital nacional da psiquiatria.
Logo adiante cruzaremos a capital nacional das malhas.
Ali na frente a capital nacional do menino da porteira.
Avançando, observamos a capital nacional do pijama.
Trânsito difícil ao atravessar a capital comercial e industrial do Sul de Minas.
Em poucos minutos passaremos pela capital nacional da eletrônica.
Cruzamento perigoso na capital nacional do pé-de-moleque.
Peço a atenção de todos pois estamos entrando na capital nacional do....
Alô...alô...som...som...testando...A...A...A...som...som...som
PQP ! cortaram !
 
Anônimo

MOÇA BONITA

Faye