domingo, 18 de março de 2012

FRASE DO DIA

Outro dia ouvi um importante político local, respondendo a um questionamento, com respeito, dignidade e compostura. Ou seja, estava completamente fora de si.

Millôr

SEJA SINCERO

FOTOGRAFIA FAVORÁVEL

Foi publicada hoje nos grandes jornais do país, a Pesquisa Firjan que mede a qualidade da gestão fiscal de 5.260 municípios brasileiros.
O índice Firjan (IFGF) é composto de 5 indicadores que medem os principais aspectos da gestão fiscal dos municípios. As notas varias de 0 a 1.
Indicadores:

1 - Receita - Para depender pouco do Estado e da União o município precisa gerar pelo menos metade da propria receita.

2 - Gastos Com Pessoal - Pela Lei de Responsabilidade Fiscal o gasto com pessoal não deve passar de 60% a receita. Quem passar disso levou "0".

3 - Investimentos - É quanto a prefeitura investe em melhorias par o cidadão. Para levar nota máxima é preciso investir 20% da receita.

4 - Liquidez - Avalia se o município tem recursos para cobrir as suas despesas ao final do ano. Quem fica no vermelho leva "0".

5 - Custo da Dívida - É a parcela da receita comprometida com o pagamento dos juros de empréstimos.

6 - Nota Geral - É composto pelos 5 indicadores

          MÉDIA/BRASIL  ITAJUBÁ   P.ALEGRE   S.RITA   VARGINHA   T.CORAÇÕES 

Receita    0,2140          0.5588     0,5629       0,4274     0.6975        0,6185          
G.Pessoal 0,5773          0,6595     0,6265       0,5374     0,6510        0,0000           
Investim. 0,6163           0,6340     0,1586       0,5094     0,2324        0,6569          
Liquidez  0,5719           0,8189     0,9771        0,4742     1,0000       0,3632          
C.Dívida  0,8055           0,7535     0,7794        0,7618     0.8458       0,7067   
N.Geral   0,5321          0,6764    0,6011       0,5146    0,6662      0,4393 

Obs: Notas de 0 - 0,4 Gestão crítica
       Notas de 0,4 - 0,6 Gestão em dificuldade
       Notas de 0,6 - 0,8 Boa Gestão
       Notas de 0,8 - 1,0 Gestão de excelência
        
Blog: Podem comentar à vontade.

ER

VERDADEIRA HISTÓRIA POLITICAMENTE INCORRETA

Os padres nos empurraram goela abaixo essa história da fundação de Itajubá no dia 19 de março de 1819.
Pura lenda.
Qual foi o primeiro nome oficial da terrinha ?
Capela Nova da Boa Vista do Sapucai. Por que ?
Logicamente já existia desde 1703 o povoado da Boa Vista, com a Capela em homenagem a São José, para quem foi reservado o dia 19 de março.
Nome até hoje da praça principal do Bairro da Boa Vista.
O Padre Lourenço, que era paulista de Guaratinguetá chegou em Itajubá Velho (Delfin Moreira), em 1818 e lá não ficou nem um ano devido a  possiveis encrencas.
Lotou uns dez "pássaros marrons" e desembarcou na terrinha, nas proximidades do mercado.
Dizem que descobertas recentes em cavernas existentes na Serra da Mantiqueira, manuscritos mantidos em total sigilo, possibilitaram a sua tradução correta:
Ita = povo, Juba = chato. Os nativos tinham uma visão geral das coisas.
Que fique claro que o terreno para construção da Igreja Matriz da Soledade foi doado pelo fazendeiro da Boa Vista, o Sr. Francisco Alves, de bom coração, que ainda forneceu funcionários para auxiliar na costrução da capela e barracas.
Familliares do Sr. Francisco Alves ainda residem na Rua MIguel Braga, como não poderia deixar de ser, totalmente esquecidos , nessas horas de festas, pelas autoridades.
Pertencia a Boa Vista, os atuais municípios de Piranguçu, Cristina, Pedralva, Brasópolis, Delfim Moreira, Santa Rita do Sapucai, Paraisópolis, Wenceslau Braz, Piranguinho e Marmelópolis.
O povo da Boa Vista nunca foi dado a políticas. Grandes produtores foram tocando a vida, deixando a administração por conta do pessoal da região central.
Deu no que deu.
Agora eles que resolvam...

John Chair - Historiador