terça-feira, 3 de abril de 2012

SEM SAÍDA

Conforme esperado o Senador Demóstenes Torres, que durante certo tempo, nos deu esperanças da existência de correção no Senado, pediu demissão do DEM, Conforme escreveu o Zé Simão na semana passada, agora é apenas Óstenes. Corre boato que o Senador estuda se filiar ao PTB.
Dispensamos trocadilhos.

José Tipica

ISSO LÁ É PERGUNTA ?

Ouvido hoje na Feira Livre na Av. Dr. Rosemburgo Romano, na Boa Vista:

- Ô cumpadre, por essa eu não esperava !

- Desembuche homem, o que aconteceu ?

- Sempre me dei bem com o Chefe, muito embora não tenha votado nele. Encontrei-o ontem ali perto do mercado e como ele cumprimentou, eu  por educação perguntei: E a saúde doutor ?

- Cara...o homem franziu o bigodão e me despachou.

- Mas mêu, ocê ficou louco ? Isso é pergunta que se faça ?

- Éh... Faz sentido.

ER

DURMA COM UM BARULHO DESSES

Contribuindo com a estatística. Em 1986, numa viagem a São Paulo, junto com o Sebastião Riera, compramos no Mappin, duas Vespas . Uma delas (placa VD-643) está estacionada na Boa Vista. O proprietário e possível condutor, não tem habilitação.

"Minas Gerais é o único estado da região Sudeste com mais motos no trânsito do que pessoas habilitadas para conduzi-las. São 141.914 motocicletas a mais do que condutores na categoria “A”.
No território mineiro há 1.728.104 motoqueiros, contra 1.870.018 motos, conforme dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). "

ER 

SOB A LUZ DE VELAS


Todas as representações artísticas da fé católica retratam o céu como um lugar cheio de nuvens. Será que o céu fica em Ubatuba ?

Eugênio Mohallem (Itajubense)

GLACIAR PERITO MORENO

Li no Estadão de domingo escrito pela colunista Marisa Eboli (Batendo o Ponto)

Fui conhecer a Patagônia Argentina e, em El Calafate, visitei o famoso glaciar Perito Moreno. E foi de tanto ouvir falar do perito don Francisco P. Moreno, que resolvi comprar um livro sobre suas reminiscências.
Moreno nasceu em Buenos Aires, foi criado por uma familia aristocrática tradicional e compartilhou o seu tempo livre com seu pai à procura de artefatos e fósseis. Participou da criação da Sociedade Científica Argentina, explorou numerosos rios na Patagônia, descobriu El Chaltén (Fitz Roy) e , por suas contribuições à ciência, recebeu um título de doutor honoris causa da Universidade Nacional de Córdoba, em 1877.
Qual não foi minha surpresa, no entanto, ao ler este seu depoimento no livro:

"Eu tenho 66 anos e nenhum centavo! Eu, que dei 1.800 quilômetros para o meu país, e o Parque Nacional, onde os homens de amanhã, repousando, adquirem força para servi-lo, não deixo para os meus filhos um metro de terra onde minhas cinzas possam ser enterradas."

O mundo é rico de exemplos de pessoas que só obtiveram reconhecimento profissional com a chegada da morte. Alguns são formadores de sucessores: filhos, equipes, alunos, outros líderes, etc. Outros deixam, como herança, obras: músicas, quadros, livros...E muitos não deixam nada! Nem durante a vida, nem após a morte. 

