segunda-feira, 29 de abril de 2013

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Gay Talese - O melhor repórter do planeta
ER

VALEU TIO !

Diminuiram muito mas ainda existem.
São pessoas que acabam por ficarem conhecidas da gente. Refiro-me aos senhores e senhoras, já de alguma idade, moradores em locais desconhecidos, que disciplinadamente e com impressionante regularidade, passavam pelas casas da Boa Vista aos sábados pela manhã.
Sempre limpos e com vestimentas simples e arrumadinhas.
Não acionavam a campainha. Batiam palmas. Pediam alguma ajuda e em especial algum mantimento.
Os pedintes tradicionais, após receber uma ajuda, agradeciam sussurrando um "Deus lhe Pague". Era gostoso de ouvir
Hoje tocam insistentemente a campainha em qualquer horário. São jovens, querem dinheiro, mal vestidos e aparentando total abandono.
Diferença fundamental:
O estranhos e judiados pedintes de hoje, caminham trôpegos e apresentam olhares distantes e perdidos.
Quase sempre olhando com desdém para o dinheiro recebido, como achando pouco,  mecanicamente murmuram:
- Valeu Tio !

ER

TOMOU O BARCO

 
 
Tomou o barco em São Paulo o Doutor Paulo Vanzolini. Doutor em zoologia pela Universidade de Harvard. Um dos idealizadores da FAPESP - Fundaçãode Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo e participante colaborador do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo.
Não tem muitas música, mas as que fez, principalmente três delas, são maravilhosas. Uma delas, "Ronda", é considerada um dos clássicos da MPB. Compôs essa música em 1951, que foi gravada primeiramente pelo cantor Bola Sete, em 1953.
Ficou conhecido do público em 1963, quando o seu samba "Volta por Cima", composto em 1959, estourou nas paradas de sucesso brasileiras.
Dessa eu me lembro bem, gravada pelo Noite Ilustrada. (um homem de moral, não fica no chão e nem quer que mulher lhe venha dar a mão, reconhece a queda e não desanima. Levanta sacode a poeira e dá volta por cima)
Vanzolini nasceu em São Paulo em 1924. Inevitável não comparar "Ronda" com a também excepcional "Sampa" do Caetano. 
Me marcou também muito a música Cuitelinho, colhida no folclore goiano pelo Paulo Vanzolini  e Antonio Xandó. De uma simplicidade e profundidade inacreditáveis. Na ocasião era interpretada pela dupla Pena Branca e Xavantinho. Também gravaram , e muito bem, a Nara Leão, o Renato Teixeira e o Almir Sater, dentre outros. Depois de muito tempo, o Paulo Vanzolini, por sua conta, usando de sua arte, acrescentou mais um verso, que quase ninguém canta.
Eu vou pega seu retratinho
E colocar numa medáia
Com seu vestidinho branco e
um laço de cambraia
Pendura-la em meio peito
Onde o coração trabáia
Paulo Emílio Vanzolini

ER
 

ESTRANHOS PODERES