sábado, 12 de novembro de 2011

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Foto cedida por Aldogon
Blog: Trata-se do famoso tunel de Passa Quatro, palco de duríssimos combates entre paulistas e mineiros,quando da Revolução de 32. (não foi possível identificar o Aldo e o seu amigo Zé Dirceu)

ER

MÁQUINA DO TEMPO


Jennifer Aniston


ENQUANTO ISSO...

Enquanto na terrinha o governo nos lembra que é dono do terreno onde construímos a nossa casa e que teremos que pagar taxas pela ocupação da área ocupada, bem como, arcar com uma gorda comissão numa eventual venda do imóvel construido, bons ventos sopram sobre Cuba, depois de mais de 50 anos.
Senão vejamos o que foi noticiado no início do mês:

"Afetados por décadas de restrições legais, as quais o próprio presidente Raúl Castro agora considera "excessivas", os cubanos comemoraram nesta quinta-feira a lei que, pela primeira vez desde 1959, permitirá vender e comprar uma casa.
É uma medida extraordinária que está sendo muito bem recebida. Agora todo mundo pode vender e comprar casas sem problemas.
Para Argelio Martín, um marinheiro mercante aposentado de 68 anos, "esse decreto amplia o direito dos cubanos", e colocará fim "às ilegalidades" que existiam em torno da venda de casas. Mais de 80% dos cubanos são donos de suas casas e não podiam vendê-las
O decreto, que formaliza uma das medidas aprovadas em abril no VI Congresso do Partido Comunista, estabelece as normas para a compra e venda de residências entre cubanos ou estrangeiros residentes na ilha, assim como sua transferência em caso de divórcio, morte ou saída definitiva do país.
A lei marca "uma mudança substancial" frente à legislação que esteve em vigor durante meio século, pois "pela primeira vez" a vontade dos cubanos "não está limitada por lei", o que lhes permite exercer "um verdadeiro sentido de posse sobre o bem".

Blog: Devagar, devagar, chegaremos lá.

ER

VERGONHA !

Do Prof. Elton Simões - para o blog do Noblat

"...Existe algo fundamentalmente errado quando, em uma sociedade, as noções de legalidade ou ilegalidade substituem as noções de certo e errado. Quando o sistema jurídico fica mais importante que a ética. Quando o compromisso com o bem-estar da comunidade se esconde atrás de nossa consciência adormecida. Nesta hora, perdemos a vergonha.
A vida não cabe em um conjunto de leis. Ela é maior que isso. Não cabe em livros ou códigos. Não cabe no direito. A vida é dinâmica, fluida, contraditória e cheia de dilemas. Em uma sociedade pacifica, organizada e evoluída, a ética precede a legalidade. As pessoas têm vergonha. Nestes tempos de apagão ético, talvez seja isso o que nos falte."

Prof. Elton Simoes - Para o Blog do Noblat

BOM FERIADO