sexta-feira, 26 de abril de 2013

DEU NO JORNAL

O poder executivo, ameaça o poder legislativo, que ameaça o poder judiciário, que ameaça o poder executivo, que ameaça o poder legislativo, que...
E o povo, óóó !

Clarin da Boa Vista

MOÇA BONITA

Scarlett

JUDICIALIZAÇÃO DA POLÍTICA

Reunida em Brasília, a FNP (Frente Nacional de Prefeitos) criou uma comissão para redação de uma proposta de reforma do Judiciário e de atribuições do Ministério Público. O texto será encaminhado como colaboração ao Congresso Nacional.
A FNP reúne capitais e municípios com mais de 100 mil habitantes, contando com 250 filiados. (mais uma vez a terrinha fica de fora) A intenção, segundo o comando da frente, é coibir o que os prefeitos chamam de "judicialização da política".
Na abertura do encontro, na noite de terça-feira (23), o então presidente da FNP, João Coser (PT-ES), arrancou aplausos da presidente Dilma Rousseff ao criticar a "judicialização da política". Dilma o aplaudiu não só ao ouvir a expressão, mas também quando Coser afirmou que os prefeitos são tratados como criminosos.
Os prefeitos defendem que seja estabelecida, em Lei, a diferença de "improbidade" para ato administrativo. Hoje, reclamam, ficam a mercê da opinião de agentes de órgãos de fiscalização. Ministério Público é o maior alvo de queixas.
Recém-empossado presidente da FNP, o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati (PDT), diz que o tema foi objeto do mais acalorado debate do encontro de prefeitos. "Apresente-me um prefeito de segundo mandato aqui que não tenha passado por problemas com o Ministério Público, e eu coloco sua foto na parede".
 
Folha
 
  

PARA INGLÊS VER

O senador Aécio Neves está elaborando um projeto para propor no Senado que vai polemizar e alterar o atual cenário político: ele quer extinguir a possibilidade de reeleição presidencial, de governadores e prefeitos e ampliar de quatro para cinco anos os mandatos de todos os novos eleitos, aplicando, desde já, a regra que poderia afetar a si mesmo caso eleito.
 
Blog: Por que não estender o projeto para também extinguir a possibilidade de reeleição de vereadores, deputados e senadores ?
Lógico, não seria aprovado jamais. Quem votaria seriam os próprios profissionais.
 
ER

OLHO VIVO

 
O governo do Estado de Minas Gerais vai instalar 504 câmeras de videomonitoramento do Olho Vivo em 18 cidades mineiras, como medida preventiva para combater a violência no Estado.
Ontem, o governador Antonio Anastasia assinou protocolos de intenção com os prefeitos das cidades beneficiadas com a implantação do sistema, e também termos de compromisso de cooperação técnica e operacional durante a instalação de novos Centros de Prevenção à Criminalidade (CPCs). Serão investidos cerca de R$ 50 milhões até o fim de 2013 na aplicação das novas medidas de segurança.
Segundo informado,  foram escolhidas as cidades que, do ponto de vista estatístico, têm população na faixa de pelo menos 100 mil habitantes e índices de criminalidade que estejam entre os maiores do Estado.
Áreas com alta incidência de crimes serão monitoradas 24h por dia, pela primeira vez, nas cidades de Contagem, Juiz de Fora, Ribeirão das Neves, Betim, Divinópolis, Patos de Minas, Teófilo Otoni, Janaúba, Passos, Paracatu, Unaí, Nova Lima, Ituiutaba, Araguari, Pouso Alegre e Uberaba. Uberlândia e Montes Claros terão o número de câmeras ampliado.
 
Blog: Por 10 mil habitantes a terrinha ficou de fora. Estamos lascados.
 
ER

THE NEW YORK TIMES