quinta-feira, 26 de maio de 2011

ABRAM OS OLHOS MOÇADA !

Deu na Agencia Estado

O Ministério Público de Minas Gerais vai propor ação civil pública contra vereadores da Câmara Municipal de Belo Horizonte por ato de improbidade administrativa e acusação de enriquecimento ilícito no uso irregular da chamada verba indenizatória. As dez primeiras ações foram ajuizadas esta semana na Vara da Fazenda Pública Municipal da capital mineira. A investida do MP Estadual (MPE) atinge os 41 vereadores eleitos em 2008. Entre eles, seis atuais deputados estaduais e um deputado federal, que disputaram as eleições de 2010.
As ações estão sendo propostas com pedido de liminar para o bloqueio dos bens dos acusados no limite do montante do gasto identificado como irregular pelo MPE. A estimativa da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público é que o reembolso injustificável tenha gerado um prejuízo total de cerca de R$ 10 milhões a R$ 12 milhões entre janeiro de 2009 a janeiro de 2011.
Os promotores apontam nas ações que os vereadores "enriqueceram ilicitamente às custas do erário, realizando gastos absolutamente inadequados e infringentes dos princípios constitucionais regentes da administração pública". Não faltam exemplos de que a verba indenizatória foi "utilizada de maneira distorcida e abusiva".
O MPE afirma que identificou "inúmeras aberrações" nos gastos, como nas despesas com alimentação, que não podem ser incluídas na categoria de gastos indenizáveis, vinculados ao exercício do mandato parlamentar. Cada parlamentar tem direito a reembolso mensal de R$ 15 mil, mediante comprovação das despesas com o mandato. No ano passado, o MPE chegou a ajuizar uma ação civil pública solicitando a suspensão da verba indenizatória.
Geralmente, os abusos foram verificados também nos gastos com combustíveis, reparação e locação de veículos, viagens, confecção de faixas, postagens, serviços gráficos e desenvolvimento de website particular. Os promotores concluíram que a verba indenizatória "vem convertendo-se em verdadeira remuneração indireta", voltada à satisfação de anseios pessoais. "É um uso indevido para finalidades particulares e gastos sem justificativas adequadas", observou o promotor João Medeiros. De acordo com ele, as outras ações serão ajuizadas no decorrer do próximo mês.

Agencia Estado

REQUENTADA, MAS BOA !

Ouvido hoje na fila do Alvoradão da Boa Vista:

- Ô cumpadre o Rodrigo Marques matou a cobra e mostrou o pau !

- Como assim ?

- Uai, a Siemens vem mesmo para terrinha. Ouvi agora poucos nas rádios mais chegadas no homem.

- Ufa! Notícia requentada mas gostosa de ouvir.

- Passa lá em casa hoje prá tomar uma em comemoração.

ER

GRANDE ITAJUBÁ

Confirmada hoje pelo Senhor Alcaide a notícia dada no final do ano passado e adiantada há uns 60 dias atrás pelo Jornalista Rodrigo Marques, no seu jornal Itajubá Notícias e na Futura FM.
Hoje à tarde o prefeito convocou os órgãos de imprensa que o apoiam, para confirmar a implantação de uma unidade industrial da SIEMENS na terrinha.
Como deixa claro o slogan da "Folha", muito bem seguido pelo Itajubá Notícias e pela Futura FM:

"De rabo preso com o leitor e também no caso, com o ouvinte"

Nossos agradecimentos a Ex - Secretária Leandra Machado, que iniciou as negociações e claro, ao Sr. Prefeito e sua equipe.

Agora vai !

ER 

FRATURA EXPOSTA

Abordamos o assunto com descontentamento. Começou a interferência do Lula da Silva na Governo Dilma. O pior, é que a intervenção se deu (aparentemente) mais por fragilidade da presidente do que por abelhudice do ex.
Daqui prá frente...

Leiam trechos da Dora Kramer no Estadão de hoje. 