Marisa Eboli



MONTE CASTELO



Post enviado por email pela Bah
A Semana Santa teve início no “Domingo de Ramos”, que é assim chamado porque celebra a entrada de Jesus em Jerusalém, montado em um jumentinho – o símbolo da humildade – e aclamado pelo povo simples que o aplaudia como “Aquele que vem em nome do Senhor”. Aquele povo tinha visto Jesus ressuscitar Lázaro de Betânia há poucos dias e estava maravilhado. As pessoas estavam certas de que Jesus era o Messias anunciado pelos Profetas. Pensavam que ele fosse escorraçar Pilatos e reimplantar o reinado de Davi e Salomão em Israel. ‘Que Messias é esse? Que libertador é esse? É um farsante! Merece a cruz por nos ter iludido’. A entrada solene de Jesus em Jerusalém foi um prelúdio de suas dores e humilhações. Aquela mesma multidão que o homenageou motivada por seus milagres, agora lhe vira as costas e muitos pedem a sua morte. Fiquei pensando que até hoje as pessoas se comportam da mesma maneira. Um dia aplaudem e no outro derrubam seu semelhante.
A canção “Monte Castelo” do compositor e cantor Renato Russo e sua banda, Legião Urbana, fez bastante sucesso em sua época. Ainda hoje é muito ouvida e é até mesmo considerada por alguns como uma boa música.
O tema que permeia a canção “Monte Castelo” é o amor. Seu compositor mesclou trechos de um soneto de Camões com os de uma epístola de São Paulo aos coríntios, além de musica-los. O resultado final é relativamente feliz e essa canção alcançou enorme difusão quando de sua divulgação.
Tanto o soneto de Camões quanto a carta aos coríntios abordam o tema amor. A canção “Monte Castelo” funde esses dois textos, entre si bastante díspares, num terceiro gênero que pode-se chamar lírico-musical. Como trata-se de uma obra de arte, uma dose considerável, e em princípio desejável, de licença poética pode ser notada.
O “amor” a que se refere São Paulo é o chamado ágape. Essa é a palavra grega que São Paulo usou em sua epístola aos cristãos de Corinto, uma cidade grega. Ágape pode ser traduzida por “amor”, mas deve preferencialmente ser entendida no sentido de “caritas”, isto é, caridade.
Boa Semana Santa a todos e Feliz Páscoa!
 
Post enviado por email pela Bah

VALE A PENA LER DE NOVO

Post publicado no blog no dia 27/10/2009

As pequenas terras não amam os seus grandes homens - Aproveitando a frase do David Nasser, mencionada aqui outro dia, vou começar a falar sobre pessoas que desempenharam um papel digno e relevante na Cidade.

CHIQUINHO CASTRO

O primeiro e único atleta olímpico de nossa Cidade. Deveria ter como companheiro o seu irmão CANHOTINHO, que somente não esteve junto em Roma, devido a uma séria contusão.
As vésperas de embarcar para a Itália, onde disputaria os Jogos Olímpicos de Roma, a Seleção Brasileira de Futebol, um timaço (na época chamada de amadores), passou por Itajubá em um final de semana e a guisa de treinamento, jogou com a Seleção Itajubense de Futebol .
Com uma atuação excepcional do Chiquinho e Canhotinho e de seus companheiros, a Seleção Canarinho levou um chumbo sentido.
Na noite do mesmo domingo, o técnico da Seleção, o Sr. Vicente Feola (Campeão do Mundo em 58 com a seleção principal), de forma extraordinária, convocou os dois irmãos para fazer parte do selecionado.
Durante a semana seguinte, num treinamento no Rio de Janeiro, o Canhotinho sofreu uma violenta contusão no tornozelo e foi dispensado dada a impossibilidade de se recuperar a tempo.
Chiquinho foi e representou o Brasil e Itajubá condignamente nos Jogos Olímpicos. A única homenagem que recebeu, se não estou enganado, foi feita pelo Clube Itajubense, dando o seu nome a uma Praça esportiva.
Pobre terra sem memória que não reverencia os seus heróis.
Por mim a Rua Nova chamaria Av. Chiquinho Castro. E homenagens seriam, como disse Nelson Cavaquinho:
Que sejam em vida e de preferência em dinheiro (não é o caso do Chiquinho).
O Chiquinho, graças a Deus ainda está entre nós, mas o Canhoto com certeza está na seleção do Céu.

ER

MOÇA BONITA


Sylvie van der Vaart


EM OUTROS TEMPOS

1968 - O ano que não terminou, segundo Zuenir Ventura. Final de ano, conclusão do 3º Científico do Colégio Estadual. Poucas semanas antes do vestibular de engenharia, no qual, quase todos, ou todos, foram aprovados. Vaquinha feita e um churrasco no Canequinha (na Boa Vista é claro).
Em pé:
Cabelinho, Clovis, Sérgio Tainha, Japonês, Edson Riera, Salviano Ferraz, Glauco Rogério (Nero), Tito, ? , Thomas (camisa 10), Antonio Carlos (Maria da Fé).
Agachados:
Irmão do camisa 10, Celso (Imbel), Getúlio Xuxu, Antonio Sabiá, Moacyr Franco (hoje presidente da Câmara Municipal de Pouso Alegre), Mateuzinho, Dito Arruda e Wildmer.
Fotógrafo: Prof. Nélio Brandani Tenório

ER

UM ABSURDO !