domingo, 3 de fevereiro de 2013

SOB A LUZ DE VELAS

O correr da vida embrulha tudo.
A vida é assim: esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa,
sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem


Guimarães Rosa

PORQUE HOJE É DOMINGO

 
Porque eu, o SENHOR, teu Deus, te tomo pela tua mão direita e te digo: Não temas, que eu te ajudo.

Isaías 41:13

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Agnes Gonxha Bojaxhiu  -  Madre Teresa de Calcutá

TRADUÇÃO DO SILÊNCIO

Vittorio Medioli - Jornal O Tempo
O tradutor oficial da corte inglesa, o poliglota Giovanni Florio, versado, ao mesmo tempo, em latim, italiano, alemão, francês, espanhol e inglês, melhor do que qualquer outro da sua época, sustentava que, para "interpretar corretamente o silêncio, era necessário conhecer muito bem a língua de um homem". Ele, dentre muitos, era quem mais admiração recebia de Elizabeth I por suas "traduções" introspectivas, pelo "fumus"(fumaça) que captava do não dito. A palavra - é preciso lembrar - é um ato de criação, uma magia. Faz surgir, do nada, objetos, sentimentos, circunstâncias. Gera a imagem que não foi possível presenciar-se. Estimula a descer mais fundo na interpretação, a roubar os segredos dos anjos, as maldades dos diabos. A palavra certa, no momento certo, pode iluminar o caminho, abrir a porta de um ambiente sublime. Pode também entristecer, aterrorizar, levar à morte.

Florio tinha ciência de que uma má tradução poderia provocar perda irreparável, condenação imerecida e até guerras e horrores. Bem por isso, no fim de sua existência, forjado pelas responsabilidades que enfrentou, confessava que "a gramática e a palavra eram meios mais úteis para pacificar a humanidade do que tratados de paz e acordos comerciais firmados entre homens de Estado". A palavra certa, no momento certo, desanuvia, penetra no íntimo, abre o coração, conquista territórios e riquezas, ergue a paz no meio das incompreensões. Mas cuidado: "para compreender o ânimo de um homem, é preciso escutar como ele fala, pois a maioria das coisas fica sem ser dita, nas entrelinhas. Todavia, a parte não dita é a mais importante, pois se refere ao que foi dito e fixa o sentido da verdade".

Pode parecer complicado, mas basta pensar que o homem, por tendência egoísta, preservacionista, foge do que lhe desagrada, do que o complica, do que o desmente, do que o faz lembrar-se de que está em falta com a verdade. O Mestre ensinou como o cisco no olho alheio assume mais gravidade que a trave que cega a visão do próprio estulto. Pois é por aí: "as palavras são as cores de um quadro; o silêncio, as sombras". Por isso, é preciso prestar mais atenção nas áreas negras; nelas, como no silêncio, o indivíduo esconde o que o incomoda, aquilo com que o povo não pode sonhar. Transcorridos 420 anos, se o tradutor de Elizabeth I reencarnasse no Brasil, teria que se dedicar a "traduzir o silêncio dos culpados", daqueles que, do trono, falam quase todos os dias. Falam sem parar, falam por medo de ter que escutar.
Vittorio Medioli

PIROU DE VEZ !

 
Romero Jucá, conhecidissimo Senador do PMDB, declarou que todas as denúncias apresentadas contra o nobre presidente do Senado, Rene Calheiros, também do PMDB, serão arquivadas. São coisas do passado.
Passamos a entender que todos os crimes acontecidos no passado (quando comecei a digitar este post já é passado), não devem ser questionados.
Doravante, segundo entendemos da declaração de sua excelência, somente deverão ser objeto de investigação e eventualmente punição, os crimes a serem cometidos no futuro.
O presente, praticamente já é passado.
Sem medo do cometimento de injustiça:
Os políticos brasileiros já estão em condições de serem processados por erros que certamente cometerão nos próximos anos.
Alguma dúvida ?
Claro, uma ou outra exceção sempre acontece.

ER

CARNAVAL EM VENEZA


Que tal no próximo ano ?

ER

CANTINHO DA SALA

Karen Tarlton

TRISTE SITUAÇÃO


MINEIROS


...Só que mi­neiro não se move de graça. Ele per­­manece e conserva. Ele espia, indaga, protela ou palia, se sopita, tolera, remancheia, perrengueia, sorri, escapole, se retarda, faz véspera, tempera, cala a boca, matuta, destorce, engambela, pauteia, se prepara. Mas, sendo a vez, sendo a hora, Minas entende, atende, toma tento, avança, peleja e faz.
 
Guimarães Rosa

JEJUM