segunda-feira, 1 de abril de 2013

AGORA AGUENTEM !


O pau anda comendo solto no lombo do Deputado Federal Pastor Marco Feliciano, atual presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara dos Deputados (não me perguntem o que eles fazem).
O que ninguém fala, é que o pastor não caiu de para-quedas no cargo. Foi eleito e bem eleito, pelos seus pares do PT e PMDB, principalmente.
É  a vida...

ER

ACONTECIMENTO DE 1964

 
Para os da chamada "direita", foi a revolução de 64. Para o pessoal da "esquerda", foi o golpe militar de 64. Para mim não foi golpe e nem revolução. O governo Jango caiu praticamente sozinho. Ontem foi aniversário da também chamada "redentora".
Escreveu o jornalista David Nasser na ocasião:
 
"Essa revolução tem tantos donos, que a gente fica sem saber contra quem foi feita."
 
ER

TURBULÊNCIA

Que a Boa Vista, até em passado recente, centralizou tudo na cidade, sempre foi do conhecimento geral.
Muito pelas estações ferroviária e rodoviária. Outro tanto pelos cinemas, restaurantes e movimentada vida noturna.
Claro que existia violência. Não como a de hoje. Eram desavenças pessoais que levavam para as pernadas, navalhadas e alguns tiros (sempre para o alto). Corações mal-amados, dívidas do carteado e bilhar e certamente, por ciumeira em geral.
Por lá e por essas razões nunca ninguém morreu.  
Atualmente em toda a cidade ( e em todo o Brasil) impera a violência.
Roubos e assaltos à mão armada. Crimes praticados, quase sempre, por jovens tristemente envolvidos com as drogas.
A Boa Vista não tem escapado.
Quase que diariamente temos notícias de ocorrências sobre o tema.  
Ousaria a dizer que precisamos de uma atenção especial dos responsáveis pela segurança. A PMI poderia ajudar dando uma caprichada na iluminação pública.
Fazer o quê ?

ER

MISSIONÁRIOS

 
Se existe um lugar que adora receber um missionário, esse lugar é a terrinha. Não me refiro aos missionários religiosos. Esses têm pouco trabalho por aqui. O povo é bom e ordeiro. Ovelhas obedientes e sobre isso não existe dúvida.
Nos referimos aos missionários genéricos.
São pessoas especiais que, através de uma visão ou um toque de um conhecido bajulador, passam a acreditar que foram imbuídos de uma missão.
Missão ?
Sim, tentar transmitir algum conhecimento ou experiência, lutar pela ética e transparência, pelo meio ambiente, pela serra da Mantiqueira, pelo rio Sapucaí, pelos Índios coroados, e etc.
Continuam chegando de fininho à terrinha.
Sorriso amável, solicito e com ligeiro sotaque de sua região de origem. Vão apalpando, apalpando até descobrir uma causa. É bom que se registre: a causa a ser defendida é apenas um mero detalhe. O que eles querem é defender ou atacar alguma coisa, de preferência ocupando uma liderança.
Observam bem o ambiente, atentam para as conversas das filas de bancos, farmácias e supermercados. Frequentam missas, cultos, cerimônias de hasteamento de bandeiras, comparecem as reuniões de pais de alunos e de repente já estão sendo convidados para aniversários e casamentos e reuniões outras.
O primeiro ano é dedicado a escutar e conhecer o pessoal. Depois, é melhor sair da frente. Costumam atropelar.
Com o tempo podem até assumir a diretoria de uma ONG, um clube de serviço e até mesmo se lançar na política.
Um belo dia, assim como surgiram, desaparecem.
Na certa, após o dever cumprido, partem para novos desafios.
É a vida...
 
ER

MOÇA BONITA

Cate

TUDO DE NOVO