terça-feira, 28 de junho de 2011

ÔNIBUS QUEBRADO E VAZANDO ÓLEO

Fábio Feldman é ambientalista e foi deputado federal em três mandatos. Foi do PMDB, do PSDB e está encerrando, segundo ele, sua carreira político-partidária no PV.
Escreveu ele hoje na Folha:
"Hoje, após 24 anos de militância, desfilio-me do meu último reduto partidário, o Partido Verde, que imaginei pudesse vir a ser o endereço da inovação e da coragem de mudar a política brasileira para alinhá-la com o futuro, com a luta por um desenvolvimento justo e sustentável...
...Assisti ao gradual descolamento do sistema partidário da sociedade, transformando-se em espaço prioritário de conquista e manutenção de poder, de administração de butins eleitorais, ao largo das demandas, dos sonhos e da criatividade que vêm da sociedade. Ou seja, os partidos estão parados, fechados e deslocados dos temas que hoje entendo como os mais importantes para a sociedade.
Sempre procurei ser uma ponte para a intervenção da sociedade civil com os governos e Parlamentos, por acreditar que qualquer coisa que se faça à revelia dela não é consistente nem legítima.
É por onde pretendo prosseguir. Colaborar para desobstruir o caminho de uma agenda para o século 21, que liberte o país das visões ultrapassadas pelos fatos e pelas novas configurações sociais.
Não desisti da política.
Quero atuar suprapartidariamente com os novos movimentos que buscam cidadania planetária e discussão mais profunda sobre as alternativas do Brasil e do planeta.
Continuo na estrada, mas desço definitivamente do ônibus do sistema partidário. Que, aliás, está parado à beira do caminho, quebrado, vazando óleo, com os pneus carecas,poluindo o ar. E seus dirigentes não percebem que, cada vez mais, os passageiros descem e se juntam numa caminhada, à sua revelia. "

Fábio Feldmann

MOÇA BONITA

Cláudia Cardinale

ACABARAM ADVERRRTÊNCIAS. AGORA É MURTA !

A instalação dos radares deve começar em 30 dias e os pontos foram escolhidos em função do risco e da frequência dos acidentes em algumas cidades.
Na BR-459, os equipamentos vão ficar no quilômetro 164, em Itajubá. Em Piranguinho, será instalado no 136 e no 156. Já em Santa Rita do Sapucaí, o radar ficará no quilômetro 124. Em Pouso Alegre, no 95 e no 108 e em Congonhal, nos quilômetros 84 e 86.
Na BR-267, os radares vão estar nos quilômetros 497, em Bandeira do Sul, no 482, em Campestre e no 438, em Machado.
Na BR-146, os equipamentos também serão instalados nos quilômetros 491, em Botelhos e no 471, em Cabo Verde.
Na BR-491, os radares serão insalados em Elói Mendes, no quilômetro 228 e no 38 em Monte Santo de Minas.
Em todos esses pontos de fiscalização, a velocidade máxima permitida será de 60 quilômetros por hora. Além dos radares, serão instaladas lombadas eletrônicas em Itajubá e Machado, com velocidade máxima de 40 quilômetros por hora.

Deu no MGsul



PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Brigitte Bardot e Pablo Picasso

MUITA AMARGURA

Inércia

"Somos a ressaca das outras gerações. Todas as lutas e ideias se esgotaram e nós sobramos, nos sentimos enjoados e embrulhados, vazios por dentro. A cabeça não para de doer e nós estamos acabados, exaustos de todo esse 'nada' e consequentemente, de todo o nosso excesso. Somos a geração da pura ressaca".

Opinião da autora do livro "Inércia", Melissa de Miranda, que nasceu em 1987. Para ela,aborda de maneira inédita a chamada Geração Y, grupo nascido entre 1982 e 1992.
Para ela, o imediatismo, o sentimento de tédio, o desapego sentimental e a dependência da mídia são características preocupantes.
No livro-reportagem, escreve sobre ea chamada Geração Y, grupo nascido entre 1982 e 1992 e  conta histórias de jovens desmotivados que abusam de bebida, antidepressivos e internet, o cotidiano de uma juventude desorientada.

Folha






.



O SOMBRA