"São vários os fatores que expõem a fragilidade política de Dilma Rousseff como presidente da República, sendo o mais recente e mais evidente a entrada de Luiz Inácio da Silva em cena.
Lula desembarcou em Brasília nesta semana não só para comandar a defesa do ministro Palocci, mas também para tentar conter a crescente insatisfação no PT e no PMDB com o estilo distante e animoso da presidente.
...Uma complicação à qual um governante não faz frente se não tiver experiência, vocação e tino políticos. Como Dilma Rousseff não tem, acaba de transferir essa tarefa a Lula.
Tal transferência pode até resolver o problema de imediato.
Mas abre enorme flanco com a cessão da autoridade presidencial a outrem. E não a um outrem qualquer: a Lula que sabe como ninguém potencializar poder político.
Decorre daí uma anomalia: o encolhimento da figura da presidente de direito e a expansão do papel de um ex-presidente numa informalidade institucional jamais vista em qualquer País do mundo civilizado. "

ER


CANTINHO DA SALA


Os personagens redondos e monumentais do colombiano Fernando Botero reinaram ontem em um leilão de arte latino-americana realizado pela Sotheby's em Nova York, no qual várias de suas obras foram vendidas por mais de US$ 1 milhão, assim como produções de outros mestres da região, como Rufino Tamayo e Wilfredo Lam.
"Botero é um artista que tem um poder de reconhecimento instantâneo, e é um dos que mais marcaram a arte do fim do século XX", explicou à Agência Efe o vice-presidente da Sotheby's, Axel Stein.
O quadro assinado por Botero "Una familia" (1972) foi vendido por US$ 1,39 milhão, a obra mais cara do leilão e uma prova da fascinação que as produções do artista colombiano exercem sobre os colecionadores.
Segundo um especialista da Sotheby's, este quadro é uma das obras mais importantes do leilão de arte latino-americana desta quarta-feira, na qual este artista foi o maior protagonista.  
O quadro de Botero faz parte de uma série de famílias que o artista iniciou na década de 1970 e que retomou ao longo de sua carreira, e retrata uma cena moderna, na qual o pai aparece sentado, enquanto a mãe está de pé e as crianças aparecem apoiadas sobre eles.

Folha

DA BOA VISTA PARA O MUNDO


Caro Roberto,

Corrigindo falha lamentável do "viver é perigoso":

Boa Vista - Cu do Judas (Ilha de São Miguel - Açores) = 7.317 kms.

Impedido por duas dezenas de mandatos de segurança, liminares e o escambau à quatro (não sei o que é isso, mas é muito e ruim), o "The Bus" ainda não pode partir levando os "eleitos" da terrinha para o aprazível recanto dos Açores. Uma hora sai !
Com certeza, se teria partido, muita besteira não teria sido dita e feita.

Pela demora, quando tudo ficar legalmente acertado, partirão juntos, dois ou três ônibus. Definitivamente está descartada escala técnica em Caxambu.

Zelador 

EVOLUÇÃO (OU INVOLUÇÃO) ?

Enviado pelo nosso amigo Carlos Eduardo Costa Chaves.

Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1960 quando nasci, que foi mais ou menos assim:

1. Ensino de matemática em 1960:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda.
Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00.
Qual é o lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Qual é o lucro?
 
4. Ensino de matemática em 1990:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

5. Ensino de matemática em 2000:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
O lucro é de R$ 20,00.
Está certo?
( )SIM ( ) NÃO

6. Ensino de matemática em 2009:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

7. Em 2011 vai ser assim:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
(Se você é afro descendente, especial, indígena ou de qualquer outra minoria social não precisa responder).
( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

Post enviado pelo Carlos Eduardo

MINAS SEM DEFENSORES

...e Itajubá também ! (blog)

