domingo, 13 de maio de 2012

SOB A LUZ DE VELAS

Quando eu era menino, os mais velhos perguntavam: o que você quer ser quando crescer? Hoje não perguntam mais. Se perguntassem, eu diria que quero ser menino.

Fernando Sabino

DOCE NO LIMITE

Passei os olhos, entre ontem e hoje, por centenas de mensagens alusivas ao dia das mães. Poucas tão gostosas de ler como esta. (publico sem autorização)

De Ivana para a mamãe Fabiana:

 "leva um casaquinho", "eu não sou sua empregada", "não esquece atrás das orelhas", "só experimenta um pedacinho", "eu não te falei?", "127 ligações perdidas", "só quero o seu bem", "o que foi que você disse?", "na minha época", "você não sai desse computador", "espera só o seu pai chegar", "tira esse pé do chão e calça um chinelo"!

Amo você mãe

Ivana

ROSAS VERMELHAS PARA UMA DAMA TRISTE



Mães felizes, mães contentes, mães com os filhos e netos em volta. Mães temporariamente tristes, mães quase que definitivamente tristes. Mães saudosas porque sabem onde os filhos ausentes estão, mesmo que estejam temporariamente, em lugares inalcançáveis.
Logo de manhã, ao sair de casa, encontrei um rapaz com seus vinte e poucos anos, dormindo (?) enrolado e abraçado numa esfarrapada mochila, em um das laterais da Igreja São José, na Boa Vista.
Tinha a aparência serena.
De imediato pensei na mãe daquele rapaz. Com certeza, a sofrida mãe estaria naquela momento em alguma igreja deste país, pedindo ao SENHOR, melhores condições para o filho e inquestionavelmente esperando-o novamente de volta, em qualquer circunstância.

É a vida.

ER

"Red Roses for a Blue Lady", executada neste vídeo por Bert Kaempfert e sua orquestra, é um clássico composto em 1948 por Sid Tepper e Roy C. Bennett. Foi gravado originalmente por Vaughn Monroe em 15 de dezembro de 1948, e atingiu o topo das paradas de sucesso da revista Billboard em 14 de janeiro de 1949. Outra gravação foi feita por Guy Lombardo e seus Royal Canadians em 22 de dezembro de 1948 e também posicionou entre os mais vendidos em 1949.
O grande sucesso no Brasil foi mesmo a gravação feita em 1965 por Bert Kaempfert, músico alemão nascido em Hamburgo no dia 16 de outubro de 1923.

BENÇÃO DIVINA

Alguém disse que o homem concebe o filho em alguns minutos e a mãe o carrega no ventre até que ele fique "prontinho", após nove meses, ou pela vida toda! Também no meio dos animais irracionais, mãe é mãe: concebe seus filhotes, cria-os, alimenta-os, protege-os, e defende-os contra tudo e contra todos. Até contra os animais mais perigosos. E com que valentia! Os filhotes sabem que, na companhia da mãe, estão protegidos. Por isso seguem-na até aprenderem a sobreviver por si mesmos. Mas jamais se comportam como um filho da mãe. Victor Hugo escreveu: "As mulheres são fracas, mas as mães são fortes". Na verdade , uma simples mulher existe que, pela imensidão do seu amor, tem um pouco de Deus; e pela constância de sua dedicação tem muito de anjo; que, sendo jovem, pensa como uma anciã e, sendo velha, age com as forças da juventude. Viva, não sabemos dar valor porque à sua sombra todas as dores se apagam, e, morta, tudo o que somos e tudo o que temos daríamos para vê-la de novo, e receber um aperto de seus braços, uma palavra de seus lábios. "Penso que algo muito mais belo que o amor,que a razão ou as células, une mãe e filho". Talvez seja a mistura de tudo isso, temperado com uma pitada de instinto, uma colher de de intuição, tudo isso levado ao fogo brando, em banho maria, carinhosamente mexido até formar uma só matéria, consistente e indissolúvel. E como cobertura, uma bênção Divina. (Texto de Jorge Nagado)

Com meu abraço para todas as mães.

Bah

NINGUÉM FOI CITADO

Ouvido ontem no calçadão:

- Ô cumpadre, estamos por baixo mesmo heim ?

- Desembucha homem !

- Ocê imagina que não tem ninguém da terrinha nas gravações do Cachoeira ?

- Éh... preocupante. Já fomos bons nisso.

- Fase ruim. Mas temos que ser otimistas. Isso vai mudar.

- Tomara !

ER

NÃO PONHAM A MÃE NO MEIO !

Na Boa Vista, era a ordem dada pelos mais velhos quando dois moleques ainda discutiam na fase pré-briga.
Acontecia muito no campinho de futebol do Vasquinho (Lobo da Boa Vista). Primeiro tentavam apaziguar, promover a paz entre os brigões. Quando não dava mesmo, era questão de organização.
Rodinha feita pelos assistentes, risco no chão de terra e o famoso "cospe aqui se você for homem".
Alguém gritava:
- Não vale catar pedra !
Um arranhão aqui, outro ali e logo apartavam.
Pior ou mais humilhante:
Obrigavam os gladiadores a se abraçar e se desculpar um do outro.
Ficava por isso mesmo. Sem rancores.
Mas o "sagrado" ficava gravado: 
"Não ponham mãe no meio ! "

ER

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE


Imagem captada pela fotógrafa americana Dorothea Lange (1895/1965)
Nos anos 30, por ocasião da "Grande Depressão", ela percorreu 22 Estados americanos, a serviço da FSA - Farm Security Administration, recolhendo imagens que documentam  aquele difícil momento da vida americana.
Lange é a autora da fotografia "Mãe Emigrante", de 1936, uma das mais famosas reproduzidas da história da fotografia.

ER

NOTÍCIA QUE GOSTARIA DE LER - 6


 Confirmado: Wenceslau e Theodomiro são itajubenses ! 

Clarin da Boa Vista

TERROR DOS MENSALEIROS