quarta-feira, 12 de outubro de 2011

NAO DEIXA DE SER UM NEGÓCIO

Recorde de comentários no "viver é perigoso" sobre o assunto Siemens. Por principios jamais senti prazer por assistir possíveis dificuldades atravessadas por quem quer que seja. mas a vida segue. Aguardaremos os esclarecimentos.
Um dos nossos anônimos, entre outros comentários, citou o "post" anexo publicado no blog sob o título "Não Deixa de Ser Um negócio", no dia 06 de julho de 2011.
Respondemos: Continua sendo atual e não continha nenhuma previsão apocalíptica.

Zelador

"Longe de ser o cumprimento de uma profecia ou ser considerado como o pouso de uma nave extra-terrestre no município.
Pelo porte, pelo nome e pela tradição, sem dúvida a implantação de uma unidade industrial da Siemens deverá ser um bom negócio e motivo de orgulho para todos os itajubenses.
Mas não deixará de ser um negócio.
E como todos os negócios, principalmente quando envolvem questões públicas, todos os aspectos devem ser cuidadosamente observados.
Pulando a questão de permuta de áreas, continuamos insistindo sobre a importância de serem contabilizadas as respectivas responsabilidades:

Do Estado
Do Município
Da Empresa

Aparentemente, compromissos por parte do Munícípio começam a serem assumidos sem a confirmação da firmação do Contrato (Protocolo de Intenções) pelos três participantes, com as obrigações de cada um relacionadas.

Dúvida:

Quem será o responsável pelas obras de infra-estrutura ? Terraplanagem, acessos (trevo), água/esgoto, alimentação de energia elétrica e comunicações.

Dificuldades e problemas têm que ser evitados e não resolvidos posteriormente. Desgastes posteiores devem ser evitados.

Os interlocutores de hoje podem não ser os de amanhã.

Que tudo dê certo."

ER

TEMPO DE SOLTAR PIPA

MOMENTO PARA TUDO

O zelador fora da base foi tomado de surpresa pelas notícias do afastamento do Adilson Primo da presidência da Siemens. Somente agora à noite ou melhor, já na madrugada de quarta-feira, estou tendo oportunidade de ler sobre o caso na internet.
Conheço o Adilson desde  os tempos de Escola de Engenharia e já lá vão uns trinta anos. Considero-o um amigo.
As notas publicadas são duras. Tenho suficiente experiência profissional para saber como funcionam as grandes empresas e o perverso mundo empresarial. 
O Adilson se defenderá das acusações. É um direito.
Espero  que a turbulência provocada pelo acontecimento em nada venha a afetar os projetos da empresa em nossa cidade, muito embora neste momento, a preocupação seja com o próprio Adilson.
Como em outros casos parecidos, colocaremos os comentários anônimos sobre o assunto, sob reserva.
Parece-nos mais sensato aguardar.

Edson Riera