domingo, 6 de maio de 2012

MARIDO DE CARLA PERDE ELEIÇÕES


O candidato socialista François Hollande venceu o segundo turno da eleição presidencial na França, realizado neste domingo. Nicolas Sarkozy, marido de Carla Bruni foi derrotado.

ER

MENSALÃO EM FÓCO

O PT não fundou a corrupção no Brasil. Mas só Lula e seu partido a transformaram num fundamento ético a depender de quem é o corrupto. Se aliado, é só um herói injustiçado.

Reinaldo Azevedo

CONTINUA VALENDO

Postado em 19/01/2010 - O CANHÃO DO PACATITO

Os mais experientes irão lembrar. Pacatito era o apelido da Imbel ou da Fábrica de Armas como chamavam antigamente. O Time de futebol "do Fábrica", era muito competitivo e possuia bons jogadores.
Mas hoje me refiro a um especial. Benedito Ernesto Coelho, de família tradicional e importante, a cujos membros a cidade deve muito.
O Benedito Ernesto era estudante de engenharia, jogador da seleção Itajubense e Professor de matemática (foi meu Professor no Colégio de Itajubá).
Mas ficou muito conhecido pelo seu poderoso chute com a canhota. Nunca antes na história desta cidade (e nem depois), viu-se petardo tão poderoso. De forma mais do que justa, foi apelidado de "canhão do pacatito".
Muitos dos fatos acontecidos me foram relatados por amigos, em outros tantos, eu estava presente. No seguinte eu estava:
Em tarde de domingo chuvoso, o "Fabrica de Armas" jogava contra o Derminas, no Estádio Cel Belo Lisboa.
Falta a favor da equipe do Pacatito bem próximo da área adversária. Benedito Ernesto toma longa distância para cobrar, como era seu hábito. Bola molhada, pesada e lisa.
Nenhum atleta do Derminas se apresentou para compor a barreira, nem com ordens do Presidente, Sr. Capixaba.
O Goleirão, negro de 1,90 metros de altura, mais de cem quilos, apelidado de Pacu (peixe), tinha tomado no Bar Smart, antes da partida, uns quatro "Fernet" e momentâneamente estava dotado de expressiva dose de coragem artificial.
O Pacu gritou: Saiam da frente e deixa vir !
Talvez, sentindo-se meio insultado pela ausência da barreira humana, Benedito Ernesto correu em direção a bola e disparou uma cacetada, seguindo o bólido numa altura de 40 cms, com velocidade indefinida.
A bola saiu achatada, parecendo uma bola de futebol americano. Foi decaindo em sua curta viagem e quicou no chão, justamente na linha da pequena área, arrancando de passagem um tufo de grama.
A quicada no gramado molhado fez o balão subir e adquirir o dobro de sua velocidade inicial. Dois passos adiantado, o Pacu ficou sem reação nenhuma.
A bola estourou na sua larga testa, subiu mais, chocou-se com o travessão e voltou caindo para trás da linha de meio campo.
Todos correram para acudir o Pacu (inclusive eu, que estava ao lado do alambrado). O cara estava estendido no fundo do gol, desmaiado com os olhos abertos (nunca tinha visto isso). Morreu, disse o massagista Coréia e completando: Foi um bom homem.
Encostaram atrás do gol, a caminhonete Chevrolet do Ditinho açougueiro e oito homens, entre jogadores e torcedores, embarcaram o Pacu para a Santa Casa.
O Coréia insistia em fechar com as mãos os olhos dele, mas automáticamente voltavam a abrir.
Quatro horas de coma, com a mãe chorando ao lado.
Quando eram oito horas da noite o negão piscou e lentamente foi voltando ao ar.
Olhou, olhou, sem saber o que estava acontecendo e quando reconheceu a mãe, murmurou as primeiras palavras:
Mãe, juro que eu não vou beber mais !
Finalizando, Benedito Ernesto faleceu muito jovem, devido um atroz e inesperado mal. Deixou muita saudade.

ER

TUCANOS UNIDOS E ESPERANÇOSOS

MOÇA BONITA

Kim Novak (ou seria a Grace Kelly /)


PORQUE HOJE É DOMINGO


Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens.
Paulo I Cor 15/19

ER

PT DE(BATENDO)