quarta-feira, 20 de julho de 2011

NOTÍCIA BOMBÁSTICA

Atenção Caçador do Impossível:

Revelado hoje pelo jornal "Folha de São Paulo" um petista que gera emprego e renda. Trata-se do Sr. Ivo Rosset, filiado no PT desde 2009. O Sr. Rosset é proprietário do Grupo Rosset, que detém 65% da produção de tecidos no país, e também as marcas Valisére e Cia Marítima. O seu grupo tem um faturamento anual de R$ 560 milhões, com 2.800 funcionários.. As empresas existem desde 1939.

ER

EMBIRREI E PRONTO !

Peguei birra por "chapas brancas". Não me refiro aos veículos, que espertamente os políticos trocaram por terceirizados com chapa com cores normais. Não chamam atenção. Dá para levar as crianças na escola, a patroa no shopping e as meninas na academia.
Me irritam outros chapas brancas.
Temos jornais, rádios, entidades, associações, vereadores, escolas, professores, engenheiros, advogados,jornalistas, comerciantes, médicos, artistas, jogadores da seleção, todos chapas branca.
Temos gente comum chapa branca.
Temos gays, afro-descendentes, quilombolas, evangélicos e católicos, chapas branca.
Temos sites e blogs, chapa branca.
O duro é que estão se tornando uma imensa maioria.
Ainda existem poucos redutos na terrinha que não são chapa branca.
Você conhece algum ?

ER

MUITO OPORTUNO

Hoje, ao ligar o computador meus olhos se depararam com a palavra GOOGLE escrita com ervilhas. Perguntei ao meu marido:__Hoje é dia do verde, ou algo relacionado?(Santa Ignorãncia!) E ele, calmamente me disse: __quer uma aula de cultura? Pois bem. Hoje deve ser o aniversário de Gregor Mendel, um austríaco, monge e cientista que descobriu a genética através da ervilha. Envergonhada, saí em busca de informações e passo algo à vocês, que já devem conhecer o assunto, mas nunca é demais... Gregor Johann Mendel foi um monge agostiniano, botânico e meteorologista austríaco. Durante a sua vida, Mendel publicou dois grandes trabalhos agora clássicos: "Ensaios com plantas híbridas" e "Hierácias obtidas pela fecundação artificial". Era de uma família de humildes camponeses. Na sua infância revelou-se muito inteligente; em casa costumava observar e estudar as plantas. Sendo um brilhante estudante a sua família encorajou-o a seguir estudos superiores, e, aos 21 anos, a entrar num mosteiro da Ordem de Santo Agostinho (atual mosteiro de Brno, hoje na República Checa) pois não tinham dinheiro para suportar o custo dos estudos. "Gregor". Então Mendel tinha a seu cargo a supervisão dos jardins do mosteiro. Em 1865, formula e apresenta em dois encontros da Sociedade de História Natural de Brno as leis da hereditariedade, hoje chamadas Leis de Mendel, que regem a transmissão dos caracteres hereditários. É conhecido como "Pai da Genética" atualmente. Mendel não só se interessou nas plantas, ele também era meteorologista e estudou as teorias da evolução. Ao longo da sua vida foi membro, director e fundador de muitas sociedades locais: director do Banco da Morávia, foi fundador da Associação Meteorológica austríaca, membro da Real e Imperial Sociedade. Era um homem à frente do seu tempo, mas ignorado durante toda a sua vida. Tornou-se professor de ciências naturais na Escola Superior de Brno, dedicando-se ao estudo do cruzamento de muitas espécies: feijões, chicória, bocas-de-dragão, plantas frutíferas, abelhas, camundongos e principalmente ervilhas cultivadas na horta do mosteiro onde vivia. Gregor Mendel, "o pai da genética", como é conhecido, foi inspirado tanto pelos professores como pelos colegas do mosteiro que o pressionaram a estudar a variação do aspecto das plantas. Propôs que a existência de características (tais como a cor) das flores é devida à existência de um par de unidades elementares de hereditariedade, agora conhecidas como genes. Na fazenda do pai costumava observar e estudar as plantas. Sua vocação científica desenvolveu-se paralela à vocação religiosa. LEIS DE MENDEL Princípios da transmissão hereditária das características físicas foram formulados por Mendel. Ao realizar experimentos com sete características diferentes de variedades puras de ervilhas, Mendel deduziu a existência de unidades hereditárias, que atualmente chamamos de genes, os quais expressam, freqüentemente, caracteres dominantes ou recessivos. Seu primeiro princípio (a lei da segregação), afirma que os genes se encontram agrupados em pares nas células somáticas e que se separam durante a formação das células sexuais (gametas femininos ou masculinos). Seu segundo princípio (a lei da segregação independente) afirma que a atuação de um gene, para determinar uma característica física simples, não recebe influência de outras características. As leis de Mendel forneceram as bases teóricas para a genética moderna e a hereditariedade.