Coluna do sr. Vittorio Medioli - O tempo


Depois de ter levado para a Bahia o Polo do Acrílico, previsto para Minas Gerais, nos municípios de Ibirité e Betim, prometido por Lula e afiançado pela então presidente do Conselho da Petrobras, Dilma Rousseff, chegou-se a novos golpes contra a economia do Estado.
Mas antes é preciso lembrar outra grave perda que se encontra no projeto megalomaníaco de transposição da águas do rio São Francisco. Tirará do semiárido de Minas - região de menor IDH do Brasil - seu único potencial para seu desenvolvimento. Ah! Mas prometeu a revitalização!
Nada disso aconteceu. Por lá anda de mal para pior. A infausta decisão de Lula planta as sementes do ódio e do conflito entre duas regiões pobres. Pior, foi tomada para atender ao espírito bairrista do "pernambucano" de Garanhuns e dos coronéis nordestinos que ele promoveu a seus melhores sócios.
Não bastasse, na calada da noite, último dia de seu governo, Lula tirou a nova fábrica da Fiat de Minas, concedendo tudo, e mais alguma coisa, para que a montadora se instalasse em Recife.
Esperava-se que a presidente, mineira de nascimento, corrigisse os excessos bairristas de seu antecessor. Pelo contrário, manteve a mesma linha marcada pela discriminação ao Estado, vetando os incentivos da Sudene para as áreas do Norte de Minas e os Vales da Pobreza. Talvez lhe faltasse conhecimento da miséria de seu Estado natal.
A conspiração para dificultar a vida dos mineiros, nesta semana, confirmou-se também com o cancelamento dos investimentos na instalação das UPPs que deveriam surgir para enfrentar o tráfico, a delinquência e levar proteção ao cidadão, especialmente o mais pobre.
Continua pendente na mesa da Presidência o pedido de estadualizar, com transferência de recursos, a manutenção da malha rodoviária federal, verdadeiro pesadelo e patíbulo de seus usuários. Assim, nada se faz e nada se deixa que ocorra.
O objetivo desse alerta é chamar a atenção dos eleitores sobre a inoperância, a inexistência, a incapacidade e a falta de amor com Minas de seus representantes eleitos.
Com Lula tínhamos três ministros mineiros e um vice-presidente; com Dilma a cota minguou para um. Ainda esse ministro se debate com esqueletos guardados em seu armário que o deixam amarrado.
Nas bancadas de parlamentares, a quase totalidade incensa o governo federal, esperando dele as migalhas que atendam ao enriquecimento pessoal, por isso, prostitui-se na defesa abominável de um Palocci; no outro lado, a campana está mais concentrada em derrubar os companheiros de outros Estados do que em defender o povo de Minas.
Tudo se passa na tranquilidade das profundezas dos porões.
O senador Aécio, depois de um exórdio escrito com o sangue dos outros, ainda não mostrou a disposição de versar o seu para defender seu Estado. Pronunciou-se até a favor de Palocci no início de uma operação abafa, confundindo-se seu papel.
O novo governador prefere a "negociação" com quem apenas subtrai de Minas seu potencial. Suas tropas continuam imobilizadas.
A imprensa, comprada pelos governos federal e estadual, chafurda na abundância de verbas roubadas ao conceito de impessoalidade, determinado na Constituição. A regra é "fale bem de mim que lhe pago com o dinheiro do contribuinte". Belo exemplo de democracia que afunda.
Mesmo assim, o Brasil e Minas avançam. Esquecem-se de dizer os surfistas desse fenômeno que avançamos apenas pela metade, dentro de uma conjuntura internacional extremamente favorável.
No Brasil e em Minas, 200 fiscais são preparados para não entender outra coisa que não seja arrecadar através de taxas, emolumentos, multas e terrorismo. Não existe sequer um só elemento escalado para esclarecer, orientar, facilitar a vida de quem trabalha e, ainda, fomentar o desenvolvimento como ocorre pelo mundo afora. Cobram-se juros estratosféricos (para alegria dos banqueiros) e impostos escandinavos que se revelam, ano após ano, insuficientes para bancar gestões perdulárias e irracionais.
O povo, anestesiado pelas esmolas, em sua ingenuidade, diz-se satisfeito. O empresariado vive no carpe diem, de salamaleques e empurrado pelas "consultorias" de ex-ministro que lhe facilitem o trânsito no cipoal da corrupção.
O futuro, entretanto, cobrará uma conta amarga aos mineiros, pois os ventos mudam e as metas não alcançadas no momento propício não o serão nunca mais.

