quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

É DISCO QUE EU GOSTO



MERCY

De novo. Paixão de blogueiro.
Aimée Ann Duffy, simplesmente Duffy, nascida no Pais de Gales em 1984. Lançou seu primeiro álbum "Rockferry" em 2008. Foi o mais vendido na Grã-Bretanha naquele ano. Em 2009, ela ganhou o Grammy de Melhor Álbum Pop Vocal com Rockferry, e ela também foi indicada para outras categorias. Em 2009 ela ganhou três Brit Awards, por Melhor Artista Feminina a Solo e Melhor Álbum Britânico. Um espetáculo.

ER

CUBA, O RETORNO

NOTINHA ROTINEIRA

Foi confirmada hoje a demissão do Ministro das Cidades, Mario Negromonte. Deverá ser substituido pelo Deputado Federal Aguinaldo Ribeiro.

ER

DE VOLTA PARA O FUTURO


Encontrei hoje de esbarrão com o Carbone em um restaurante da terrinha. Em tempo, trata-se de um grande amigo e colega do curso de engenharia concluido há séculos.
De imediato constatei que fisicamente o tempo o poupou. Logicamente, em comparação com um senhor que encontro todas as manhãs em frente ao espelho.
Para pessoas que ultrapassaram a temível barreira dos 60, seguiu-se, por iniciativa dele, uma conversa com leveza e fluidez, surpreendentes.
Tentei acompanhar com relativo sucesso o tema principal abordado: Futuro.
O tempo fugiu.
Despedimo-nos na porta do restaurante de onde ele voltaria direto para São Lourenço,  sua terrinha.
Diante de um espectador atônito, o moço encarapitou-se com facilidade numa Honda Shadow 750 prateada, colocou o capacete, acenou despretensiosamente e com uma acelerada de tirar o fôlego, sumiu na curva.
E eu lá arfando debaixo do sol inclemente, lutando para conseguir abrir a porta do carro.
Todos estivemos sob intempéries na vida. Em um momento ou outro. Desgastes foram provocados em uns, mais do que nos outros.
Senti uma inveja gostosa.

ER  

IMAGINANDO ABOBRINHAS

Seria difícil conseguir local adequado para acomodar o público espectador.
Significaria, mais ou menos democracia ?

"Fica estabelecido a partir desta data, que todas as eleições realizadas em âmbito do Congresso Nacional, Câmaras Estaduais e Municipais não poderão, sob nenhuma hipótese, acontecerem através de votos secretos.
Em âmbito do legislativo os votos deverão ser declarados, em viva voz, em alto e bom som. No caso da existência de painéis eletrônicos, os votos serão acompanhados do número ou nome de com a identificação do Eleitor.
No caso das eleições normais no país, painéis apropriados deverão ser instalados externamente nos locais de votação. Nos mesmos serão projetados, em condições visíveis dentro da distância de 10 metros,  o número do título de eleitor do cidadão votante e o número do candidato votado, com a indicação do cargo.
A projeção deverá acontecer simultaneamente ao toque na urna eletrônica.
Os dados deverão permanecer no painel pelo tempo mínimo de 1 minuto.
Abre-se a possibilidade também da aplicação de dispositivos sonoros, sem eliminar o painel citado anteriormente."

Às claras !

ER

    

PODE APOSTAR



Ouvido hoje na Ponte do Mercado Municipal:

- Ô cumpadre, estou louco para ganhar meia dúzia de brahminhas do nobre amigo. As tomarei no Caçador, no sábado de carnaval. Topa uma apostinha tipo "limpa-queixo ?

- Uai, depende. Qual é o lance ?

- Vai ser tratado hoje na reunião da Câmara Municipal, o Projeto do Executivo que reestrutura e regulamenta o serviço de transporte indivudual de passageiros - taxis,  na terrinha. Aposto que vão aprovar, vai dar encrenca e irão desaprovar e depois aprovar de novo e depois...

Que isso mêu ? Quer ganhar aposta na moleza ?

