terça-feira, 28 de maio de 2013

SOB A LUZ DE VELAS

 
"Há pessoas que veem as coisas como elas são e que perguntam a si mesmas: ''Porquê?'' e há pessoas que sonham as coisas como elas jamais foram e que perguntam a si mesmas: ''Por que não?''.

 Bernard Shaw
 

O DIA QUE A TERRINHA PAROU

 
- Querido, daria para você trazer um lanche para mim ? Estou há duas horas parada no trânsito. Está tudo engarrafado.
- Você continua imprevidente. Como sai para levar a criança na escola sem levar um kit alimentar de segurança ? Lamento mas não posso fazer nada. Estou encalacrado aqui na Luís Rennó, na Avenida. Tentei dar ré mas é impossível. O negócio está parado desde o trevo da Mahle.
- Peça orientação para a Guarda Municipal, por telefone.
- Já falei com eles. As duas viaturas também estão engarrafadas. Uma está próximo da Volks e a outra lá pelos lados do batalhão.
- As perspectivas não são boas. A minha preocupação agora é com o horário de você pegar a Fernanda Cristina na escola no término das aulas.
- Pegar ? Esqueça essa sua preocupação. Eu ainda não consegui chegar até a escola. Ela está dormindo aqui no banco traseiro.
- Brincadeira ! Estacione o carro aí e caminhe até o centro e providencie um lanche.
- Não dá! Não têm existe espaço nas laterais das ruas. Está tudo ocupado.
- A coisa complicou de vez. Acabei de receber um telefonema do Olavo. Ele está desde ontem à tarde parado na subida do Clube Itajubense. Dormiu no carro.
- Tente sintonizar alguma rádio para obter alguma informação.
- Tentei a Jovem e ouvi trecho de uma reportagem externa feita pelo celular pelo próprio Sr. Mafra. Ele também encontra-se forçosamente estacionado na Paulo Chiaradia. E na Futura ? Para acalmar os ouvintes no trânsito estão tocando só músicas clássicas.
- Na Itajubá-AM estão dando algumas orientações interessantes. Para aqueles que estão entrando na cidade pela Imbel, recomendam pegar a estrada de Maria da Fé, entrar pelo Juru e sair lá no bairro do São João. Passar pela Capetinga, pegar o Caminho do Brejo e sair no Novo Horizonte. Dali para frente, com muita sorte e paciência, conseguirão atingir a rodovia nas proximidades da Fundação Bradesco.
Para quem está no Bairro da Avenida, a sugestão é avançar com cuidado para Piranguçu e de lá romper pela Estrada da Berta, saindo lá nos altos da Anhumas.  Se não der, recomendam que os motoristas pernoitem dentro do próprio veículo, nas proximidades do Bar da Maria, que estará fornecendo caldinho de feijão durante toda a madrugada.
- Outra informação dada é que o Prefeito e quase todos secretários estão reunidos no Centro Administrativo, trabalhando em cima de mapas e etc.
- Que bom ! Pelo menos sabemos que estão trabalhando em cima do problema.
- Bom...na realidade todos eles estão presos por lá. Não têm como sair. Aguardam uma manifestação do Secretário de Segurança que se aventurou a descer o Ribeirão Zé Pereira de barco.
- Conseguiu ?
- Notícias dão conta que a embarcação foi vista encalhada nas proximidades da Unimed.
- O problema mais sério está acontecendo na BR-459. Centenas de caminhões de lixo, vindos das cidades vizinhas (convênio) estão parados sem conseguir avançar para despejar a carga no aterro sanitário e tão pouco retornar. Alguns já despejaram a selecionada carga nas margens da rodovia.
- Me dê alguma notícia otimista !
- Ah ! Acabei de ouvir pela Panorama que o Dep. Bilaquinho está sobrevoando a cidade de helicóptero. Prometeu urgentes providências.
Um pouco antes, um vereador - não me lembro o nome - declarou no rádio que entrará com um projeto para construção de novas ruas, tipo beliche, uma em cima da outra. Segundo ele, uma só para ir e outra só para vir.
Pois é...
 
ER    

AS MELHORES UNIVERSIDADES DA AMÉRICA LATINA

O Brasil tem quatro universidades entre as dez melhores no novo ranking QS Uniersity para América Latina. Pelo terceiro ano consecutivo, a USP (Universidade de São Paulo) encabeça a lista. 
Além da USP, aparecem a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), em terceiro lugar, a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), em oitavo lugar e a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), na décima posição. 
O Brasil domina o ranking de 300 universidades com 81 instituições entre as melhores. O México é representado por 50 universidades, a Colômbia, por 42, e Argentina e Chile têm 30 universidades listadas cada. 
O ranking se baseia em sete critérios que avaliam a qualidade da pesquisa, empregabilidade dos formandos, recursos de ensino e presença na internet.Desempenho global
Apesar da liderança brasileira no ranking da América Latina, QS aponta que o país ainda tem baixo desempenho no ranking global. 
"Embora o Brasil domine em nível regional, no contexto global apenas 12 universidades brasileiras estão classificadas no  QS World University Rankings . Entre os países do BRIC, o Brasil fica abaixo da China, com 23 universidades, e da Rússia, com 14, mas acima da Índia, com 11", afirmou o diretor de Administração da QS, Nunzio Quacquarelli.

 As dez melhores da América Latina


UniversidadePosiçãoPaís
USPBrasil
Pontificia Universidad Católica de ChileChile
UnicampBrasil
Universidad de Los AndesColômbia
Universidad de ChileChile
Universidad Nacional Autónoma de MéxicoMéxico
ITESM (Tecnológico de Monterrey)México
UFRJBrasil
Universidad Nacional de ColombiaColômbia
UFMG10°Brasil
    

Fonte UOL
 
Em tempo e para matar a curiosidade geral, a nossa UNIFEI, que estará completando 100 anos em novembro, está classificada em 180º. Já está bom.
 
