domingo, 8 de maio de 2011

BOLSA DITADURA GORDA

Deu na Folha:

"...O novo presidente do PT, Rui Falcão, recebeu do governo federal uma indenização de R$ 1,24 milhão, em valores atualizados, por ter sido perseguido durante a ditadura militar (1964-1985). Ele participou da luta armada e obteve o benefício após declarar à Comissão de Anistia que ficou impedido de trabalhar como jornalista por perseguição política. A quantia foi fixada em setembro de 2003, no início do governo Lula. O cálculo, retroativo, considerou que o petista teria direito a remuneração mensal equivalente à de um editor de jornal entre os anos de 1991 e 2002. Neste período, ele também recebeu salários da União, do Estado e da Prefeitura de São Paulo ao exercer funções de deputado estadual, deputado federal e secretário municipal de governo.
O petista foi anistiado em dezembro de 2002, no fim do governo Fernando Henrique Cardoso. Sua indenização correspondia a R$ 748 mil, em valores corrigidos. Depois da eleição de Lula, ele pediu a revisão do benefício, alegando erro de cálculo e pedindo pagamento retroativo por mais cinco anos. Seu recurso foi aceito, e a indenização subiu para o equivalente a R$ 1,24 milhão..."

Blog: Continuo não compreendendo pessoas sendo indenizadas em dinheiro por terem colocado em prática um ideal.

Folha



NOVOS TEMPOS

É DISCO QUE EU GOSTO



Peter Skellern - You´re a Lady

ER

CANTINHO DA SALA

Paul Cezanne - Flowerpots

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Dê uma folga para a sua mãe. Cuide você mesmo do ovinho com bacon e pão de forma.

ER  

REGRESSO DE UM SOLDADO DESCONHECIDO


Kenneth Bayne, 83 anos recebeu o temido aviso do Exército em 23 de março:  "Nós identificamos o corpo de seu irmão." Chegará em uma ou duas semanas ".
Com as guerras no Iraque e no Afeganistão, este tem sido um aviso comum para muitas famílias americanas nos últimos anos. A diferença, no caso de Kenneth, é que seu irmão, Robert Bayne herói de guerra, morreu aos 26 anos na Segunda Guerra Mundial, cruzando o rio Reno, perto de Mannheim, nos últimos meses de combates ferozes os nazistas. Havia quatro soldados do Exército americano na missão de alto risco. Três foram mortos. Apenas recuperaram os corpos dos dois. Um deles, o próprio Robert, permaneceu desconhecido por 66 anos. Ontem foi enterrado em Dundalk, Maryland.
Robert Bayne era arrimo de família e estava dispensado do serviço militar obrigatório. Alistou-se como voluntário, tendo sua  mãe  que assinar um documento autorizando.
Morreu de um ano depois, em 28 de março de 1945, em uma missão noturna de alto risco, para a qual se apresentou como voluntario.
Foi sepultado como soldado desconhecido no cemitério Draguinan, na França. Com os novos desenvolvimentos na identificação do DNA, o Pentágono reabriu o caso e identificou.
Foram mais de 74.000 soldados americanos desaparecidos na Europa na Segunda Guerra Mundial. O  Departamento da Defesa tem uma equipe de especialistas, para identificação dos prisioneiros de guerra e soldados desaparecidos em ação, com base no Havaí, onde trabalham 600 pessoas, buscando identificar centenas de corpos de muitos conflitos do passado, especialmente na Segunda Guerra Mundial, o Guerra da Coréia, da Guerra Fria e a Guerra do Vietnã.
Robert Bayne finalmente retornou para os EUA no dia 4 de maio. Ainda são vivos (com 83 anos) seus irmãos (gêmeos), Kenneth e Calvino. Ambos estavam no aeroporto Thurgood Marshall, em Baltimore, quando chegou o caixão coberto com a bandeira americana.
Calvin não conseguiu evitar a emoção e correu para beijar a bandeira. Eles esperaram por 66 anos a volta do irmão para casa.

(Deu no El País de hoje)

ER 

TODO DIA É DIA DAS MÃES

Migrant Mother - Dorothea Lange - 1936