ER


DESPARTIDARIZAÇÃO E DESPOLITIZAÇÃO

Entendendo um pouco:

Tarso Genro, ex-ministro e atual governador do RS declarou na semana passada que a imprensa estaria trabalhando orquestrada contra a classe política e com interesse na despolitização e a despartidarização na democracia.
Sobre o assunto, escreveu O Janio de Freitas, na sua coluna da Folha:
"... Se, no Ocidente, tomarmos só o caso do Brasil, que é a óbvia fonte da tese, pode-se admitir a despolitização e a despartidarização como verdadeiras. Mas no sentido oposto ao que Tarso Genro vê ou quer que seja visto. Do fim da ditadura aos primeiros anos depois da Constituinte, em 1988, a população mobilizou-se politicamente em todos is níveis sociais e quadrantes geográficos.
Foi um estupendo capital político - em dimensão, em aspirações e em envolvimento - entregue à classe política.
O processo que se desenvolveu desde então foi a substituição, na classe política, do interesse público pelos interesses pessoais. Com o necessário e crescente abandono dos escrúpulos políticos, pessoais e, vá lá, partidários.
Os escândalos de corrupção que se sucedem dia a dia são a face, ou uma parte dela, do que a classe política fez e faz de si mesma. A imprensa não produz escândalo: usa-o. Capitalisticamente.
A despolitização e a despartidarização vistas por Tarso Genro são produtos da despolitização e da despartidarização da classe política, no processo de desfazer-se de todas as noções de compromisso, de coerência, de representação e de decência.
Partidária inclusive, com a descaraterização dos partidos pelas alianças quaisquer e as traições pós-eleitorais ao eleitorado.
Tarso Genro poderia até perceber que, não houvesse dilapidado por interesses inescrupulosos o capital político recebido, a classe política teria condições de colaborar para termos meios de comunicação mais ao seu agrado. E, ainda que por outros motivos, ao de todos, parece."

Janio de Freitas  

CREIO QUE ESTAMOS MELHOR

O Brickmann escreveu:

Veja os candidatos a prefeito de São Paulo, maior cidade do país: a credencial de um é o sobrenome tradicional, a de outro é ser neto de um político importante, a de outro é ter escrito mais livros ruins do que tem de anos de vida, a de outro é pentear os cabelos a cada instante, olhando-se ao espelho com ternura.

Brickmann

VENTOS DE GUERRA - 18

Os candidatos nas próximas eleições municipais, em se falando da terrinha, não devem se preocupar com a preciosidade de conectar o seu nome a um partido político.
Tudo bem, obedecidas as regras legais, como constar a o nome da agremiação nos folhetos de propaganda, etc.
Exceto os do PT, estariam corretos esqueçendo a possibilidade de receber alguma ajuda financeira partidária. Isso fica para os grandes centros.
Ajuda, se aparecer, com muito custo, virá pessoalmente dos deputados (estaduais e federais) que, desde já, buscam selar compromissos para a próxima. É normal.
Em pleitos municipais, o eleitor mira no candidato e não dá a mínima para a sua filiação partidária.
Hoje, poucos sabem o nome do partido do Sr. Prefeito e muito menos sabem os partidos dos atuais vereadores.
Ser do PSDB não facilitará a vida do Chico, como ser do PMDB não melhorará as coisas para o Rodrigo ou de outro candidato pertencente aos chamados "nanicos".
Creio que em todos os casos, ocorrerá o muito pelo contrário, tal o desgaste de todas as  agremiações no cenário nacional.
Creio que desta vez, até o provável candidato do PT não fará muita questão da lembrança de sua filiação partidária.
E isso não é bom.
É de fundamental importância para o regime em que vivemos, a existência de partidos com posições sérias e definidas, que defendam os princípios estabelecidos nos seus estatutos.  Não acontece.
Que fiquem tranquilos os defensores das intocáveis bandeiras. Balançá-las ao vento nas carreatas e comícios, já estaria de bom tamanho.
Lamento, mas na atual conjuntura, colar-se em partidos, mais prejudica do que ajuda na caça aos votos.
E não estamos falando de novidade nenhuma.

ER 

MOÇA BONITA

HOJE JÁ É AMANHÃ

Natureza da Fé

Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que não se vêem.

Hb 11:1