domingo, 16 de setembro de 2012

SOB A LUZ DE VELAS

O campo da derrota não está povoado de fracassos, mas de homens que tombaram antes de vencer.

Abraham Lincoln

SOBRE O ASSUNTO

Não consigo pensar em argumentos sólidos o bastante para dissuadir o Caçador do Impossível.
Durante a Faculdade eu até gostava do Partido da Estrela vermelha. Costumava freqüentar o diretório acadêmico e, por diversas vezes, pensei em me envolver na política universitária.
Mas logo comecei a perceber que por ali andavam desocupados, preguiçosos, desleixados e aproveitadores. E a maioria adorava o molusco. Não foi preciso muito esforço, me desiludi com o PT muito antes de ser petista.
Entre eles, o único que respeito é o Suplicy. Mas não leva mais meu voto. O silêncio diante dos desmandos de seus colegas de partido revelaram um fraqueza inadmissível em homens públicos.
Ou seja, não há ninguém.
A esperança do país talvez resida em algum sujeito que não seja político profissional. Que acorde pela manhã com uma imensa vontade de mudar as coisas e aposte nessa idéia.
Eu tinha apenas 12 anos quando surgiu alguém com essa disposição. Em 1986, Antônio Ermírio de Moraes foi candidato a governador de SP. Suas empresas andavam (como andam) de vento em popa.
Ele explicava seus projetos de governo em um quadro negro, com um giz na mão. Nada mais singelo. Em pleno horário eleitoral! Eu sentia empolgação e vontade naquela empresário.
Pela primeira vez em uma eleição, enchi sacolinhas plásticas de santinhos e saí pedindo votos para Ermírio.
Os paulistas preferiram Orestes Quércia e seu plano Cruzado.
Ermírio ficou em segundo. E em uma entrevista reconhecendo a derrota (para Sylvia Popovic) jurou nunca mais participar de uma eleição.
Homem de palavra. Lembro que, na minha inocência, cheguei a chorar pelo resultado.
Hoje percebo que minhas lágrimas de moleque foram pela chance perdida. Talvez eu pressentisse o tipo de governo que nosso país teria no futuro.

Laissez Faire

MOMENTOS MÁGICOS


CAÇADOR DO IMPOSSÍVEL

 
O Caçador está presente no blog desde o início. Vez por outra dá uma sumida, provavelmente desânimado por não encontrar respostas para os seus questionamentos. O próprio zelador já tentou uma indicação e foi fulminado pelos argumentos.
Intrigante. (leiam os comentários publicados hoje) 

ER

ABRINDO O BICO