quarta-feira, 19 de outubro de 2011

SOB A LUZ DE VELAS

Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!

Fernando Pessoa

(Enviado pelo Humberto Chiaradia)











SÓ BEATLES


22 diferentes canções do quarteto mais famoso de Liverpool reunidas neste mix musical realizado com vocais sobrepostos por somente uma pessoa: Grant Woolard. Se não bastasse criar um belo arranjo musical para o mashup, Grant também emulou várias capas dos discos do grupo inglês animadas. Bem bacana e criativo.

Mdig

O PT E O CRIME CONTRA AS ONGS

Gilberto Dimenstein para a Folha de hoje

Os partidos políticos, especialmente o PT, são responsáveis por jogar lama numa ideia encantadora: a de que se pode fazer um serviço público, ajudando a comunidade, sem necessariamente ter de estar no governo ou ser filiado a algum partido.
Sou dos que acham de que todo e qualquer cidadão deveria ser ensinado a prestar algum tipo de serviço em sua comunidade. Um dos meus orgulhos na vida é ter sido voluntário neste tipo de entidade.
Inspirei-me em maravilhosos casos de instituições que fizeram e fazem a diferença nas mais variadas áreas, da infância ao meio ambiente, passando pelas artes, adiantando-se aos governos. É onde se prestam projetos inovadores, que depois são replicados.
Aponte um avanço social brasileiro e verá uma entidade não-governamental participando da mobilização na proteção de mulheres, negros, índios, crianças com deficiência, idosos, homossexuais.
Essa combinação de fazer uma ação pública sem participar de governos ou partidos atraiu, no Brasil, jovens desencantados da política, mas querendo fazer a diferença. É uma dimensão das políticas públicas avançadas em que o governo não é o único protagonista.
Mas os partidos políticos brasileiros descobriram um filão de malandragem, usando a imagem das ONGs para acobertar falcatruas.
O custo disso pode ir muito além dos milhões desviados. Pode gerar o aumento do desencanto dos jovens e das pessoas que querem melhorar sua comunidade.
A melhor coisa que se faz é investigar cada vez mais as ONGs, especialmente as que tiverem acertos com os governos, para gerar transparência.

Gilberto Dimenstein



*

ADOÇANDO UM POUCO

Depois do arroz doce e do doce de abóbora com côco, não tem escapada: Assume posição o Crème Brulée francês, ou Leite creme português, ou Crema catalana espanhol, ou Crème anglaise. Podem chamar como quiser. È uma sobremesa imbatível.

O crème brulèe (creme queimado, em português) é uma sobremesa bastante simples. Trata-se apenas de de um creme inglês, crème anglaise para os íntimos, que é colocado numa travessinha rasa de louça refratária, assado em banho-maria, deixado esfriar e que, na hora de servir, recebe um açucar por cima que, ao ser queimado por um maçarico ou no forno, forma uma casquinha crocante.
Segundo Zé Hugo Celidônio, sua origem remonta ao século XVII. A referência mais antiga a ele é feita num livro editado em 1691, Le cuisinier royal, escrito pelo chef francês François Massialot. Os ingleses também reivindicam um passado importante, quando ele foi intriduzido na Universidade de Cambridge em 1860. Mas asseguram que num livro de 1677, The Complete Servant Maid, o brulèe já estava lá. 

"1 litro de creme de leite fresco, 8 gemas, 2 1/2 colheres de sopa de açucar e fava de baunilha raspada. -
Numa vasilha grande, bata as gemas junto com o açucar até bramquear. Bata de preferência à mão, para evitar que a mistura absorva muito ar e que, consequentemente, o creme venha a ficar com bolhas. É para ele ficar bem liso. Numa panela, leve o creme com raspa de baunilha ao fogo, até levantar fervura. Deixe descansar por cerca de 15 a 20 minutos. Então vá despejando a mistura de creme e baunilha, pouco a pouco, sobre as gemas, deixando incorporar delicadamente.
Use vasilhinhas de louça refratária, de preferência rasas, para ter maior superfície para queimar. Despeje a mistura nas vasilhas e coloque-as num tabuleiro em banho-maria com água quente, e leve ao forno por aproximadamente 20 a 25 minutos. O cozimento é muito importante: a parte central do creme já cozido, na vasilhinha, deve ter a consistência de gelatina, quando você balançá-la um pouco.
Retire as vasilhas do forno e deixe esfriar fora do tabuleiro (onde a água provocaria a continuação do cozimento) e deixe na geladeira até esfriar bem. Na hora de servir, polvilhe açúcar cristal e queime com maçarico ou então coloque no forno, desde que seu forno tenha queimador também na parte de cima. para servir, espere um minutinho, para que a camada de açúcar se solidifique, formando a crosta crocante, característica da receita.

