quarta-feira, 10 de abril de 2013

SOB A LUZ DE VELAS

Podemos ser mais espertos do que qualquer outra pessoa, mas não do que todas as outras.

François La Rochefoucauld 
 

ITAJUBÁ NOTÍCIAS


Já está nas bancas o número 500 do jornal Itajubá Notícias. Nascido para informar em 17 de julho de 2003. Já lá vão quase 10 anos.
Acompanhamos o jornal desde o seu primeiro número. Já ficamos felizes com o publicado, indignados, com raiva, atônitos, alegres, esperançosos, desanimados, mas quase nunca, indiferentes.
Imagino a dificuldade para se fazer um jornal na terrinha. Não deve ser fácil.
Parabéns ao Itajubá Notícias, ao Rodrigo, a Lúcia Nilo e toda a equipe.
Espero estar por aqui quando da edição do número 1.000.

ER

E POR FALAR EM LÁGRIMAS...

Deschorar. A primeira vez que escutei essa palavra foi quando ainda era moleque na Boa Vista.
Não existe ? Claro que sim !
Ouvi-a pela primeira vez de uma senhora já passando dos sessenta. Naquela época, uma pessoa com sessenta era bem mais velha do que uma com setenta, hoje. Milagres.
Pois bem, a elegante senhora, misseira e sempre carregada no pó de arroz, era casada há séculos com o Sr. Milton. Completaram bodas de tudo quanto é metal precioso e jóias raras.
Não tiveram filhos. Já aposentados, aparentemente, viviam um para outro.
Numa manhã fria de inverno com a neblina cobrindo a torre da igreja São José, o Sr. Milton, inesperadamente, tomou o barco. Sem nenhum aviso prévio. Morreu como um passarinho.
Como dizia o Nelson Rodrigues, Dona Odete chorou lágrimas de esguicho. Uma enxurrada.
A desgraça é que fofoqueiros sempre existiram em qualquer tempo e lugar. Aconteceu. 
Passadas  duas semanas da partida do marido, Dona Odete, ainda de luto fechado, ficou sabendo da existência de uma filial lá pelas bandas da Rodovia.
Tudo comprovado, inclusive com fotografias.
Doeu aquela foto tirada com a Alzira (era o nome da outra) na Aparecida do Norte, para onde ele viajou sozinho a pagar uma promessa.
E o Sr. Milton com aquela cara de santo!
Passado o susto, veio o ódio.
Dona Odete passou a botar a boca no trombone. Isso na feira, na igreja e na Rua Nova. Dizia para todo o mundo:
- Bandido, salafrário e cafajeste, deschorei tudo. Até a última gota.
Esclarecendo: deschorar é diferente de recolher as lágrimas. Recolher as lágrimas ocorre tranquilamente com o passar do tempo. Significa recomeçar, ir adiante. Recaída só em finados, natal e passagem do ano, quando afloram recordações.
A expressão existe.
Voltei a ouví-la outra vez, quando uma solteirona, apaixonada desde o início dos anos 50 pelo Rock Hudson, soube pelos jornais e revistas que ele era gay.
Confessou a moça junto à manicure:
-Respeito o jeito dele mas deschorei tudo o que tinha chorado por ele, e não foi pouco.
Deschorar é grave.
Conheço um cabo eleitoral do Collor que chegou a esse ponto quando da cassação do ex-presidente por corrupção. Tinha chorado de alegria na eleição.
Por essas e outras que é bom chorar só certeza absoluta. Deschorar deve ser muito desgastante.