ER
     
     
 
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
 
     
     
      
     
     
     
     
     
 
     
     
                                                                  
 
 
 
 
 
     
     
 

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Greta Garbo - (foto George Hurrel)

FRASE DO DIA

O consenso é, nas democracias, o que a censura é nas ditaduras.

Reinaldo Azevedo

NO AR...

SARCASMO

O sarcasmo tem uma fama ambivalente que o torna digno de aplauso ou de repulsa. Para alguns o sarcasmo é um sinal de inteligência, mas outros o reduzem ao mau gosto ou a má educação. Em qualquer caso, trata-se de um recurso quase sempre orientado ao humor que, bem utilizado, deixa indiferentes unicamente aqueles que não o entendem.
O interessante é que ultimamente o sarcasmo vem cobrando relevância científica sobretudo no âmbito da neurociência e da linguística porque, segundo alguns especialistas, seu uso e entendimento supõem habilidades cerebrais específicas, uma espécie de trabalho extra com o qual obrigamos nosso cérebro a desenvolver uma maior inteligência.
De certa forma e a nível cerebral, o sarcasmo não é para nada um assunto menor: se já a linguagem é um problema ou fenômeno bastante portentoso, a isto devemos acrescentar essas situações em que uma frase, uma expressão às vezes aparentemente inocentes são utilizadas para dar um sentido completamente oposto do que está sendo dito, pondo em jogo não só o valor figurativo das palavras, senão também as pautas sociais necessárias para compreender essa súbita mudança de direção em um discurso. Sobre isto escreve Richard Chin no Smithsonian:
- "As declarações sarcásticas são um tipo de mentira verdadeira. Diz algo que não significa literalmente e a comunicação funciona como prevê só se quem escuta se dá conta de que o interlocutor não esta sendo sincero. O sarcasmo tem uma qualidade dupla: é divertido e significante. E esta natureza dual leva a teorias contraditórias sobre por que a usamos".Quanto a estas teorias, há os que veem no sarcasmo uma prática  social associada às boas maneiras, uma forma de criticar mas suavizando as possíveis consequências de dita crítica pelo humor com que foi lançada. Outros consideram o sarcasmo um gesto a mais com o que se demonstra superioridade sobre o restante, uma forma de demonstrar que não se é ingênuo.
Mas estas funções mais bem sociais têm um fundamento mais elementar e ao mesmo tempo mais complexo: o cérebro. Segundo alguns estudos, no sarcasmo - seu uso e seu entendimento -, estão envolvidas várias zonas deste órgão, entre elas os lóbulos temporais e o hipocampo, particularmente necessários para identificar por sua inflexão uma voz sarcástica.
Desta forma, sabe-se que o hemisfério esquerdo parece estar dedicado a interpretar as declarações literais, o hemisfério direito e ambos lóbulos frontais parece que seriam os responsáveis por reconhecer quando essa literalidade está transtornada e significa justamente o diametralmente oposto, quando um elogio significa uma desaprovação, por exemplo sua mãe falando: - "Que bonito não Luis Claudio?". Esta conclusão se deve a um estudo recente, quando um grupo de cientistas descobriu que a incapacidade de detectar o sarcasmo pode ser um indício de demência.
Por isto mesmo, longe da moralidade, o sarcasmo é um fenômeno psicológico e cognitivo que merece verdadeiro interesse ou curiosidade a propósito do desenvolvimento de nosso cérebro e como este, ao perceber a realidade que compartilhamos com outros, nos permite ingressar em uma zona comum onde ocorre a compressão e a codificação da linguagem e seus muitos níveis de sentido em uma maneira recíproca.
Neste sentido, é mais ou menos comum que as pessoas que não entendam o sarcasmo sejam usualmente consideradas inocentes, pouco maliciosas, sem a experiência necessária para detectá-lo. Daí que, por exemplo, seja um fato comprovado que as crianças, efetivamente, não sejam capazes nem de compreender nem de formar por si próprios um comentário com esta intenção. E não se trata só de circunstâncias sociais.
De acordo com Esther Inglis-Arkell, entre os 8 e os 9 anos o cérebro das crianças só reconhece o sarcasmo pela entonação que é dada à frase, que se associa e se distingue de outras emoções expressadas e escutadas assim em outras pessoas. Nesta idade, o espectro de inflexões reconhecíveis é bem mais limitado a um punhado de estados de ânimo bem elementares: alegria, raiva, tranquilidade, neutralidade também.
No entanto, conforme o cérebro vai se desenvolvendo e, particularmente, as habilidades sociais, o sarcasmo se dissocia de sua qualidade vocal e passa a ser reconhecido pelo sentido e pela intenção, duas propriedades linguísticas que requerem que uma pessoa seja capaz de imaginar a maneira de pensar de outra (até certo ponto), de elaborar um processo cognitivo relativamente complexo mediante o qual entende o que o outro quer dizer. Em uma palavra: empatia; qualidade que começa a se refinar próximo as 11 ou 12 anos.
E esse, talvez, é o grande paradoxo do sarcasmo: para poder entendê-lo, para codificá-lo e ainda para que uma pessoa possa exercê-lo, requer ser notavelmente empático, algo que algumas pessoas, por serem extremamente egoístas, não sabem fazê-lo.
 
Metamorfose Digital


CONSIDERAÇÃO