segunda-feira, 14 de maio de 2012

SOBRE A CHRIS


Comentário do Laissez Faire, hoje no "viver é perigoso"

No cinema assisti a todos os filmes nos quais ela trabalhou. Na TV assisti "Alice", série da HBO de 3 ou 4 anos atrás. Não conhecia ou tinha ouvido falar da Chris Riera, senão agora, pelo blog. Todos os trabalhos são incríveis, cada um a seu modo. Acho que essa sétima arte é feita de risos e lágrimas. Aqueles que conseguem alçar essas emoções, muitas vezes recônditas, são almas predestinadas. Não conheci Chris Riera, mas ela já conhecia todos os caminhos de meu coração. Um orgulho para o Brasil; um regozijo para a família. Uma perda para todos. Que Deus a acolha; ela certamente já brilha ao lado Dele, mais ainda do que quando nos fazia rir e chorar.

Laissez Faire

SOB A LUZ DE VELAS

Quando eu morrer, que me enterrem na beira do chapadão, contente com minha terra, cansado de tanta guerra, crescido de coração.

Guimarães Rosa 

CLICK !


Deu na BBC

O protótipo de uma câmera fotográfica foi vendido no último sábado por 2,16 milhões de euros (mais de R$ 5 milhões) em um leilão na Áustria. Este foi o preço mais alto já pago por uma câmera fotográfica.
O protótipo é um dos 25 modelos que foram criados em 1923 como parte do esforço para a fabricação da famosa câmera Leica A – o primeiro modelo compacto de máquinas com filmes de 35 milímetros a se popularizar.
Conhecida como "série zero", apenas doze modelos do tipo existem hoje.
A câmera foi arrematada por um comprador anônimo na Galerie Westlicht, em Vienna.
A empresa alemã Leica, especializada em lentes e microscópios, foi fundada em 1849. O engenheiro ótico Oskar Barnack, que trabalhava na divisão de microscópios da empresa, fazia fotografias amadoras. Como sofria de asma, ele quis criar uma câmera leve que pudesse ser carregada facilmente para todos os lugares.
Identificando o potencial nos filmes de 35mm – os mesmos usados pela indústria fonográfica - Barnack desenhou protótipos da Leica entre 1908 e 1923. Muitas das imagens tiradas neste período sobreviveram ao tempo.
Ao apresentar a ideia aos seus chefes, 25 modelos da "série zero" foram produzidos em uma fase de testes. Os protótipos não convenceram totalmente os donos da Leica, mas mesmo assim eles resolveram apostar no produto, lançando mil unidades da Leica A em 1925.
Em 1932, 90 mil Leicas já haviam sido vendidas. Até hoje a empresa é uma das principais fabricantes de câmeras no mundo.

ER

CHRISTIANE RIERA DEIXA SUA MARCA NO CINEMA BRASILEIRO

Cao Hamburger - Especial para a Folha (14/5)
Christiane Riera me ensinou que, em teatro, muitas vezes, o diretor e os atores contam com ajuda da dramaturgista, pessoa com a função de "desvendar as nuances e as entrelinhas do texto, situá-lo no tempo e na história, decodificar as intenções e motivações do autor".
Foi mais ou menos assim que ela definiu sua função quando me disse que estava pensando em aplicar essa ideia em cinema. Com a diferença de que atuaria a partir da escrita do roteiro.
Recém-chegada de um doutorado, em Yale, Estados Unidos, um dos primeiros filmes que ela se envolveu foi "O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias". Sorte minha.
Sua atuação contundente partiu do roteiro, mas se estendeu a outros elementos do filme. E o pensamento ficou inteiro, completo, integral.
A notícia se espalhou rápido e sua colaboração passou a ser disputada por diversos filmes e séries de televisão.
Sempre com respeito aos roteiristas, diretores e produtores, mas com opiniões firmes, participou de filmes importantes como "Jardineiro Fiel", "A Mulher Invisível", "À Deriva", "A Cadeira do Pai", "VIPs", "Chega de Saudade", "O Homem do Futuro" e "O Céu de Suely".
Na televisão, "Filhos do Carnaval", "Antônia", "Destino SP" e "Alice".
Em cada um deles, foi capaz de entender a delicada relação entre o roteirista e/ou o diretor e a história que está sendo contada. Com generosidade ímpar, se dispunha a "pensar com a nossa cabeça" e nos fazer entender nossas motivações e interesses.
No filme "Xingu", ela foi fundamental no difícil processo de entender o que fazer com uma história tão cheia de histórias, pontos de vistas, questões políticas, sociais e filosóficas.
E, de novo, até o último corte do filme, esteve presente e atuante. Brigamos durante a montagem. Firme, me fez ver que algumas ideias, que eu achava brilhantes, estavam entornando o caldo.
O cinema brasileiro teve sorte de Christiane Riera ter inventado e se inventado nessa função.
A moça do teatro -crítica da "Village Voice" e da Folha-, de uma consistente carreira acadêmica, veio nos ensinar a pensar da essência para o todo e vice-versa.
Inquieta e pioneira, com rara generosidade, sensibilidade, talento, cultura e competência, deixou sua marca no cinema brasileiro. E se não tivesse nos deixado tão jovem, o que teria inventado em teatro, literatura, cinema, televisão, como professora, ou qualquer outra área que escolhesse?
Obrigado, Chris.
Cao Hamburger é diretor dos filmes "Xingu" e "O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias".

