domingo, 8 de janeiro de 2012

SOB A LUZ DE VELAS

É aos escravos, e não aos homens livres, que se dá um prémio para os recompensar por se terem comportado bem.

Espinoza

POR AQUI AINDA NÃO APARECEU

Sabia-se que o governo chinês paga a militantes do Partido Comunista para batalhar na internet, defendendo o regime em blogs.
As "Brigadas dos 50 centavos" faturam o equivalente a um Big Mac por 30 posts.
Parecia coisa de ditadura. Agora sabe-se que a União Nacional dos Estudantes de Israel oferece bolsas de US$2.000 para seus associados que divulgarem o ponto de vista de seu país na internet durante 240 horas, com expedientes de cinco horas semanais.

Deu hoje na Coluna do Elio Gaspari.

ER

MOÇA BONITA

SILÊNCIO CONSTRANGEDOR

Foi ensinado na década de 50, no Grupo Rafael Magalhães, dirigido pela extraordinária Professora Dona Geralda Cerávolo, que "Administrar é definir prioridades".
Minas Gerais está com mais de cem municípios em estado de emergência, devido a inundações e desmoronamentos.
Investimentos mínimos em obras nos últimos tempos (haja visto aqui na terrinha - aprofundamento da calha do sapucai, limpeza e construção de barragens).
Noventa por cento dos recursos para prevenção, direcionados para o Estado natal do Ministro Bezerra. Emendas apresentadas pelo seu filho. Obras direcionadas para empresa de membros da família. Partido: PSB.O mesmo do Governador do Estado de Pernambuco.
Grita do nosso Estado, o mais atingido, está sendo zero.
Razão única: pespectiva de parceria política futura do chefe do executivo pernambucano e o Senador Aécio.
Não será tateando e tocando bolas no meio de campo, que o nosso ex-governador e esperança de mineiros e brasileiros irá ocupar espaço na política nacional.
Muito estrategista e civilizado para o nosso gosto.
O povo mineiro assiste.

ER
  

VENTOS DE GUERRA - 4

Um(a) comentarista durante uma manifestação no blog definiu bem as correntes políticas da terrinha.
Foi mencionado o "chiquismo" e complementado por outros comentaristas, o "rodriguismo", o "jorgismo" e lógico, o "petismo", que exceto ao Lula, não admite culto à pessoa.
Excluindo o atual prefeito, todos, inclusive o zelador, já lutaram pelo "chiquismo", em priscas eras. Muitos continuam amigos, outros mais ou menos e outros tantos ferozes inimigos.
As estratégias de campanha, programas, times, etc, estão longes de estarem definidas.
Mas para os que tem a mania de antever os lances, o quadro é no mínimo preocupante.

O "jorgismo" aparentemente buscou inspiração na ausência de democracia, com nuances até de ditadura. Populismo cercado de admiradores e aproveitadores fiéis. Parcerias inusitadas com deputados de outros partidos e convicções. Atuação cerrada junto aos meios de comunicação, como nos velhos tempos da ditadura. Aos amigos tudo, aos adversários mãos pesadas. Gerencialmente, segue um "arroz com feijão" com investimentos de responsabilidade do Estado (Somma) e Federal (Minha casa minha Vida). Têm a tímida Câmara sob controle. Segue protegido em outras áreas, por uma forte aplicação de teflon (nada gruda).

O "petismo" já foi analisado no blog. Querem marcar posição na terrinha, sonhando com mais altos voos dos líderes Odair Cunha e Ulisses. Se equilibram na tentativa de manter os cargos de confiança que têm no governo atual, do qual não querem mais aparecer como parceiros. Filosofia: Participação sem compromissos.

O "Chiquismo" traz a preocupação da ausência de renovação de pessoas e consequentemente de ideias. O mundo mudou e muitos fieis e leais membros do "chiquismo" não se deram conta disso. E pior: corre no ar a síndrome vingativa de "michel teló": se eu te pego, se eu te pego...
Quer dizer: se voltarmos ao poder, colocaremos as contas pessoais em dia. Isso não parte do líder, mas de companheiros magoados nesses últimos oito anos.

Complicado também o "rodriguismo". Está se transformando numa frente ampla. Muitos caciques e poucos índios. Como não tem lugar para todos nas janelinhas, será inevitável o aparecimento de arestas. São todos jovens fisicamente, mas alguns com ideias, pelas declarações, ainda do século passado.

Em todos os casos, observem, a terrinha fica em segundo plano.
Itajubá ? realmente, temos que considerar Itajubá ?
Todos ainda tem muito tempo para mostrar que o velho zelador está enganado e irremediavelmente ranzinza.
Voltaremos.

ER   

CARTAS QUE NÃO RECEBI

São Paulo, 8 de janeiro de 2012

Prezado Zelador,

Sou um itajubense ausente fisicamente por motivos de sobrevivência.
De pensamento estou sempre presente. Ouço (pela internet) os noticiários das rádios da cidade, tanto pelas oficiais quanto pela independente. Da mesma forma dou uma corrida semanal de olhos pelos jornais da terrinha.
Diariamente (duas ou três vezes) dou uma checada no "viver é perigoso". Já tive ousadia, anonimamente claro, de apresentar alguns comentários.
Não leve a mal, mas muitas vezes os comentários superam a postagem original.
Sobre os últimos tempos de Itajubá, passou-me pelo pensamento uma figura de imagem que julgo oportuna.
Comparo o povo da terrinha (nós) como um competidor daqueles concursos bobos do Programa do Faustão, quando um sujeito tenta atravessar um lago ou um rio, saltando sobre obstáculos móveis.
Quase todos caem no brejo na primeira ou segunda dificuldade.
Partem animados e bradando gritos de guerra.
É o caso da venda do prédio da Cabelte: O povo grita, sai em disparada e enche o tanque d`agua. Muda de roupa e esqueçe.
Vem o caso de remédios jogados fora: Novo grito e tchum nágua. Equece !
Aparece a União querendo apossar-se de casa e terrenos, gritaria geral e se ainda não caiu, está por pouco para cair na lama.
Berraram sobre o centro de hemodiálise montado e sem autorização para funcionar, grito de indignação e revolta, parte e fundo do lago como destino. Não se fala mais nisso.
E por aí segue.
Determinam sem estudos e programação a proibição de saquinhos plásticos, o povo dá o grito de guerra, sai em disparada e tombo no segundo obstáculo.
Ando achando que gostamos mesmo é de encher o lago.(e provocar risos)

Itajubense Ausente  

CONTANDO COM A SORTE