Mahbet1 - (pesquisa do google)

APEGO MATERIAL


Ouvido ontem na Av. Dr. Rosemburgo Romano, na divisa entre a Boa Vista e o Morro Chic:

- Ô cumpadre, que explicação se pode dar para tantos remédios vencidos na prefeitura, quando a população continuamente tem reclamado de falta ?

- Ô Cumpadre, sabe como é, as caixinhas são bonitinhas, embalagens criativas...os funcionários devem pegar amor, tomar de estima por elas e o apego acaba dificultando a sua entrega para desconhecidos da população.

- Péra aí: mas agora tudo não irá para o lixo ?

- Éh... as pessoas ficarão muito sentidas.

- É a vida.

ER    

NÃO FOI CHAPÉU. FOI UM SOMBRERO

No caso  da entrega de 1.000 novas viaturas para a Polícia Militar de Minas Gerais, quando 550 unidades ficaram em BH e as outras 450 distribuídas por cidades do interior, tudo indica que a terrinha ficou a ver navios (ou não ver viaturas).
450 foram para 19 cidades, entre elas, as nossas vizinhas Pouso Alegre, Varginha, Poços de Caldas, Passos, Lavras, etc.
Para se ter uma ideia, Uberlândia levou 50 e Uberaba 30. Veículos novinhos.
Correto que Itajubá não tem problema algum de segurança, ainda mais agora com a criação da Guarda Civil Municipal. Mas quem sabe com a influência dos nossos políticos, a polícia de Pouso Alegre repasse algumas de suas unidades velhinhas para a gente.

ER

A TENTAÇÃO TOTALITÁRIA

Luíz Felipe Pondé escreveu para a Folha - (Não dá para não ler) 

Você se considera uma pessoa totalitária? Claro que não, imagino. Você deve ser uma pessoa legal, somos todos.
Às vezes, me emociono e choro diante de minhas boas intenções e me pergunto: como pode existir o mal no mundo? Fossem todos iguais a mim, o mundo seria tão bom… (risadas).
Totalitários são aqueles skinheads que batem em negros, nordestinos e gays.
Mas a verdade é que ser totalitário é mais complexo do que ser uma caricatura ridícula de nazista na periferia de São Paulo.
A essência do totalitarismo não é apenas governos fortes no estilo do fascismo e comunismo clássicos do século 20.
Chama minha atenção um dado essencial do totalitarismo, quase sempre esquecido, e que também era presente nos totalitarismos do século 20.
Você, amante profundo do bem, sabe qual é? Calma, chegaremos lá.
Você se lembra de um filme chamado “Um Homem Bom”, com Viggo Mortensen, no qual ele é um cara legal, um professor universitário não simpatizante do nazismo (o filme se passa na Alemanha nazista), e que acaba sendo “usado” pelo partido?
Pois bem. Neste filme, há uma cena maravilhosa, entre outras. Uma cena num parque lindo, verde, cheio de árvores (a propósito, os nazistas eram sabidamente amantes da natureza e dos animais), famílias brincando, casais se amando, cachorros correndo, até parece o Ibirapuera de domingo.
Aliás, este é um dos melhores filmes sobre como o nazismo se implantou em sua casa, às vezes, sem você perceber e, às vezes, até achando legal porque graças a ele (o partido) você arrumaria um melhor emprego e mais estabilidade na vida.
Fosse hoje em dia, quem sabe, um desses consultores por aí diria, “para ter uma melhor qualidade de vida”.
E aí, a jovem esposa do professor legal (ele acabara de trocar sua esposa de 40 anos por uma de 25 -é, eu sei, banal como a morte) o puxa pelo braço querendo levá-lo para o comício do partido que ia rolar naquele domingão no parque onde as famílias iam em busca de uma melhor qualidade de vida.
Mas ele não tem nenhuma vontade de ir para o comício porque sente um certo “mal-estar” com aquilo tudo. Mas ela, bonita, gostosa, loira, jovem e apaixonada (não se iluda, um par de pernas e uma boca vermelha são mais fortes do que qualquer “visão política de mundo”), diz: “meu amor, tanta gente junta querendo o bem não pode ser tão mal assim”.
É, meu caro amante do bem, esta frase é uma das melhores definições do processo, às vezes invisível, que leva uma pessoa a ser totalitária sem saber: “quero apenas o bem de todos”.
Aí está a característica do totalitarismo que sempre nos escapa, porque ficamos presos nas caricaturas dos skinheads: aquelas pessoas, sim, se emocionavam e choravam diante de tanta boa vontade, diante de tanta emoção coletiva e determinação para o bem.
Esquecemos que naqueles comícios, as pessoas estavam ali “para o bem”.
Se você tem absoluta certeza que “você é do bem”, cuidado, um dia você pode chorar num comício achando que aquilo tudo é lindo e em nome de um futuro melhor.
E se essa certeza vier acompanhada de alguma “verdade cientifica” (como foi comum nos totalitarismos históricos) associada a educadores que querem “fazer seres humanos melhores” (como foi comum nos totalitarismos históricos) e, finalmente, se tiver a ambição política, aí, então, já era.
Toda vez que alguém quiser fazer um ser humano melhor, associando ciência (o ideal da verdade), educação (o ideal de homem) e política (o ideal de mundo), estamos diante da essência do totalitarismo.
O que move uma personalidade totalitária é a certeza de que ela está fazendo o “bem para todos”, não é a vontade de destruir grupos diferentes do dela.
Primeiro vem a certeza de si mesmo como agente do “bem total”, depois você vira autoritário em nome desse bem total.
O melhor antídoto para a tentação do totalitarismo não é a certeza de um “outro bem”, mas a dúvida acerca do que é o bem, aquilo que desde Aristóteles chamamos de prudência, a maior de todas as virtudes políticas.
Não confio em ninguém que queira criar um homem melhor.