TAMBÉM QUERO !

Ouvido hoje nas proximidades da Pastelaria do Coró, na Boa Vista:
- Ô Cumpadre, fiquei sabendo que o FHC venceu o prêmio Kluge, concedido pela pela Biblioteca do Congresso dos EUA a personalidades que se destacam pela produção acadêmica na área das ciências humanas, não contempladas pelo Nobel.
- Beleza ! Foi merecido.
- E tem mais: Além da homenagem vir acompanhada de US$ 1 milhão, destacaram o papel dele na transformação do Brasil de uma ditadura militar com alta inflação em uma democracia includente, com forte crescimento econômico.
-  Que mal lhe pergunte, não teria uma espécie de prêmio "honoris causa" para isso ?  O Sr. Luis Inácio vai ficar enciumado e dai...

- Éh...Faz sentido.
ER

O ÍCONE


Deu no BrickmannPergunta do jornalista Sandro Vaia: que esperar de uma CPI secreta onde a referência moral é Fernando Collor? Por favor, caro leitor, não responda: esta coluna é publicada em jornais de família e certas palavras não são admitidas.

Brickmann

MOÇA BONITA

Ava

NOTICIA QUE GOSTARIA DE LER - 6

A partir do próximo ano, todas "segunda-feira" serão eliminadas do calendário.

Clarin da Boa Vista

TV PEGANDO POEIRA

Deu no 247:

Um estudo inédito feito pela IAB Brasil em parceria com a comScore revela que a internet já é a mídia mais consumida no país, hoje com 80 milhões de internautas e crescendo a cada dia.
Segundo o levantamento "Brasil Conectado – Hábitos de Consumo de Mídia", que investigou a importância crescente da web na rotina dos brasileiros, mostra que a internet é considerado o meio mais importante para 82% dos 2.075 entrevistados. As pessoas ouvidas pelo instituto são usuárias da rede, têm entre 15 e 55 anos - 51% homens e 49% mulheres.
Segundo dados do Interactive Advertising Bureau (IAB), mais de 40% dos entrevistados passam, pelo menos, duas horas por dia navegando na internet (por vários dispositivos digitais), enquanto apenas 25% gastam o mesmo tempo assistindo TV.
A internet aparece como a atividade preferida por todas as faixas etárias, de renda, gênero e região quando se tem pouco tempo livre, somando 62%. Em casa, a web é mais acessada em casa pela manhã quando 69% se conectam, 78% também acessam à tarde e 73% à noite. E também é a mídia mais popular em todos os demais lugares como trabalho, escola, restaurantes, shoppings e na casa de amigos.
“Todos os dados confirmam a expansão do mercado, que tende a se acentuar com as iniciativas de ampliação do acesso a banda larga e também ao aumento da base de smartphones. Estamos apenas no limiar de uma grande transformação”, disse Fabio Coelho, presidente do IAB.

247

COPA NO PAPEL