Vittorio Medioli - O Tempo

COMO NOS VELHOS TEMPOS

Apesar do empenho das polícias Militar e Civil para desvendar os furtos de gado ocorridos ultimamente, além de tentar impedir novos casos, as duas corporações apontam dificuldades em encontrar soluções. Em cerca de 20 dias pelo menos 60 cabeças de bovinos foram retiradas de maneira criminosa dos pastos somente do município de Alfenas.

Deu na Web

ELES DISSERAM

"O PSDB só terá condições de voltar à Presidência quando se fortalecer no Brasil todo e se tornar um partido nacional.
Partido não pode ser de um Estado, de uma região ou de uma pessoa. Todos têm de se sentir pertencentes, para que ele tenha força". 

Antonio Anastasia, ontem ao jornal "Folha de São Paulo".
Blog: já lá vão quase dois anos que o blog repete, semanalmente, as mesmas palavras. Ufa! 

ER

CAXAMBU

Pra ensinar os seus por ai: ( Comentário do Nhambu Pesquisador)

HISTÓRIA DA CIDADE

Nas montanhas do sul de Minas Gerais situa-se Caxambu, o maior complexo hidromineral do mundo, com 12 fontes de água mineral com propriedades diferentes. A cidade possui um conjunto arquitetônico e paisagístico de rara beleza e um clima saudável de montanha. Através do colorido de suas paisagens, das belezas naturais, pelos encantos dos seus jardins floridos e pelo valor inigualável de suas miraculosas águas, Caxambu vem , desde a época do Brasil colônia, conquistando seus visitantes. Nas montanhas do sul de Minas Gerais situa-se Caxambu, o maior complexo hidromineral do mundo, com 12 fontes de água mineral com propriedades diferentes. A cidade possui um conjunto arquitetônico e paisagístico de rara beleza e um clima saudável de montanha. Através do colorido de suas paisagens, das belezas naturais, pelos encantos dos seus jardins floridos e pelo valor inigualável de suas miraculosas águas, Caxambu vem , desde a época do Brasil colônia, conquistando seus visitantes. Até o final do século XVII, com a chegada da Bandeira de Lourenço Castanho Taques, que seguia a trilha de Felix Jaques rumo ao vale do Rio Verde, as imediações do Morro de Caxambum, como era conhecido na época, eram habitadas pelos índios Cataguases. Os primeiros a possuirem sesmarias no local foram Carlos Pedroso da Silveira e seu genro Francisco Alves Correia, no ano de 1766. Em 1814, conta-se que havia, no povoado, apenas duas fazendas: a das Palmeiras e a Fazenda Caxambu. Há quem diga que foi nesta época que se tomou conhecimento, pela primeira vez, da existência das fontes. Outros afirmam, entretanto, que tal fato já teria ocorrido em 1762 ou 1772. Em 1868 chega a Caxambu a princesa Isabel, seu esposo Conde DEu e uma comitiva, atraídos pela fama das águas. A princesa buscava a cura de um suposta infertilidade. Ficam durante um mês, partindo em 17 de dezembro. Durante sua estadia foi lançada pela princesa Isabel, a pedra fundamental da Igreja Santa Isabel da Hungria, com a promessa de sua construção, caso a herdeira viesse a engravidar. Através das águas ferruginosas das fontes, que hoje levam o nome do casal imperial, a princesa curou-se da anemia e engravidou. A Igreja Santa Isabel foi construída e hoje é um dos principais patrimônios de Caxambu, sendo tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA). O ano de 1875 foi de grande importância para o povado, pois além de tornar-se Distrito de Baependi, as virtudes curativas de suas águas foram reconhecidas, tendo sua exploração concedida pelo governo da Província de Minas a empresas particulares. Nesta época (1881) a cidade contava com apenas 200 habitantes efetivos, 130 edificações e iluminada por 21 lampiões a querosene. Em 16 de setembro de 1901 é criada a Vila de Caxambu. Época de grande desenvolvimento, foi neste período que foram feitas as principais obras de infra estrutura, como serviços de água e esgoto, aberturas e calçamento de ruas, avenidas e praças, canalização do ribeirão Bengo etc.

 Nhambu pesquisador

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

FILME DE TERROR