quinta-feira, 4 de agosto de 2011

SOB A LUZ DE VELAS

Do Valter Bianchi

O grande Charles Chaplin já dizia:
 Aprendi que eu não posso exigir o amor de ninguém, posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência, para que a vida faça o resto. Aprendi que não importa o quanto certas coisas sejam importantes para mim, tem gente que não dá a mínima e eu jamais conseguirei convencê-las. Aprendi que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos. Que posso usar meu charme por apenas 15 minutos, depois disso, preciso saber do que estou falando. Eu aprendi... Que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida. Que por mais que se corte um pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces, e o mesmo vale para tudo o que cortamos em nosso caminho. Aprendi... Que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência. Mas, aprendi também, que posso ir além dos limites que eu próprio coloquei. Aprendi que preciso escolher entre controlar meus pensamentos ou ser controlado por eles. Que os heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sentem. Aprendi que perdoar exige muita prática. Que há muita gente que gosta de mim, mas não consegue expressar isso. Aprendi... Que nos momentos mais difíceis a ajuda veio justamente daquela pessoa que eu achava que iria tentar piorar as coisas. Aprendi que posso ficar furioso, tenho direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel. Que jamais posso dizer a uma criança que seus sonhos são impossíveis, pois seria uma tragédia para o mundo se eu conseguisse convencê-la disso. Eu aprendi... que meu melhor amigo vai me machucar de vez em quando, que eu tenho que me acostumar com isso. Que não é o bastante ser perdoado pelos outros, eu preciso me perdoar primeiro. Aprendi que, não importa o quanto meu coração esteja sofrendo, o mundo não vai parar por causa disso. Eu aprendi... Que as circunstâncias de minha infância são responsáveis pelo que eu sou, mas não pelas escolhas que eu faço quando adulto. Aprendi que numa briga eu preciso escolher de que lado estou, mesmo quando não quero me envolver. Que, quando duas pessoas discutem, não significa que elas se odeiem; e quando duas pessoas não discutem não significa que elas se amem. Aprendi que por mais que eu queira proteger os meus filhos, eles vão se machucar e eu também. Isso faz parte da vida. Aprendi que a minha existência pode mudar para sempre, em poucas horas, por causa de gente que eu nunca vi antes. Aprendi também que diplomas na parede não me fazem mais respeitável ou mais sábio. Aprendi que as palavras de amor perdem o sentido, quando usadas sem critério. E que amigos não são apenas para guardar no fundo do peito, mas para mostrar que são amigos. Aprendi que certas pessoas vão embora da nossa vida de qualquer maneira, mesmo que desejemos retê-las para sempre. Aprendi, afinal, que é difícil traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, e saber lutar pelas coisas em que acredito.

Charles Chaplin

Post do Valter Bianchi

ONDE ESTÁ ROLANDO A GRANA

Segundo o IBGE, são os seguintes, o PIB per capita da terrinha e pessoal de perto. Apreciem. Não estamos de todo mal. (em Reais)

1 - Extrema - 47.366,93

2 - Varginha - 23.647,13

3 - Poços de Caldas - 19.137,52

4 - Pouso Alegre - 17.567,73

5 - Santa Rita do Sapucai - 17.101,37

6 - Itajubá - 14.468,22

7 - Brasópolis - 6.964,71

8 - Maria da Fé - 6.093,55

9 - Piranguinho - 5.348,84

10 - Delfim Moreira - 4.689,04

Estamos deixando os irmãos de Brasópolis, Maria da Fé, Piranguinho e Delfim Moreira, na poeira. Os de cima ? não nos interessa.

ER 

FAZ SENTIDO

Post do KZ

De Frei Betto, numa roda em que se discutia a roubalheira no setor público:

— Já que põem fotos terríveis nos cigarros, por que não botar imagens de gente obesa nos pacotes de batatas fritas, de matadouros em cada bandeja de carne, de acidentes de trânsito nas bebidas alcoólicas, de gente sem teto na conta de água e luz e de políticos corruptos na declaração de Imposto de Renda ?

