quarta-feira, 6 de julho de 2011

SOB A LUZ DE VELAS

Ainda do tempo do G.E. Rafael Magalhães, quando as professoras não eram chamadas de tias.
Ou era de professora ou de Dona.
Havia uma menina bonita que declamava nos dias de festas, Casimiro de Abreu. Ao terminar a poesia, segurando delicadamente a barra da saia, sorria ao receber os aplausos (os meus, entusiásticos).

DEUS

Eu me lembro! eu me lembro! - Era pequeno
E brincava na praia; o mar bramia
E, erguendo o dorso altivo, sacudia
A branca escuma para o céu sereno.

E eu disse a minha mãe nesse momento:
"Que dura orquestra! Que furor insano!
Que pode haver maior do que o oceano,
Ou que seja mais forte do que o vento?!

Minha mãe a sorrir olhou pros céus
E respondeu: - "Um Ser que nós não vemos
É maior do que o mar que nós tememos,
Mais forte que o tufão! meu filho, é - Deus!"

ER

CARAS DE PAU NO ÚRTIMO

Deu no Hoje em Dia

O Ministério Público Estadual de Contagem investiga a contratação de 35 cabos eleitorais integrantes do PMDB mineiro pela Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa), uma estatal federal. Os contratados em situação irregular ganham salários de até R$ 10 mil sem ter que trabalhar.
Os fantasmas da Ceasa até trabalharam, mas na campanha eleitoral do ano passado. Agora, gozam do benefício de receber salários mensais sem exercer a função. A Ceasa é administrada pelo peemedebista João Alberto Paixão Lages, ligado ao grupo político do atual presidente estadual do PMDB, Antônio Andrade.
 Os cabos eleitorais oficialmente prestam serviços à Ceasa. Estão na folha de pagamento da empresa Construtora e Dragagem Paraopeba, uma terceirizada, em uma triangulação que teria sido feita pelo presidente João Alberto.
Entre os 35 beneficiários, ao menos seis fazem parte da executiva do PMDB Jovem de Belo Horizonte e de Minas Gerais. João Alberto Paixão Lages é presidente nacional do PMDB Jovem.
Todos os cabos eleitorais lotados na Paraopeba têm como funções serviços administrativos e de apoio.
O salário dos peemedebistas também chama a atenção por não estar nos padrões de mercado. Quem ganha mais é Felipe Thadeu Piló, que trabalhou na campanha do deputado federal Leonardo Quintão. Ele recebe R$ 10,4 mil mensais para o cargo de supervisor líder.
Piló também é secretário-geral da Juventude do PMDB, presidida justamente por João Alberto Paixão Lages. No partido, Piló é visto como o comandante dos cabos eleitorais.
Uma faxineira, por exemplo, ganha R$ 2,4 mil, mesmo salário de recepcionista, cargo ocupado, por exemplo, por Bruno Magalhães, tesoureiro do PMDB-BH Jovem.
Outros fantasmas são Igor Araújo Borges, jovem de aproximadamente 20 anos de idade que trabalhou na campanha eleitoral no PMDB e Ângela Maria Belfort, 4ª suplente da Executiva do PMDB de Belo Horizonte. Ela ganha R$ 3,4 mil com a função de auxiliar de serviços operacionais.

Hoje em Dia

Blog: Jovens políticos com um futuro brilhante pela frente. Minas sai na frente preparando os seus futuros dirigentes partidários.

ER



FRASE DO DIA

A história nos conta dos 300 de Esparta e dos 18 do Forte Copacabana. Hoje temos na terrinha o 1 da Praça Amélia Braga. Continue firme Robson,

José Tipica

VOU ATÉ ALI E JÁ VOLTO

Após denúncias feitas pela guardiã da seriedade nacional, Revista Veja, a Presidente Dilma teria agido rápido e exigido a demissão da cúpula administrativa do Ministério dos Transportes (de valores ?).
Quer dizer, foi mais ou menos assim.
Mauro Barbosa (chefe de gabinete do Ministro), Luis Tito Bonvini (assessor), José Francisco das Neves (presidente da Valec ) e Luis Antonio Pagot (diretor geral do Dnit), foram demitidos.
Entenda: Tentaram serrar as pernas da mesa, deixando o tampo. Permaneceram o ministro Alfredo Nascimento e o mandatário geral no ministério, Dep. Valdemar Costa Neto (ele mesmo). Ambos dividem o comando do PR ex-PL e atual responsável pela área.
Apenas um pequeno detalhe: O Sr. Pagot não aceitou a demissão e ele próprio assinou suas férias. Irá descansar por 30 dias e com certeza visitar alguns companheiros reavivando-lhes a memória.

