quarta-feira, 5 de outubro de 2011

TOMOU O BARCO



STEVE APPLE

Cada qual na sua área mas todos no mesmo patamar de heróis americanos. Balançamos em 1962 com a partida de John Kennedy. Depois Martin Luther King. Mais adiante John Lennon, Tancredo Neves, Ayrton Senna e João Paulo. Hoje Steve Jobs.
Mais um daqueles embarques que provocam sentimentos inexplicáveis de falta.
O homem que mudou o planeta.
O mundo deveria decretar no mínimo 3 dias de luto, com bandeira da ONU a meio pau. Seria ainda muito pouco.
Alguém viu Steve por aí ?

ER

SOB A LUZ DE VELAS

O homem odeia tudo aquilo que não lhe parece ter sido feito por ele. É por isso que o espírito de partido é tão zeloso. Qualquer tolo está convencido de que atingiu o que há de melhor e de que o mundo, que sem ele nada era, passou a ser alguma coisa.


Johann Wolfgang von Goethe

TOMOU O BARCO



ANGIE
O escocês Bert Jansch, compositor e guitarrista, considerado uma lenda do folk morreu aos 67 anos em Londres. Segundo a BBC, a morte deveu-se a uma enfermidade no pulmão.
Jansch nasceu em Glasgow em 1943 e lançou o seu primeiro álbum em 1965. Entre 1967 e 1973, fez parte do grupo Pentangle. Ao todo, gravou mais de 25 álbuns.
Bert Jansch tocou com Neil Young e Eric Clapton e foi influência para guitarristas como Jimmy Page, Johnny Marr (The Smiths) e Graham Coxon (Blur).
Bert Jansch, é largamente reconhecido como um dos músicos mais influentes de todos os tempos.

ER

MINHAS IDÉIAS, MEUS ANSEIOS, MEU JULGAMENTO


Foto premiada no passado

Joseph Pulitzer, alemão de origem que fez história nos Estados Unidos no final do século 19 com seu jornal World.
Foi Pulitzer quem rompeu com a tradição de publicar as notícias na ordem cronológica. Ele estabeleceu a hierarquia no noticiário. Estava inventada a manchete, assim, bem como a primeira página. Era um jornalista brilhante, ambicioso, e inevitavelmente acabou tendo seu próprio jornal. Sua lógica como empreendedor no jornalismo era irretocável:
“Circulação significa anúncio, anúncio significa dinheiro, dinheiro significa independência.”
Essa independência não era estendida para os jornalistas que trabalhavam para ele. Pulitzer disse a um deles: “Acima de tudo, você é pago para veicular minhas ideias, meus anseios, meu julgamento.”
 Se aquele funcionário fosse talentoso como ele próprio, Pulitzer lembrou, já teria “seu próprio jornal”. Nunca um barão da imprensa foi tão claro, como Pulitzer, em relação a quem manda na redação.
Sua visão de jornalismo é ainda hoje perfeita. “Para se tornar influente, um jornal tem que ter convicções, tem que algumas vezes corajosamente ir contra a opinião do público do qual ele depende”, afirmou.
Era um idealista, um liberal, um homem quase de esquerda. “Acima do conhecimento, acima das notícias, acima da inteligência, o coração e a alma do jornal reside em sua coragem, em sua integridade, sua humanidade, sua simpatia pelos oprimidos, sua independência, sua devoção ao bem estar público, sua ansiedade em servir à sociedade”, escreveu.
Tinha uma frase que me me tem sido particularmente cara na carreira:
“Jornalista não tem amigo.”
Como a “Deusa Cega da Justiça”, afirmava Pulitzer, ele ficava ao largo das inevitáveis influências que amizades com poderosos trazem. “O World, por isso, é absolutamente imparcial e independente.”
Seu catálogo de inovações inclui a fundação de uma escola de jornalismo na Universidade de Colúmbia, na qual o principal ensinamento deveria ser “ética”, e a criação de um prêmio jornalístico que se tornaria o mais importante do mundo, e que hoje conserva vivo o sobrenome do seu mentor.
Não bastasse tudo, Pulitzer inventou indiretamente ainda o formato dos tablóides.
Ele só não conseguiu uma coisa: ser feliz. Foi essencialmente um gênio atormentado. 
Se você quer aprender a viver, esqueça Pulitzer. Mas se quer aprender jornalismo estude-o com profundidade.