KZ

PURA VERDADE

"Defender a criação de uma CPI da corrupção no Brasil ou é mera chantagem política, ou falta do que fazer, ou absoluta desorientação sobre o que fazer. Ou então as três coisas ao mesmo tempo.
Obviamente, não faltam crimes para investigar. O problema é inverso: o leque é tão amplo que uma comissão desse tipo precisaria funcionar como um tribunal. E quem iria julgar quem? Com raríssimas exceções,o Congresso brasileiro é povoado de gente que em algum momento mamou nos cofres públicos.
De concessões de rádio e TV a ambulâncias,passando pelo mensalão,pela privatização das teles,votos pela reeleição, verbas de representação, pensões irregulares - tudo já foi e continua sendo objeto de negociatas no Legislativo.
É de provocar risos antecipados imaginar caciques do PT, do PMDB, do DEM, do PC do B e quem mais for posando de inocente ultrajado diante de alguma transgressão..."

Escreveu Ricardo Melo no editorial da Folha 

EXCELENTE COMPANHIA

Foto supimpa!!! Dois gênios. Vai para minha parede também. 1grandabraço

Sponholz

Quando nasceu o "Viver é perigoso" pedimos através de email autorização do Sponholz para postarmos suas críticas e alertas visuais no blog. Gentilmente ele não só concordou como passou a indicar o "Viver" no seu próprio site. O que para nós é uma grande honra.

Está escrito lá : se “charge sem crítica não é charge, é piada de salão”, podemos ter absoluta certeza de que o trabalho de Roque Sponholz é a charge. Paranaense de Imbituva, Sponholz é conhecido por ser crítico ferrenho do do lulismo e do PT. 
Roque Sponholz é arquiteto e urbanista formado na Universidade Federal do Paraná, e atualmente é professor da Universidade Estadual de Ponta Grossa, onde leciona planejamento urbano e desenho técnico. Já foi vereador, mas atualmente participa da Política sem mandato, como chargista dos que pegam no pé, com contundência e talento inquestionáveis.

ER



ELES DISSERAM

"Cada homem é livre para tentar chegar até onde pode ou deseja chegar, mas é sua capacidade de pensar que determina até onde ele vai chegar. O valor do trabalho físico, como tal, não se estende além do momento em que é realizado. O homem que realiza apenas trabalho físico consome o valor material correspondente à sua contribuição ao processo de produção, e não deixa nenhum valor residual, nem para si, nem para os outros. Mas o homem que produz uma idéia em qualquer área de atividade racional - o homem que descobre novos conhecimentos - é o benfeitor permanente da humanidade. Produtos materiais não podem ser compartilhados - eles pertencem ao seu consumidor final. Apenas o valor de uma idéia pode ser compartilhado com um número ilimitado de pessoas, fazendo com que todos os que compartilham se tornem mais ricos, sem que ninguém se sacrifique ou perca. É o valor de seu próprio tempo que os intelectualmente fortes transferem aos fracos, deixando que estes trabalhem em empregos que aqueles tornaram possível, enquanto eles continuam a dedicar seu tempo a novas descobertas. Esta é uma permuta legítima que traz vantagens para ambos os lados. Os interesses da mente são unos, não importa o grau de inteligência envolvido, entre os homens que desejam trabalhar e não buscam nem esperam aquilo a que não fazem jus.

Ayn Rand




PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Le Corbusier e Albert Einstein

FRASE ABOBRINHA DO DIA

"A Ministra Ideli Salvatti, das Relações Institucionais é muito fraquinha". Já Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, "nem sequer conhece Brasília".

Ministro Nelson Jobim

É DISCO QUE EU GOSTO



FOLHAS SECAS

Música linda do Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito, com  Beth Carvalho, gravada em 1973. É de arrepiar.

ER

DEFININDO PRIORIDADE

OBRA DIVINA

Foto da Lua tirada pelo astronauta Ron Garan a partir de um dos compartimentos da ISS