quarta-feira, 17 de abril de 2013

DEU NO JORNAL

 
Ações de empresa do Eike disparam para baixo na Bolsa. Segundo cotação de hoje, o cliente que optar por devolver suas ações, pagará R$ 0,80/ação.

Clarin da Boa Vista

SÓ BLUES



Aquarela em Blues.

ER

SOB A LUZ DE VELAS

Grupo de trabalho é um conjunto de pessoas nomeado por um poderoso que não conhece nenhum dos seus elementos e que os indica para resolver um problema do qual, individualmente, nenhum tem a menor noção.

Millôr

MOÇA BONITA

Ana Ivanovic

DIA MUNDIAL DO MALBEC


Comemora-se hoje o Dia Mundial do Malbec. 
Essa  uva chegou na Argentina em 17 de abril de 1853, importada pelo presidente Domingo Faustino Sarmiento. Se adaptou maravilhosamente naquele país, tornando-se praticamente no vinho nacional da Argentina.
Desde os anos 90 a Argentina tornou-se conhecida no mundo como o "país do Malbec.
Malbec, é um tipo de uva francesa e principal variedade da região de Cahors, também presente em Bordeaux, encontrou condições excelentes na Argentina, onde produz vinhos frutados, muito macios, de bom corpo, cor escura e tânicos, para ser consumido ainda jovem, também muito usado em bordeaux para fazer corte. Malbec é utilizado amplamente por vinícolas argentinas, sendo esta produção equivalente a 59% do plantio mundial
Nos anos 40, a Malbec foi arrasada na França por epidemias e geadas.
No final dos 90 o mundialmente influente enólogo e empresário francês Michel Rolland começou a apostar no Malbec argentino, dando um impulso adicional à esta variedade, que desde a virada do século vive um boom no país e no resto do mundo.
Nos últimos dez anos as exportações de Malbec subiram de US$ 50 milhões para US$ 421 milhões. No ano passado a Argentina vendeu ao exterior 1,02 milhões de hectolitros de Malbec, volume que representou um aumento de 12% em relação a 2011.
Atualmente, adegas francesas - inclusive as de Cahors, região original desta uva na França - importam esse vinho da Argentina, considerado pelos enólogos como o melhor Malbec do mundo.
 
Fonte: Estadão
 
ER

PARQUE MUNICIPAL

Sinceramente não sei o que acontece, mas que pega mal, isso pega. Se não vejamos:
Em 2010, já lá vão quase três anos, foi anunciado bombasticamente a construção de um parque municipal na cidade. Seria um presente da Helibrás para a terrinha.
O tempo foi passando. Ora eram atrasos nos documentos, outro dia seria aspectos ambientais, outro dia projeto em fase final...
Sai prefeito, entra prefeito e nada.
Leio hoje no Itajubá Notícias uma entrevista do presidente da empresa, que indagado sobre o parque diz:
 
 -  O projeto está correndo como o previsto e segue na Prefeitura da cidade para ajustes técnicos. A expectativa é que ainda este ano possa ser anunciado o início das obras no local destinado ao Parque Municipal.
Essa é uma obra conjunta com a Prefeitura de Itajubá e para a qual queremos também atrair a participação de outros parceiros.
 
Quer  dizer, existe a expectativa que até o final de 2013 possa ser anunciado o início das obras ? E mais, "queremos atrair outros parceiros ? êpa !  
 
Ainda na mesma entrevista, o presidente Marson disse que o aeroporto de Itajubá será de grande valia no sentido de agilizar o transporte de peças e passageiros. Não mencionou a tão falada questão da necessidade de pista para testes de helicópteros mais pesados.
 
Nós da terrinha ficamos muito humildes. Não questionamos mais nada. Ficamos experts em estender tapetes vermelhos. Conversar numa boa de igual para igual é justo e fica bem para todo mundo.
 
A presença da empresa em Itajubá é de extraordinária valia. Não temos dúvida.
Agora que dá a entender (citando o Barão de Itararé) que existe algo nos ares além dos aviões de carreira (e helicópteros), em se tratando do presente para a cidade.
 
ER 

TOMATE