(José Hugo Celidônio - Livro Histórias e Receitas)

ER

COM PRAZO DE VALIDADE

Ouvido ontem na Feira Livre da Av. Dr. Rosemburgo Romano (na Boa Vista)

- Ô cumpadre, o pessoal da terrinha saiu na frente de novo. Criatividade é aqui com nós.

- O que foi desta vez ?

-Uai, não está sabendo ? Estabeleceram "prazo de validade" para as homenagens.

- Explica Sô !

- Um bom cidadão poderá ser nome de rua por 10 anos, depois muda. Um médico prestativo poderá ser nome de praça por 15 anos. Um professor, daqueles competentes poderá ser nome de escola por até 30 anos. Depende do caso.

- Os Drs. Theodomiro e Wenceslau correm risco ?

- Esses dois casos não. Já adquiriram estabilidade homenageativa.

- Ah bom...

ER

HOMENS DE NEGÓCIO

Ali estão reunidos, naquela mesa farta, todos bem vestidos, falando um linguagem delicada e civilizada. E cada um sabe que o outro quer arrancar-lhe o fígado e sorri, e, enquanto sorri, o primeiro tenta apunhalar pelas costas o segundo, que sorri, e, enquanto sorri, derrama tranquilamente veneno no vinho do terceiro, que sorri, e, enquanto sorri, morde e come um pedaço da orelha do quarto, que gargalha, derrama ácido nos olhos do quinto, que está ao seu lado: são apenas homens de negócio.

Millor

UMA ALEGRIA SÓ !


Começou na segunda-feira e termina hoje na Cidade do México a 16ª Convenção Internacional de Palhaços. Os participantes são de toda a América. São mais de mil.
Trata-se de uma profissão digna, mas que dá uma vontade de trazer o assunto para o nosso dia a dia, isso dá.

ER 

MULHERES DESTACADAS DA AMÉRICA LATINA

Em consulta feita pelo jornal espanhol El País foram as seguintes, as mulheres mais votadas nas categorias propostas:

POLÍTICA
Michelle Bachelet (ex-presidente de Chile e encarregada da ONU Mulheres)
Eva Duarte de Perón (esposa do presidente argentino Juan Domingo Perón)
Dilma Rousseff (presidente de Brasil)
La Malinche (o Dona Marina, indígena mexicana)
Manuela Sáenz (heroína equatoriana e amante de Simon Bolívar)

CÍVICO-SOCIAL
Rigoberta Menchú (Mães e Avós da Plaza de Mayo)
Ilana Sod (jornalista mexicana de radio e televisão)
Mulheres da Ciudad Juárez (lutam contra el feminicidio na cidade mexicana)
Damas de Blanco (mulheres de Cuba que lutam pela liberdade dos seus familiares encarcerados)

LITERATURA
Gabriela Mistral (poetisa chilena e Nobel de literatura)
Soror Juana Inés de la Cruz (religiosa e escritora mexicana)
Clarice Lispector (escritora brasileira)
Isabel Allende (narradora chilena)
Alfonsina Storni (poetisa e narradora argentina)

OUTRAS ARTES
Frida Kahlo (pintora mexicana)
Mercedes Sosa (cantora argentina)
Violeta Parra (cantora, compositora e escultora chilena)
Chavela Vargas ( cantora nascida na Costa Rica e nacionalizada mexicana)
Tarsila do amaral (pintora brasileira)

El País

SE SOBRAR UM POUCO