sábado, 11 de junho de 2011

FICAR PIOR DO QUE ESTÁ ? PODE

Deu no 247 

Antonio Palocci se foi, Dilma Rousseff se libertou, mas os fantasmas continuam à solta. O principal: uma transação muito estranha fechada entre a empreiteira Camargo Corrêa e o fundo de pensão Petros, no apagar das luzes do governo Lula. Um negócio de US$ 1,6 bilhão, fechado sem maiores explicações.
A revista Veja desta semana avança numa história revelada, em primeira mão, aqui no Brasil 247. Diz ter documentos em que um dos sócios da Camargo, Luiz Nascimento, diria ter “total controle” sobre o “médico”, referindo-se a Palocci. Graças a esse total controle, conseguiu empurrar para um fundo de pensão – a Petros – uma operação que fora rejeitada pela área técnica de outra fundação (a Previ, do Banco do Brasil).
O negócio entre a Camargo e a Petros relacionado às ações do Itaú foi fechado em 5 de outubro de 2010. A concretização da operação se deu em 30 de dezembro de 2011. A Camargo, a mesma da Operação Castelo de Areia, que foi enterrada pelo advogado Marcio Thomaz Bastos (ex-chefe da Polícia Federal), doou R$ 8,5 milhões ao partido. Não se sabe se contratou também a Projeto, a consultoria de Palocci.

247



MOÇA BONITA

Brigitte Bardot

NÃO CONSIGO ACREDITAR

Era ainda jovem e acompanhava com atenção os acontecimentos da terrinha, lógicamente, sem envolvimento direto.
Ouvia muito o que o meu Pai e Tios diziam sobre os acontecimentos.
Ler agora sobre a criação do Hospital de Itajubá e a Faculdade de Medicina, sinceramente, me constrange.
Fico imaginando a comitiva de 40 cidadãos que foram até o Rio de Janeiro fazer pressão para a autorização de funcionamento da nossa Faculdade de Medicina.
Quarenta pessoas, desde Prefeito, Secretários, Vereadores, Médicos, Professores, Empresários, que deixando os seus seus afazeres, colocaram de lado possíveis rixas políticas, divergências outras e se  unirão em torno de um sonho.
Inacreditável!
Quantos médicos conseguimos formar até hoje ? Quantas vidas foram salvas ? Quanto sofrimento atenuado ?
Envergonhado tenho que confessar:
Fosse hoje, possivelmente não conseguiríamos lotar um fusquinha de idealistas para ir até o Rio de Janeiro numa missão como aquela.
Pelo contrário: Não teríamos quarenta, mas centenas torcendo pelo insucesso da missão.
Acreditem: Estamos vivendo com relativo conforto graças aos esforços de nossos pais. Eles foram os responsáveis por colocar e empurrar a terrinha no rumo do desenvolvimento.
Nossa geração só tem feito contar uns dinheirinhos e manter o freio de mão puxado.
O mundo mudou, os pensamentos mudaram, as condições de vida são diferentes.
Nossos pais nunca fizeram turismo no nordeste, dançaram tango em Buenos Aires, frequentaram a Europa, montaram apartamento em Ubatuba e nem se deslumbraram com cruzeiros marítimos nababescos.
Possivelmente se divertiam e distraiam pensando no progresso da cidade e futuro dos filhos.
Talvez lhe tenham escapado um pouco, insistir conosco na importância da solidariedade.
PQP.
Perto do foi feito, todos somos umas lesmas. Com instrução e ideologia, mas lesmas.

ER

NÃO EXISTE ALMOÇO GRÁTIS

Deu na Folha

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu ao presidente da Tetra Pak, Paulo Nigro, procurar autoridades do governo Dilma Rousseff para ajudar a empresa a reduzir impostos sobre embalagens de leite, informa reportagem de Bernardo Mello Franco na edição deste sábado da Folha (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).
Ele disse que falaria com o ministro Guido Mantega (Fazenda) para defender um pleito da multinacional: reduzir o ICMS cobrado por alguns Estados sobre as embalagens de leite longa vida.
O petista fez a promessa ao fim de uma palestra fechada para convidados da Tetra Pak, na noite de quarta-feira. Seu cachê neste tipo de evento é estimado em R$ 200 mil --ele não confirma o valor.
Desde que deixou a Presidência, no fim do ano passado, Lula tem alternado sua agenda entre palestras e reuniões políticas do seu partido, o PT, de qual voltou a ser presidente de honra.

Folha


BRINCANDO NAS ONZE - II

Outro dia foi publicado um post aqui no "viver é perigoso" falando sobre o "perna de pau" no futebol, que não jogando nada em nenhuma posição, afirma brincar nas onze posições existentes dentro de um time.
A questão foi trazida para o dia a dia da vida na terrinha.
Constata-se que também pode ser aplicada, sem medo de errar, na esfera federal.
Uma senadora que ficou conhecida pela sua agressividade verbal em defesa do governo Lula, léguas de poder ser considerada uma moderadora, perdeu as eleições no seu Estado e foi premiada com o cargo que sobrou no governo Dilma. Foi enviada para cuidar da pesca. Imaginem !
Outro político carioca, sem experiência e sem brilho próprio, carregando o leve fardo de ser ligado ao Zé Dirceu, foi chamado no apagar das luzes para ser, pasmem! Ministro da Articulação Política do Governo.
O time, afetados pela nova derrapada do craque Palocci (Pelé, segundo o Lula), entrou em pânico.
Numa ajeitada risível, a enérgica técnica precisando mexer no time porém compromissada em não substituir jogadores, ordenou: O ponta-esquerda irá para o gol e o goleiro ocupará a sua posição na meta.
A ideli ao passar o Ministério da Pesca para o Luís Sérgio, com certeza, lhe entregará o anuário enciclopédico com fotografias dos peixes do Brasil. Ela já teria decorado até a segunda página.
Em tempo, todos os mencionados são do PT.
E segue o jogo...

ER

O CRIME COMPENSA

Deu no Brickmann

Um rapaz, Irlan Santiago, se apresentou à Polícia como assaltante, cúmplice de outro, cujo nome não quis citar, que teria assassinado um estudante da USP, Felipe de Paiva, 24 anos, há poucos dias. Foi indiciado por latrocínio, assalto seguido de morte.
Como é réu primário e se apresentou espontaneamente,

Absurdo 1 - foi solto depois de contar que era assaltante e havia participado de um assassínio. E ainda saiu da delegacia dando risada. Se é assaltante a mão armada, confesso, por que soltá-lo? Para ameaçar outras pessoas?

Absurdo 2 - deixaram-no sair livre sem dizer quem era o cúmplice que, segundo ele, teria atirado no estudante;

Absurdo 3 - pôs a culpa na vítima. "Foi morto porque reagiu. Se ficasse na dele, tranquilo, sem reagir, ele não teria tomado bala".

Absurdo 4 - seu advogado, Jefferson Badan, diz que bandido é profissão. "Em todas as profissões tem ética", pontifica. A ética do bandido é não delatar.

Brickmann

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Erin Vey