sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

PREFEITO DOS BONS

"Lulu Bergantim veio de longe, fez dois discursos, explicou por que não atravessou o Rubicon, coisa que ninguém entendeu, expediu dois socos na Tomada da Bastilha, o que também ninguém entendeu, entrou na política e foi eleito na ponta dos votos de Curralzinho Novo. No dia da posse, depois dos dobrados da Banda Carlos Gomes e dos versos atirados no rosto de Lulu Bergantim pela professora Andrelina Tupinambá, o novo prefeito de Curralzinho sacou do paletó na vista de todo mundo, arregaçou as mangas e disse:
— Já falaram, já comeram biscoitinhos de araruta e licor de jenipapo. Agora é trabalhar!
E sem mais aquela, atravessou a sala da posse, ganhou a porta e caiu de enxada nos matos que infestavam a Rua do Cais. O povo, de boca aberta, não lembrava em cem anos de ter acontecido um prefeito desse porte. Cajuca Viana, presidente da Câmara de Vereadores, para não ficar por baixo, pegou também no instrumento e foi concorrer com Lulu Bergantim nos trabalhos de limpeza. Com pouco mais, toda a cidade de Curralzinho estava no pau da enxada. Era um enxadar de possessos! Até a professora Andrelina Tupinambá, de óculos, entrou no serviço de faxina. E assim, de limpeza em limpeza, as ruas de Curralzinho ficaram novinhas em folha, saltando na ponta das pedras. E uma tarde, de brocha na mão, Lulu caiu em trabalho de caiação. Era assobiando "O teu-cabelo-não-nega, mulata, porque-és-mulata-na-cor" que o ilustre sujeito público comandava as brochas de sua jurisdição. Lambuzada de cal, Curralzinho pulava nos sapatos, branquinha mais que asa de anjo. E de melhoria em melhoria, a cidade foi andando na frente dos safanões de Lulu Bergantim. Às vezes, na sacada do casarão da prefeitura, Lulu ameaçava:
— Ou vai ou racha!
E uma noite, trepado no coreto da Praça das Acácias, gritou:
— Agora a gente vai fazer serviço de tatu!
O povo todo, uma picareta só, começou a esburacar ruas e becos de modo a deixar passar encanamento de água. Em um quarto de ano Curralzinho já gozava, como dizia cheio de vírgulas e crases o Sentinela Municipal do "salutar benefício do chamado precioso líquido". Por força de uma proposta de Cazuza Militão, dentista prático e grão-mestre da Loja Maçônica José Bonifácio, fizeram correr o pires da subscrição de modo a montar Lulu Bergantim em forma de estátua, na Praça das Acácias. E andava o bronze no meio do trabalho de fundição quando Lulu Bergantim, de repente, resolveu deixar o ofício de prefeito. Correu todo mundo com pedidos e apelações. O promotor público Belinho Santos fez discurso. E discurso fez, com a faixa de provedor-mor da Santa Casa no peito, o Major Penelão de Aguiar. E Lulu firme:
— Não abro mão! Vou embora para Ponte Nova. Já remeti telegrama avisativo de minha chegada.
Em verdade Lulu Bergantim não foi por conta própria. Vieram buscar Lulu em viagem especial, uma vez que era fugido do Hospício Santa Isabel de Inhangapi de Lavras. Na despedida de Lulu Bergantim pingava tristeza dos olhos e dos telhados de Curralzinho Novo. E ao dobrar a última rua da cidade, estendeu o braço e afirmou:
— Por essas e por outras é que não atravessei o Rubicon!
Lulu foi embora embarcado em nunca-mais. Sua estátua ficou no melhor pedestal da Praça das Acácias. Lulu em mangas de camisa, de enxada na mão. Para sempre, Lulu Bergantim."
 
José Candido Carvalho
 
 
 
 

HOJE É DIA DE ROCK


SOB A LUZ DE VELAS

Dirigir olhando firmemente para o retrovisor pode levar a desastres. O útil dispositivo foi inventado somente para consultas.

John Chair

O QUE PREOCUPA

Sinceramente, não me preocupa a montanha de veículos em "estado de ferro velho" exposta pela nova administração municipal no Sambódromo (para mim, Av. Dr. Rosemburgo Romano) e curiosamente em frente a um dos cartões postais da administração anterior: Estação Ferroviária.
O que me preocupa são os veículos que ainda estão rodando, transportando enfermos pelas estradas afora. Não acredito que estejam todos em ótimas condições. Devem estar às vésperas de serem expostos em praça pública.
Constante colocação de vidas, que já atravessam dificuldades, em altos riscos.
O pessoal novo que está entrando, aprenderá rapidamente como funciona o processo de canibalização dos veículos municipais.
Naturalmente são mal cuidados. Manutenções precárias. Dificuldade imensa para adquirir e repor uma peça quebrada.
Os jovens no poder, baterão de frente com regras rígidas e uma tal de Lei 8666, que embora necessária, impõe barreiras instranponíveis de burocracia e tempo.
O que fazer ? o óbvio: retirar a peça de uma viatura que esteja em piores condições.
Tudo bem, diversas cidades do Sul de Minas promoveram no dia de ontem exposições como a da terrinha. Lógico, que aconteceram nos municípios nos quais a oposição sagrou-se vencedora.
Faz parte da política. Política do passado, mas política.
 
É a vida...

ER

NOVOS TEMPOS

 
Já que estão abrindo gavetas e armários (êpa !) seria bom que a nova administração municipal da terrinha, tornasse abertas as reuniões de todos os Conselhos Municipais. São muitos os constituidos.
Logicamente que o público presente (exceto os membros) não teria direito a nenhuma manifestação. Tão somente (e é muito), tomar conhecimento e acompanhar deliberações e decisões.
Claro, a agenda de reuniões e pauta seriam antecipadamente divulgadas.
Medidas como essa vêm ao encontro dos novos tempos.

ER

VERSOS DEFINITIVOS

Eu sou a flor que o vento jogou no chão
Mas ficou um galho
Pra outra flor brotar
A minha flor o vento pode levar
Mas o meu perfume fica boiando no ar


João do Vale

ENQUANTO ISSO EM BRASÍLIA

E O SANTINHO ?

Ouvido ontem nas proximidades do Bar Caçador, na Boa Vista:
 
- Ô Cumpadre, será que já foram convocados os responsáveis pela Valonia e pela COPASA para começar a rediscutir os contratos de concessão ?
 
- Calma, Sô ! Primeiro estão tratando da carraiada sucateada, depois chamarão os homens das empresas de serviço para uma conversa.
 
- Por falar na carraiada, que fim deu o tal ônibus do CQC ?
 
- Pois e...boa pergunta.
 
ER

NOTÍCIA QUE GOSTARIA DE LER

Como grandes empresas, Prefeitura elimina frota própria de veículos. Serviços serão terceirizados através de licitação pública. Empresas vencedoras serão responsáveis por motoristas, combustíveis, manutenção e seguros. Serão exigidos veículos novos. Controle será rigoroso.

Clarin da Boa Vista