Luís Felipe Pondé

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Norman Mailer e Muhammad Ali

MIAU - MIAU

Deu no Estadão

Uma droga devastadora, que entrou nos Estados Unidos há cerca de um ano, disseminou-se e agora alarma médicos por causa de seus efeitos psicóticos e paranoicos.
"Se você misturar todos os piores efeitos da cocaína, do LSD, do PCP e do ecstasy terá um resultado comparável ", descreveu Mark Ryan, PhD em Farmácia e diretor do Centro de Envenenamento de Louisiana.

Em geral, a droga é fabricada com base em duas substâncias: a metilenodioxipirovalerona (MDPV) e a mefedrona. A primeira é uma substituta química da catinona, composto estimulante do khat, uma planta do norte da África cuja venda é ilegal nos EUA, mas usada em vários países como base de defensivos agrícolas ou repelente de insetos.

Pode ser encontrada na internet, em lojas de conveniência e até entre os verdadeiros sais de banho, com sugestivos nomes: Pomba Vermelha, Seda Azul, Zoom, Nuvem Nove, Neve Oceânica, Onda Lunar, Céu de Baunilha e Furacão Charlie.

Usuários têm sido levados aos prontos-socorros por comportamento violento, pressão sanguínea elevada, alucinações e crises paranoicas. Geralmente, são internados no setor psiquiátrico.

Na Inglaterra a droga foi batizada de ivory wave (algo como "onda do marfim", em inglês).

Por aqui, a mefedrona é conhecida como miau-miau e, segundo Reinaldo Correa, delegado da divisão de Prevenção e Educação do Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), é utilizada em clubes noturnos. "Só não podemos apreender, porque a droga não consta como substância proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)", afirma.

Estadão








CARGA TRIBUTÁRIA

TERÍAMOS LEVADO CHAPÉU ?



O governador Antonio Anastasia entregou mil novas viaturas à Polícia Militar de Minas Gerais, em uma solenidade realizada na Cidade Administrativa, ontem (19). A ação tem como objetivo modernizar a frota e dar mais agilidade à polícia no trabalho de prevenção e combate à criminalidade.
Antonio Anastasia entregou simbolicamente as chaves das viaturas aos 18 comandantes regionais da Polícia Militar no Estado.
"A entrega dessas mil viaturas é muito importante para que a Polícia Militar possa realizar a prevenção através de sua presença ostensiva nas ruas”, disse o governador
Das viaturas entregues à polícia, 550 são destinadas a Belo Horizonte e região metropolitana e 450 serão enviadas para dezenove cidades do interior: Barbacena, Divinópolis, Governador Valadares, Ipatinga, Juiz de Fora, Lavras, Montes Claros, Passos, Patos de Minas, Poços de Caldas, Pouso Alegre, São João Del-Rei, Sete Lagoas, Teófilo Otoni, Ubá, Uberaba, Uberlândia, Unaí e Varginha.
As novas viaturas são Palio Hatch Atractive, flex, de quatro portas, sem cela, com sinalizador acústico visual e transceptor VHF/FM móvel. A manutenção dos veículos será feita por uma empresa contratada, que será responsável também pela conservação, segurança e funcionamento da frota.

Blog: Deve ter engano na informação do jornal "O Tempo". Se não vejamos: 550 viaturas para Belo Horizonte, vá lá.
450 viaturas para dezenove cidades do interior ??? daria mais de 20 veículos por cidade. Ou será que serão encaminhadas para cidades - pólo (mais próxima Pouso Alegre) e dalí cedidas para os pequenos municípios vizinhos ?
Vamos aguardar.

ER