quinta-feira, 7 de março de 2013

FÁBULA

Quero que me caia a lingua

Régio Nonada ficou olhando o açougueiro empacotar cuidadosamente suas compras, e, quando o açougueiro já estava atento a seus próprios gestos, mexeu acintosamente na carteira e disse, pesaroso:
- "Xi, seu Antônio, estou sem um níquel, depois eu pago." Seu Antônio já conhecia o Régio. Disse:
- "Não faz mal, doutor Régio, eu aceito um cheque." Régio fez uma expressão inda mais pesarosa:
- "Seu Antônio, o senhor sabe que deixei tudo em cima da cama, na hora de sair? Mas, olha, de tarde mesmo passo por aqui e pago."
O açougueiro fez um ar de desespero e disse, botando a mão no embrulho:
- "O senhor vai perdoar, doutor Régio, mas da última vez que ficou devendo, levou três meses pra me pagar. Não posso fiar, não; eu vivo disso". Régio botou também a mão em cima do pacote:
- "Olha, seu Antônio, o senhor sabe como eu sou supersticioso. Juro que volto com o dinheiro logo depois do almoço. Se não voltar, quero que me caia a língua!” Régio falou com tal sinceridade que o açougueiro não teve jeito. Tirou a mão de cima do embrulho e deu de ombros, aborrecido, como quem diz “Tá bem!”. Régio saiu do açougue, dobrou a esquina e, ali mesmo, abriu o pacote de carne. No meio do acém, das tripas e das costeletas estava a língua.
Pegou-a e deixou-a cair no chão.

Millor

PASSANDO NO SUPERMERCADO


NOTÍCIA QUE GOSTARIA DE LER

ONG fará consulta popular para definir prioridade de futuras campanhas.

Clarin da Boa Vista

QUANTIDADE INSUFICIENTE

Conversa ouvida na fila do Supermercado Alvorada:
 
- Eu acho que dez é um número suficiente.
- Não posso concordar com você. Dezessete é de bom tamanho e atende a maioria da população.
- Não dá. Esse número de dez foi muito estudado. Não surgiu assim do nada. Tem pesquisas em cima disso.
- Se pode ser dezessete, por que não ? O preço é quase o mesmo.
- Cara, eu falo pela minha experiência de anos; 10 sacolinhas por clientes, na compra semanal é mais do que suficiente.
- Não posso concordar. Eu vinha vindo utilizando sempre quinze. Acho, mas não tenho certeza, que sempre foram quinze.
-Mêu, nós vamos discutir aqui até amanhã e não chegaremos a lugar nenhum.
-Tens razão. Vamos aguardar a decisão da Câmara na reunião de amanhã:
Ou os clientes terão direito a dez sacolinhas ou a dezessete.
Questão complicada.
 
É a vida...
 
ER
 

A ASSEMBLEIA DOS RATOS









Do inesquecível livro "As mais belas histórias", ainda no tempo do, também  inesquecível, Grupo Escolar Rafael Magalhães. Na Boa Vista, é claro.
 
"Um gato de nome Faro-Fino deu de fazer tal destroço na rataria duma casa velha que os sobreviventes, sem ânimo de sair das tocas, estavam a ponto de morrer de fome.

Tornando-se muito sério o caso, resolveram reunir-se em assembléia para o estudo da questão. Aguardaram para isso certa noite em que Faro-Fino andava aos miados pelo telhado, fazendo sonetos à lua.
- Acho - disse um deles - que o meio de nos defendermos de Faro-Fino é lhe atarmos um
guizo ao pescoço. Assim que ele se aproxime, o guizo o denuncia e pomo-nos ao fresco a tempo.
Palmas e bravos saudaram a luminosa idéia. O projeto foi aprovado com delírio. Só votou contra um rato casmurro, que pedindo a palavra disse:
Silêncio geral. Um desculpou-se por não saber dar nó. Outro, porque não era tolo.Todos, porque não tinham coragem.
E a assembléia dissolveu-se no meio de geral consternação.
Dizer é fácil. Fazer é que são elas."

Monteiro Lobato

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Beatles em Nova York - Por March Weinstein - Agosto/65





TOTALMENTE NUA


PODES CRER !