ER
  

PROJETOS PIRARUCU

Publicado no início de 2012 - Continua valendo
 
Pirarucu (Arapaima gigas) é um dos maiores peixes de água doce fluviais e lacustres do Brasil. Pode atingir três metros e seu peso pode ir até 200 Kg. É um peixe que é encontrado geralmente na bacia Amazônica, mais especificamente nas áreas de várzea, onde as águas são mais calmas.
Esta espécie de peixe possui características biológicas e ecológicas bem distintas:
Possui dois aparelhos respiratórios, as brânquias, para a respiração aquática e a bexiga natatória modificada, especializada para funcionar como pulmão, no exercício da respiração aérea, obrigatória.
Isso quer dizer que surgem na superfície, exibem sua espetacular estrutura e beleza, deixando os pescadores extasiados.
Respiram fundo (os índios dizem que até apresentam um sorriso), tornam a mergulhar por tempo indeterminado, surgindo novamente, depois de algum tempo, em outras paragens, dando novo alento aos pescadores, já desanimados.
Na terrinha os pescadores, ou melhor, os itajubenses, acompanham diversos "projetos pirarucus".
Os projetos são apresentados para a população que se alegra e entusiasma.
Mergulham nos gabinetes da Prefeitura, da Câmara Municipal, da Unifei, de Belo Horizonte e Brasília . Lá permanecem num estranho imobilismo e silêncio.
Quando bate o desalento no povo, os nossos "pirarucus" são empurrados à tona para respirar.
Como engordaram um pouco e já possuem até registros em Power Point, deixam os "pescadores" felizes e orgulhosos com ares abobalhados de felicidade.
As esperanças são reativadas.
Obedecendo a natureza, respiram e tornam a se enfurnar nas profundezas.
Temos na terrinha, já vistos e fotografados alguns deles:
Projeto Pirarucu " Barragens Para Contenção de Enchentes"
Projeto Pirarucu " Aeroporto Municipal"
Projeto Pirarucu " Parque Municipal da Cidade"
Projeto Pirarucu " Parque Tecnológico"
Projeto Pirarucu " Trevo da Piedade"
Projeto Pirarucu " Grande Empresa Alemã"
Projeto Pirarucu " Anel Viário"
Projeto Pirarucu " Centro de Convenções"
Projeto Pirarucu " Revitaliação do Centro"
Neste ano de 2013, face as condições climáticas e sob nova direção, espera-se que os "projetos pirarucu" venham até a superfície, mais amiúde.
 
ER

NOTÍCIAS DO BRASIL

Deu no El País:
 
Me imagino a los dos jóvenes, él, francés de 22 años y ella americana de 21, enamorados, alquilando felices un piso en Rio de Janeiro, la “ciudad maravillosa".
Y me los imagino hundidos en la mayor de las humillaciones, cuando el 30 del mes pasado, vivieron aquel calvario, de verse, en pleno centro de Río, dentro de un minibús que habían tomado para ir a divertirse a la Lapa, el centro de la movida carioca, masacrados y humillados.
Ella, la chica, fue estuprada repetidamente. Él, dejado sin sentido tras haber sido golpeado con una barra de hierro. 
Hoy leo que hubo aún más.
¿Más?
Las humillaciones a la pareja de enamorados no acabaron allí. Tras la joven, violada y humillada ante los ojos de su chico, haber sufrido lo que sufrió, tuvo que cargar aún con el desprecio de sus verdugos que llegaron a llevar a cabo la peor de las humillaciones.
Cuando pasaban por el barrio de São Gonçalo, intentaron “vender a la joven” a un sujeto que al examinarla y ver que ya había sido aquella noche repetidamente estuprada “haciendo un gesto de asco” se limitó a decir que estaba "muito estragada”. La palabra “estragada” se usa, por ejemplo para decir que una carne ya huele mal.
Y no paró ahí. El delegado de policía, Gilberto Stivanello, de la Comisaría de Protección a los Adolescentes, que ha revelado el episodio, cuenta que después que el sujeto había expresado con asco que no compraba a la joven porque estaba “estragada”, los que intentaban vender a la chica “se rieron a carcajadas”.
Parece imposible que alguien como yo que lleva ya muchos años a las espaldas, 50 de ellos dedicados al periodismo, pueda aún extrañarse de alguna de las maldades y fechorías llevadas a cabo por ese horror que somos la raza humana.
Juro, sin embargo, que al leer esta noticia de hoy, día 9 de abril, y viviendo aquí en Río, y pensando en mi hija que ama a esta ciudad donde tuvo lugar el calvario de esos dos jóvenes, me costó no llorar.
De vergüenza y de horror, al tocar con mano que la degradación espiritual a la que puede llegar el ser más inteligente de la creación, es un pozo sin fondo.
No lo oculto. Tengo hoy ganas de vomitar. Sí, de asco, de pena y de mil cosas más.
¿Por qué se lo cuento?
No lo se.
Quizás esa degradación moral, nos ayude a todos a pensar en esos dos jóvenes, que podían haber sido nuestros hijos.
Matar es un crimen. Violentar a una joven inocente y desarmada, lo es más si cabe. Ahora, intentar después venderla y al ver su cuerpo ya ajado, burlarse de ella, es un crimen sin perdón.
A ellos, a los dos jóvenes torturados y despreciados, física y moralmente, mi abrazo de amistad y perdón.
Al final, todos somos, de alguna forma, culpables del horror del mundo, que parece no tener
límites.
 
Juan Arias - El País (correspondente no Brasil)

DRAGÃO DA INFLAÇÃO


Cebola recupera e fica acima do tomate.

ER

DEU NO JORNAL

Depois da entrevista concedida, Zé Dirceu foi anistiado. PT entrará com processo para sua canonização. Joaquim Barbosa e Fux irão para a prisão.

Clarin da Boa Vista 

ESTÁ TUDO DOMINADO


DECIDIDO


Hoje acordei decidido
não quero mais ser iludido
vou agora mesmo pegar o giz
e botar logo os pingos nos is

Betusko