Paulo Nogueira

Blog: Pulitzer entregou em 1903 a quantia de um milhão de dólares destinada à criação de uma Escola de Jornalismo. Os prêmios Pulitzer (administrado pela Universidade de Colúmbia) têm  sido entregue desde 1917, e têm como objetivo distinguir anualmente personalidades de diferentes áreas do jornalismo e da literatura que se destacaram ao longo do ano pelo seu trabalho.
Os prêmios são anuais e divididos em 21 categorias. Em vinte delas, os vencedores recebem um prêmio de dez mil dólares em dinheiro e um certificado. O vencedor na categoria Serviço público de Jornalismo ganha uma medalha de ouro; o prêmio de Serviço Público é sempre dado a um jornal, não a um indivíduo, mesmo que um indivíduo seja citado.
Apenas matérias e fotografias publicadas por jornais nos Estados Unidos são elegíveis pelo prêmio de jornalismo.

ER

NO DOS OUTROS...


DOENÇAS QUE A PIMENTA CURA E PREVINE

Baixa imunidade - A pimenta tem sido aplicada em diversas partes do mundo no combate à aids com resultados promissores.

Câncer - Pesquisas nos Estados Unidos apontam a capacidade da capsaicina de inibir o crescimento de células de tumor maligno na próstata, sem causar toxicidade. Outro grupo de cientistas tratou seres humanos portadores de tumores pancreáticos malignos com doses desse mesmo princípio ativo. Depois de algum tempo constataram que houve redução de 50% dos tumores, sem afetação das células pancreáticas saudáveis ou efeitos colaterais. Já em Taiwan os médicos observaram a morte de células cancerosas do esôfago.

Depressão - A ingestão da iguaria aumenta a liberação de noradrenalina e adrenalina, responsáveis pelo nosso estado de alerta, que está associado também à melhora do ânimo em pessoas deprimidas.

Enxaqueca- Provoca a liberação de endorfinas, analgésicos naturais potentes, que atenuam a dor.

Esquistossomose - A cubebina, extraída de um tipo de pimenta asiática, foi usada em uma substância semi-sintética por cientistas da Universidade de Franca e da Universidade de São Paulo. Depois do tratamento (que tem baixa toxicidade e, por isso, é mais seguro), a doença em cobaias foi eliminada.

Feridas abertas - É anti-séptica, analgésica, cicatrizante e anti-hemorrágica quando o seu pó é colocado diretamente sobre a pele machucada.

Gripes e resfriados - Tanto para o tratamento quanto para a prevenção dessas doenças, é comum recomendar a ingestão de uma pequena pimenta malagueta por dia, como se fosse uma pílula.

Hemorróidas - A capsaicina tem poder cicatrizante e já existem remédios com pimenta para uso tópico.

Infecções - O alimento combate as bactérias, já que tem poder bacteriostático e bactericida, e não prejudica o sistema de defesa. Pelo contrário, até estimula a recuperação imunológica.

Males do coração - A pimenta caiena tem sido apontada como capaz de interromper um ataque cardíaco em 30 segundos. Ela contém componentes anticoagulantes que ajudam na desobstrução dos vasos sanguíneos e ativam a circulação arterial.

Obesidade - Consumida nas refeições, ela estimula o organismo a diminuir o apetite nas seguintes. Um estudo revelou que a pimenta derrete os estoques de energia acumulados em forma de gordura corporal. Além disso, aumenta a temperatura (termogênese) e, para dissipá-la, o organismo gasta mais calorias. As pesquisas indicam que cada grama queima 45 calorias.

Pressão alta - Como tem propriedades vasodilatadoras, ajuda a regularizar a pressão arterial.

Web

CONFEDERAÇÃO DE EMBURRADOS SEM RUMO

Antes que a "tucanada" caia de pau no blog, avisamos que o artigo é da Dora Kramer e está publicado no Estadão de hoje. E corresponde a realidade.

