sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Miró -  ( Yousuf Karsh)

FELIZ LIVRO NOVO

Post do Walter Bianchi (recebido por ele por email)

Quando 2011 começou, ele era todo seu. Foi colocado em suas mãos... Você podia fazer dele o que quisesse... Era como um Livro em Branco, e nele você podia colocar:um poema, um pesadelo, uma blasfêmia, uma oração. Podia... Hoje não pode mais; já não é seu. É um livro já escrito... Concluído. Como um livro que tivesse sido escrito por você, ele um dia lhe será lido, com todos os detalhes,e você não poderá corrigi-lo. Estará fora de seu alcance. Portanto, antes que 2011 termine, reflita,tome seu velho livro e o folheie com cuidado. Deixe passar cada uma das páginas pelas mãos e pela consciência; faça o exercício de ler a você mesmo. Leia tudo... Aprecie aquelas páginas de sua vida em que você usou seu melhor estilo. Leia também as páginas que gostaria de nunca ter escrito. Não, não tente arrancá-las. Seria inútil. Já estão escritas. Mas você pode lê-las enquanto escreve o novo livro que lhe será entregue. Assim, poderá repetir as boas coisas que escreveu, e evitar repetir as ruins. Para escrever o seu novo livro, você contará novamente com o instrumento do livre arbítrio, e terá, para preencher, toda a imensa superficie do seu mundo. Se tiver vontade de beijar seu velho livro, beije-o. Se tiver vontade de chorar, chore sobre ele e, a seguir, coloque-o nas mãos do Criador. Não importa como esteja... Ainda que tenha páginas negras, entregue e diga apenas duas palavras: Obrigado e Perdão!!! E, quando 2012 chegar, lhe será entregue outro livro, novo, limpo, branco todo seu, no qual você irá escrever o que desejar...
2012 -  Vamos orar mais.

FELIZ LIVRO NOVO

Enviado pelo Walter Bianchi

ABRINDO AS TORNEIRAS

Pesquisa divulgada ontem em Brasília pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) com base em dados de 1995 a 2011 demonstra que os investimentos do governo federal, dos estados e dos municípios são influenciados pelo calendário eleitoral.
Em ano de pleito há aumento de gastos públicos e no ano seguinte há contenção das despesas.
“Os anos subsequentes às eleições presidenciais e dos governadores estaduais normalmente coincidem com quedas muito fortes da taxa de investimento público, relacionadas a programas de ajustes fiscais, que posteriormente são revertidas no decorrer do ciclo eleitoral”, descreve o comunicado do instituto.
No caso dos municípios, além da eleição estadual e federal, ainda há a influência das eleições para prefeitos e vereadores, o que acarreta em um ciclo bienal de expansão e contingenciamento de gastos. “A taxa de investimento do governo municipal, por sua vez, apresenta um comportamento muito mais irregular e uma influência mais marcada do ciclo bienal”, aponta o Ipea ao salientar que “os anos não eleitorais (ímpares) são caracterizados por quedas (ou estabilidade) da taxa de investimento dos municípios, enquanto os anos eleitorais (pares) ocorrem elevações da taxa de investimento”.

Blog: Novidade nenhuma. A terrinha poderá assistir em 2012 algo nunca visto.

ER

DEDO DE PROSA

A história da Cachaça Dedo de Prosa começou como a maioria das cachaças mineiras.
Apreciador do destilado, Saulo Germiniani, pai da empresária Jaqueline Germiniani, adquiriu um alambique em 2001. De acordo com a empresária, o que no início era um hobby começou a interessar aos amigos da família, e a Dedo de Prosa se transformou em negócio. Hoje, a empresa produz 40 mil litros anuais e é exportada para países como Angola, Canadá, Suíça, Estados Unidos e o próximo destino é a Coréia do Sul.
A Dedo de Prosa é produzida no município de Piranguinho. A busca pela qualidade resultou que a Dedo de Prosa fosse a primeira cachaça certificada pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA)/Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) na região do Sul de Minas.
De acordo com o Sebrae/MG, Minas possui cerca de 8,4 mil estabelecimentos de cachaça. O Estado produz anualmente cerca de 200 milhões de litros do produto, o que corresponde a aproximadamente 50% do mercado nacional. Na mesorregião do Sul/Sudeste de Minas, em torno de 197 estabelecimentos produzem cachaça, cerca de 2,3% do total produzido em todo o Estado.

ER

42 ANOS NOS NOSSOS OUVIDOS



"...a trilha sonora foi encomendada a um maestro e só foi entregue na manhã em que o jornal seria lançado. Detestei o resultado e pedi socorro ao Antonio Faya, sonoplasta da Globo e um dos melhores do Brasil. Ele me apareceu com um LP do Frank De Vol, chamado The Happening, e foi me mostrando as faixas. Escolhi uma delas e ele foi correndo editar de modo que desse o tempo necessário para a abertura. O tema sofreu muitos arranjos depois, mas continua sendo até hoje a abertura do Jornal Nacional..."

Boni

( Música de 1960 composta por Frank De Vol para a trlha sonora do filme 'The Happening'. Foi base da adaptação do Tema de abertura do Jornal Nacional (Rede Globo) escrita pelo Maestro Aluisio Didier.)

ER

A VOLTA DO BARBALHO