É o Brasil.

ER 

ENQUANTO ISSO EM CAMPINAS ...

Prezado(a) Amigo(a),

Segue, para seu conhecimento, Carta-aberta, de minha autoria, a José Dirceu, ex-ministro de Lula e chefe do Mensalão, que, na tentativa de defender o indefensável - o caudaloso oceano de corrupção em que está mergulhado o governo de Hélio de Oliveira Santos - atacou, em texto publicado em seu blog, o PSDB e a nossa Bancada de Vereadores.

Lama atrai lama. Assim como os lobos preferem viver em alcatéia, agrega-se um novo personagem no maior escândalo de corrupção de nossa cidade.

Com seus direitos políticos cassados até 2015, o ex chefe da Casa Civil do Presidente Lula, citado no processo do Mensalão que tramita no STF como “chefe de quadrilha”, o ex-dirigente petista vem em auxílio de outro chefe de quadrilha.

Em seu blog, o riquíssimo consultor de contratos milionários e clientes não identificáveis, tenta lançar fumaça, visando encobrir o escândalo e desviar a atenção para as falcatruas perpetradas pela atual administração da cidade:
 'O que vemos em Campinas é mais um caso de violação flagrante dos direitos individuais, a pretexto de combater a corrupção. Mais um exemplo de uso político de investigações do Ministério Público de São Paulo, de objetivos eleitorais e ação política travestidos de luta pela ética. E o pior de tudo, mais um caso de encobrimento de denúncias contra o PSDB e de envolvimento do PT sem provas e evidências'.

Senhor José Dirceu, o que não falta são provas e evidências. A casa caiu. São os empresários achacados que fazem fila para depor e denunciar as mazelas da administração Hélio-Vilagra.

São as próprias conversas dos ex-homens fortes do governo que apontam para o maior escândalo que Campinas já assistiu. É o amigo de infância que aponta os desvios perpetrados pela quadrilha que veio de outro estado para pilhar nossa cidade.

Esse é o fato. Mas a cartilha lulista, da qual o senhor foi co-autor, não vai colar em nossa cidade. Aqui não Senhor José Dirceu. Aqui não. Dobre sua língua ao falar do Ministério Público de São Paulo. Ele não é feito do mesmo barro que o senhor e seus amigos.

Campinas tem uma história de seriedade, forjada por homens sérios como Campos Sales, Carlos Gomes e Guilherme de Almeida. Aqui se trabalha e produz. Não há espaço para gente como você, réu no processo do Mensalão.

Sai prá lá José Dirceu. Vá vender suas consultoriazinhas em outra freguesia! Porque aqui tem gente de fibra. Gente séria que não compactua com crimes. Aqui, senhor José Dirceu, não é o seu lugar.

Artur Orsi

Vereador PSDB - autor do pedido de impeachment

(email do Wartão)


CANTINHO DA SALA


Cy Twombly
Tomou o barco ontem em Roma, aos 86 anos, o artista plástico norte-americano Cy Twombly. Destacado artista do expressionismo abstrato.

ER

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Madre Teresa e Princesa Diane

NÃO DEIXA DE SER UM NEGÓCIO

Longe de ser o cumprimento de uma profecia ou ser considerado como o pouso de uma nave extra-terrestre no município.
Pelo porte, pelo nome e pela tradição, sem dúvida a implantação de uma unidade industrial da Siemens deverá ser um bom negócio e motivo de orgulho para todos os itajubenses.
Mas não deixará de ser um negócio.
E como todos os negócios, principalmente quando envolvem questões públicas, todos os aspectos devem ser cuidadosamente observados.
Pulando a questão de permuta de áreas, continuamos insistindo sobre a importância de serem contabilizadas as respectivas responsabilidades:
Do Estado
Do Município
Da Empresa
Aparentemente, compromissos por parte do Munícípio começam a serem assumidos sem a confirmação da firmação do Contrato (Protocolo de Intenções) pelos três participantes, com as obrigações de cada um relacionadas.
Dúvida:
Quem será o responsável pelas obras de infra-estrutura ? Terraplanagem, acessos (trevo), água/esgoto, alimentação de energia elétrica e comunicações.
Dificuldades e problemas têm que ser evitados e  não resolvidos posteriormente. Desgastes posteiores devem ser evitados.
Os interlocutores de hoje podem não ser os de amanhã.
Que tudo dê certo.

ER 



NOVO RECORDE