"O mais recente charivari entre tucanos, envolvendo a exclusão do ex-governador José Serra e do senador Aloysio Nunes do programa de TV do PSDB paulista, seria só mais uma escaramuça entre correligionários não fosse também uma perfeita tradução da incapacidade do partido de se acertar internamente e tocar a vida em frente.
Aloysio reclamou no Twitter e o governador Geraldo Alckmin respondeu pelos jornais com uma desculpa esfarrapada - redução do tempo do programa - e a promessa de que no próximo serão todos devidamente "prestigiados".
Indigência total de espíritos. Como de resto têm sido as ações oriundas de um PSDB em crise de abstinência provavelmente resultante do poder precoce conquistado (em 1994) apenas seis anos após a fundação do partido (em 1988).
Uma hora é a briga pela "tomada" da máquina do partido, outra hora é a contratação de pesquisa para definir rumos e que só produz novos desacertos e, com frequência, propostas de temas para reflexão a fim de motivar ações são desqualificados internamente numa autofagia intelectual de dar dó.
Tucanos não conversam com tucanos a não ser que pertençam ao mesmo grupo de afinidades eleitorais, enquanto a direção do partido só se manifesta para dizer que vai tudo bem enquanto as evidências mostram como tudo vai mal.
Vivem de subterfúgios, troca de ironias, gestuais minúsculos e atos isolados em prol deste ou daquele interesse sem que haja qualquer formulação estratégica que indique à sociedade que por trás da sigla exista um partido.
O PSDB hoje é uma confederação de emburrados sem rumo, cuja principal ocupação é dar vazão a ressentimentos mútuos por intermédio de atos e palavras que não se conectam entre si.
Nada tem lógica ali: a atuação dos governadores não se comunica com a ação das bancadas no Congresso, que por sua vez não conseguem estabelecer uma conduta que transmita minimamente uma noção de conjunto.
As lideranças alimentam o clima interno de tensão sempre culpando o grupo rival por fazê-lo, sem coragem de explicitar nem de resolver as divergências.
Quando explode em público a discordância, improvisa-se uma cenografia qualquer para simular convergência, acumulando conflitos não resolvidos, que resultam na falta de unidade nas campanhas eleitorais importantes. Nelas há sempre um grupo a solapar o outro, o que se não acaba em derrota produz revanche.
Vem sendo assim desde a fundação, mas foi a partir de 2002 que a paralisia do PSDB em função dos ódios internos se tornou visível a olho nu.
A revitalização do partido é uma promessa eterna. Inexequível, porém, enquanto ali predominar a hipocrisia e a omissão..."

Dora Kramer




PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Mdig

ATÉ AQUI TUDO BEM NA EUROPA

Erlich - El País

INIMAGINÁVEL - 2

Estão acontecendo coisas no Brasil realmente inimagináveis.
Quem ousaria a pensar no fechamento (mesmo que temporário) das portas de um dos maiores (2º lugar) shoppings centers da América do Sul por decisão judicial ?
Pois é,  o shopping Center Norte, na zona norte da capital paulista, decidiu não abrir suas portas hoje, quarta-feira (5), após a Justiça cassar ontem a liminar que permitia seu funcionamento.
Para se ter uma ideias, funcionam no CN mais de quatrocentas lojas e ele é frequentado diariamente por 80.000 pessoas, multidão que chega a 120.000 aos sábados e domingos
A Prefeitura de São Paulo afirmou que irIa interditar o estabelecimento “a qualquer momento” em razão da presença de gás metano na área.
O shopping foi construído sobre um antigo aterro que tem pontos de vazamento de gás metano - altamente inflamável
Desde abril de 2010 ,quando foi detetada a contaminação, a  Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) vem pedindo providências do Center Norte .
Desde então, alegou o município, eram solicitados estudos do Center Norte para determinar a existência e a extensão dessa contaminação”. Agora com os estudos finalmente entregues, foi constatada a presença de gás metano acima dos limites inferiores de explosividade e limites inferiores de inflamabilidade em 22 dos 29 poços subterrâneos instalados no subsolo do estabelecimento”.
Em nota, a direção do shopping afirmou que "concluirá, o mais rapidamente possível, as obras de implantação de todo o sistema de mitigação dos gases, com a instalação de 10 drenos, um a mais que o exigido pelo Termo de Ajustamento de Conduta assinado com o Ministério Público e a Cetesb".
Questionamentos : Quais foram os órgãos que autorizaram a construção e funcionamento? Já conheciam os riscos causados pelo lixo? Por que demoraram 20 anos (de 1984 a 2004) para começar a exigir providências? O que fizeram nesses últimos sete anos, quando o problema já estava identificado?

Só como curiosidade: Onde eram localizados os lixões na terrinha ? O que está construido sobre eles ?

ER



OBRAS IRREGULARES