quinta-feira, 15 de setembro de 2011

CRISE ECONÔMICA NA EUROPA

Erlich - El País

GOSTOSO ATÉ DE LER

Leiam com atenção o André Mifano. Não sei se pela próximidade com a Dutra ou se pela invasão de alienígenas ou mesmo pelos regimes impostos pelas ditaduras da beleza e da saúde, aqui pelas bandas da terrinha não presenciamos mais essas coisas. Dá uma tristeza.

ER 

Do Chef André Mifano para a Folha:

Você já tomou um cafezinho em Minas Gerais? Se a resposta for sim, tenho certeza de que um pequeno sorriso já apareceu no canto da sua boca, assim como tem um neste exato momento na minha.
As lembranças de dois dias rápidos, porém intensos, e 600 km rodados em Minas povoam minha cabeça e fazem o meu estomago rosnar como um cão raivoso.
De Betim a Tiradentes, passando pelas fazendas e sítios na roça de Congonhas, Minas me mudou um pouquinho. Não sou um cara fácil, quem me conhece sabe disso. Me comunico melhor com a comida do que com as pessoas. Tenho vergonha de ir à casa dos outros e em situações sociais me sinto acuado.
Mas como não se sentir à vontade na casa de um mineiro? Um sorriso ao te receber e logo a tão temida pergunta. Quer um cafezinho?
O café estará lá mesmo, pode apostar. Mas não estará só. Aí vem a broa, o queijo, as geleias, os biscoitinhos, um bolo e seu anfitrião só vai sentar para uma boa prosa depois que não couber nada na mesa.
Acho que os mineiros estão para o Brasil assim como os italianos para a Europa. Fartura à mesa, qualidade nas matérias primas, simplicidade e perfeição nos preparos, simpatia e calor humano.
Eu vi muita coisa nesses dois dias, da moagem da farinha de milho no moinho d'água de cem anos na fazenda Bombaça, que vende os melhores biscoitos de polvilho que já comi, passando pelo sítio do Zezeca, com sua simpatia e a broa com queijo que palavras nunca serão o bastante para descrever.
E, chegando ao restaurante Ora Pro Nobis, o João, mesmo depois de um dia de muito trabalho em pleno festival, me recebeu com uma leitoa, uma cachaça e um enorme sorriso.
Da simplicidade desse povo nasce a excelência de sua comida, seja na roça, seja numa cozinha profissional. Sua generosidade é tão grande que até as mesas têm gaveta. A água de lá tem alguma química que faz as mulheres ficarem lindas e os animais de criação, enormes.
Como as maravilhas de Minas, este texto nunca teria fim.

André Mifano - É chef do restaurante Vito, na rua Pascoal Vita, 329, Vila Beatriz, São Paulo
Escreveu para a Folha


MEU REI


Post no Facebook - Pr.Junior Lima, Pai do João. Sermão "Seven Way King" (That's My King) pregado pelo Reverendo Shadrach Meshach Lockridge.

Comovente.

ER

QUADRO ATUAL

Temos reparado há tempos:
O que tem aproximado e unido as pessoas não é necessariamente a existência de convergências de ideias e ideais.
É a existência de adversários (ou inimigos) comuns.
Isso é ruim.
Temos visto comungando temporariamente e defendendo causas, pessoas totalmente díspares em termos de pensamento e mesmo comportamento.
Deram as mãos para incomodar alguém que detestam em comum. Normalmente por inveja ou interesses prejudicados.
Está mais do que na cara que serão relacionamentos efêmeros.

José Tipica

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Eric Clapton, John Lennon, Mitch Mitchell e Keith Richards.




PELADA DE FINA ESTAMPA

Tirando a jogada genial do Damião,umas duas tentativas do Neymar, uma falta cobrada pelo Ronaldinho e logicamente o terno do Mano Menezes, o Argentina X Brasil de ontem,foi um fina pelada.
Ficou claro que muitos dos que atuaram (dos dois lados) nao têm a mínima condição de estarem em suas respectivas seleção principal.
Uma pena. Os técnicos (ambos morrendo de medo de uma derrota) nao ousaram, optando por não utilizar em maior número, jovens craques que começam a se destacar.
Perderam uma boa oportunidade.

ER

PREMEDITANDO O BREQUE

Plutarco (45-120 dc) Sobre a tagarelice:

É delicado e difícil para a filosofia empreender a cura da tagarelice. Pois seu remédio, a palavra, é feito para aqueles que ouvem, e os tagarelas não ouvem ninguém, já que estão sempre falando. Eis o primeiro mal contido na incapacidade de se calar: a incapacidade de ouvir. É uma surdez voluntária, de homens que, suponho, censuram à natureza o fato de terem apenas uma língua, embora tenham duas orelhas.

(Deu no Orlando Tambosi)

COMPAREM COM OS NOSSOS

Trecho de post do Ricardo Setti

"Em comparação com os nossos, os políticos espanhóis parecem pedintes. Vejam só os 3 principais casos:
O primeiro-ministro socialista José Luís Rodríguez Zapatero ainda não tem casa própria. Seu patrimônio consiste em um imóvel ainda em construção de valor não declarado na cidade onde cresceu e se formou, León, em sociedade com a mulher, Sonsoles Espinosa, para o qual não solicitou empréstimo. Aos 51 anos, em contas bancárias e 3 diferentes planos de aposentadoria privada, acumula 158 mil euros (370 mil reais). Não tem automóvel.
O líder do principal partido de oposição, o Partido Popular (PP) e provável vencedor das eleições gerais de novembro, Mariano Rajoy, aos 56 anos possui um apartamento e 3 garagens em Madri, uma casa em Pontevedra, em sua Galícia natal, e 597 mil euros (1,4 milhão de euros) em depósitos bancários, ações e investimentos vários. Não tem automóvel.
O candidato socialista à sucessão de Zapatero, Alfredo Pérez Rubalcaba, químico de formação, ex-ministro do Interior, é dono de um apartamento em Madri, co-proprietário de uma garagem, dispõe de 984 mil euros (2,3 milhões de reais) em depósitos bancários, investimentos e ações, um automóvel Mazda 1998 e um Skoda 2000.
São os três principais políticos da Espanha no momento, todos de homem já de meia idade, fase em que pessoas de classe média/média alta na Europa, como é seu caso, amealharam tanto ou mais do que eles.

Ricardo Setti 


GUENTA CORAÇÃO !